Banda ruim…

publiquei aqui que a internet banda larga brasileira é ruim.
Uma nova pesquisa nos colocou na quinta colocação.
Ou seja, estamos entre os cinco piores do planeta.
O Brasil só tem uma banda larga melhor que o Chipre, China, Índia e México.

E tem mais…
Menos de 40% das cidades são atendidas por banda larga.
A meta é chegar a este índice até o final de 2008.
A expectativa é de que o Brasil esteja 100% em rede só no final de 2010.
E não há garantias plenas de que isto aconteça.

O estudo ainda indicou que o único país que está preparado para o futuro, já que o futuro passa por uma boa estrutura tecnológica, é o Japão.

Vanda Munhoz…

Li no Edson Lima que a Vanda Munhoz estréia amanhã no O Diário.
Estou feliz por ela. Trata-se de uma grande profissional.
Tive o privilégio de cursar Jornalismo com a Vanda.
Depois, trabalhamos juntos por três anos e meio.
Por isso, posso dizer: se bem aproveitada, poderá ajudar O Diário ser ainda melhor.

Padre é denunciado por vírus…

Veja esta:

Um fato ocorrido na Suécia prova que não existe mesmo pecado secreto. Um padre luterano em Strängnäs se viu obrigado a renunciar ao cargo de diretor da paróquia depois que seus hábitos de ver pornografia na internet foram descobertos. O delator: um vírus que tomou conta da rede de computadores da paróquia.

Esse ferrou-se.

A falsa isenção da imprensa…

Na década de 1950, o Brasil adotou o modelo editorial americano. Foi a partir dessa época que passou a ser propagandeada a idéia de que a reportagem jornalística deveria ser imparcial, mostrar os dois lados etc etc. Até então, os jornais brasileiros tratavam as questões com paixão, mostravam o seu lado e promoviam grandes debates.

A tal da imparcialidade veio junto com outros hábitos culturais que os brasileiros resolveram copiar dos americanos.

Mas, em política, os jornais americanos sempre foram mais sinceros. Editorialmente, nunca tiveram receio de dizer de que lado estavam. Os brasileiros resolveram copiar os americanos no tratamento das notícias, mas ignorou a clareza no posicionamento político.

Hoje, com raras exceções – revista Carta Capital e jornal O Estado de São Paulo -, todos preferem dizer que não possuem lado. Pelo menos não fazem isto de forma clara – num editorial com bons argumentos, por exemplo.

É lamentável. Costumo dizer que essa falsa isenção faz mal à democracia. O público finge que acredita na imparcialidade (alguns até acreditam mesmo) e o jornal finge que a pratica. Nada mais hipócrita. Jornalismo comentado, com posições claras, não produz imagens distorcidas. As pessoas têm lado; imprensa e jornalistas, idem.

Por isso, penso que essa isenção – que é invenção dos americanos – deveria romper com as falsas expectativas. Concordo que a imprensa deve mostrar os dois ou mais lados, mas também tem de apontar quem deve estar com a razão.

Na disputa pela presidência dos Estados Unidos, os jornais americanos fazem isto. Hoje, 124 jornais apóiam Barack Obama; 46, John McCain. Isto torna a abordagem da disputa desleal? Claro que não. A cobertura não deixa de mostrar os dois candidatos, mas aponta quem, na opinião do veículo, é o melhor para o país. E o leitor julga.

Dólar…

O dólar está em alta…
Disparado.
Já passou dos R$ 2,50.
É assustador.
Pior é saber que a crise atual traz impactos ao Brasil mais pelo medo que por problemas na nossa economia.

PS- Só para exemplificar que as coisas estão bem no país… A taxa de desemprego de setembro é uma das mais baixas da história do Brasil. Manteve-se em 7,6%. Cerca de 1,4% menor que em igual período, em 2007.

Greve dos bancários…

Pelo menos na região de Maringá, a greve dos bancários foi totalmente encerrada. Hoje até mesmo os funcionários da Caixa voltam ao trabalho. Não é o que acontece em São Paulo, por exemplo. Na capital, os trabalhadores da Caixa permanecem em greve. Um dos aspectos levados em conta é o fato de não terem o mesmo regime de contratação; ou seja, não são regidos pela CLT. Logo, entendem que devem ter uma negociação diferente da proposta aceita pelos demais bancários.

A categoria fechou acordo diante de um reajuste de 10% oferecido pela Fenaban. Isto, pra quem ganha até R$ 2.500,00. Salários acima desse valor terão aumento pouco superior a 8%.

Diante do movimento e do que pudemos notar, é possível concluir que, embora tenha conquistado um reajuste acima do índice inflacionário, as greves estão cada vez mais frágeis. A adesão nunca é total. Os funcionários temem ser demitidos e, por isso, preferem trabalhar a sair às ruas reclamando dos patrões. Sintomas da modernidade? Não sei… Mas certamente refletem as novas relações trabalhistas, a fragilidade do movimento sindical e o esgotamento da luta de classes.

As manchetes…

– Desempenho no ensino médio dará vaga na UEM
O jornal O Diário de hoje destaca a confirmação de que a Universidade Estadual de Maringá vai selecionar alunos também pelo desempenho durante o ensino médio. O anúncio foi feito pelo reitor Décio Sperandio. Os alunos das escolas da região serão avaliados anualmente pela instituição. 20% das vagas de cada curso serão destinadas ao novo modelo, que vai vigorar em 2012.

– Não há banco quebrando, diz ministro
A manchete do Hoje Notícias trata da crise internacional. O ministro da Fazenda Guido Mantega disse ontem, em entrevista coletiva, que o sistema financeiro do Brasil é sólido. O motivo seria a prudência do sistema financeiro nacional.

– Justiça nega fraude eleitoral em Marialva
A manchete do Jornal do Povo ressalta o polêmico resultado eleitoral em Marialva. A Justiça Eleitoral indicou que não houve fraude no manuseio das urnas eletrônicas. Portanto, não haverá qualquer recontagem de votos naquele município.

Diário do Noroeste de Paranavaí
Procon vai fiscalizar comércio sobre colocação de preços nos produtos

Umuarama Ilustrado
Greve acaba, mas deixa prejuízo econômico

Folha de Londrina
Consumidor de carne será afetado pela falta de crédito

Gazeta do Povo
Medida provisória autoriza BB e Caixa a adquirir bancos

Jornal do Brasil
Governo abre caminho para estatizar bancos

O Globo
Lula dá superpoderes a bancos oficiais e assusta o mercado

Valor Econômico
Crise se agrava e governo age

O Estado de S.Paulo
BB e CEF podem estatizar bancos em dificuldade

Folha de S.Paulo
Governo autoriza BB e Caixa a comprar bancos e empresas

Nayara desmente tiro…

Curioso, não? A jovem Nayara, amiga de Eloá, disse à polícia que Lindemberg não atirou antes da invasão da polícia ao apartamento. A declaração dela derruba a versão dos policiais. Diante da afirmação, o comandante da PM encontrou uma forma de desmentir a garota… Disse que Nayara está confusa.

Sei não… Até o momento estou mais pra acreditar na jovem que nos policiais. E você?

Ah… um coronel e um promotor sairam com a alegação que a existência do tiro antes da invasão é irrelevante. Irrelevante? Irrelevante seria se a operação tivesse sido um sucesso e Eloá estivesse viva.