Dia difícil…

Hoje foi mais um dia em que faltou tempo para produzir. Não tive tempo nem de ver os emails. Sempre fico meio frustrado quando não escrevo. O ritmo de acessos é ditado pela capacidade do zelador de sempre ter um novo post. Mas, nesses dois últimos dias, não consegui dar conta das minhas atividades e ainda manter o blog. Como a casa aqui é movida “a prazer”, as obrigações são prioridade.

Então, como último post da semana, agradeço quem passou por aqui. Vou pro fim de semana na torcida pelo hexa do São Paulo. Entendo como a vitória da competência, do planejamento e do investimento num país onde o futebol ainda é administrado de forma amadora. Também avalio como um recado aos demais clubes: profissionalizem-se. Então, salve, salve tricolor paulista!

PS- O problema é que do outro lado está o carrasco do ano, o Fluminense.

Bom fim de semana!!!

Sem Justiça…

Impressionante… O cara mata com 10 tiros um rapaz e é absolvido.
Quem é o personagem? O promotor Thales Ferri Schoedl.
Os desembargadores entenderam que Thales agiu em legítima defesa.
Entenda aqui.

Drama em Blumenau…

Conversei ontem com um amigo de Florianópolis. Ele está trabalhando para ajudar a população atingida pelas chuvas em Santa Catarina. E, segundo ele, a situação toda é bem pior do que aquilo que estamos vendo no noticiário. Os números oficiais tratam de cerca de 100 mortes. Este meu amigo, o jornalista Felipe Lemos, assegura que passam de 120 vítimas.

O quadro é cada vez mais complexo pois não pára de chover. Vejo, por exemplo, no Globo Online que a chuva voltou a ser forte em Blumenau e houve novos deslizamentos de terra. Centenas de ruas estão interditadas, milhares de pessoas perderam suas casas… Mas esses dados não dizem quase nada, sustenta o Felipe.

Só quem foi até Blumenau, Itajaí e outros municípios afetados entende o quanto as pessoas estão sofrendo. Ele esteve nessas cidades. Por isso, envolveu-se num projeto da Adra (Agência de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais, ligada à Igreja Adventista). Voluntários em todo Brasil estão coletando alimentos, roupas e dinheiro. Toda doação é bem-vinda.

Serviço: Em Santa Catarina, o telefone 0800-643-3048 foi disponibilizado para os que desejarem fazer doações, bem como a conta do Banco do Brasil (Agência 3425-8 e Conta Corrente 15000-2 em nome de ADRA DESABRIGADOS SC).

As manchetes…

– Conseg quer mais tempo para tachões
O jornal O Diário de hoje destaca o pedido do Conselho de Segurança de Maringá. O Conseg pede que os equipamentos continuem sendo usados como redutores de velocidade até que se encontre outra solução para conter abusos dos motoristas. A retirada dos tachões foi determinada pelo Ministério Público. A promotoria alega que equipamento desrespeita a lei de trânsito.

– Compra de bafômetros vai reforçar fiscalização da “lei seca”
A manchete do Hoje Notícias trata do anúncio feito pelo Ministério da Justiça. O ministério anunciou a compra de aparelhos que serão distribuídos aos estados e municípios a partir do dia primeiro. A compra dos bafômetros visa auxiliar municípios e estados que não estão preparados para o cumprimento da chamada da lei seca.

– Lei seca no vestibular entra em vigor
A manchete do Jornal do Povo ressalta que entra em vigor nesta sexta-feira a lei seca para a região próxima da Universidade Estadual de Maringá. O vestibular da UEM começa no próximo domingo. Mas desde esta sexta-feira, estará proibida a venda e o consumo de bebidas alcoólicas nas proximidades da universidade. O objetivo é impedir as festas e badernas dos estudantes durante o período de vestibular.

Diário do Noroeste de Paranavaí
Paranavaí registra índices acima da média histórica de insolação e chuva

Umuarama Ilustrado
Polícia reconstitui morte de empresária

Folha de Londrina
Lojas mantêm juros para segurar clientes

O Estado do Paraná
TCE investiga omissão de Eduardo na gestão do Porto

Gazeta do Povo
Polícia catarinense restringe circulação para evitar saques

Jornal do Brasil
Toque de recolher e Força Nacional contra saques

O Globo
Socorro da Caixa à Petrobras põe as duas estatais em xeque

Valor Econômico
Linhas do BC funcionam e exportador quer mais

O Estado de S.Paulo
Governo negocia mudança nas regras da aposentadoria

Folha de S.Paulo
Índia ataca terroristas e solta reféns

“Mentes brilhantes” acabam com a democracia…

Onze vereadores votaram pelo fim da democracia na educação municipal. Em Maringá, o Executivo é quem vai escolher os diretores das escolas. Não serão os pais, professores, alunos etc. O projeto foi aprovado em segunda votação nessa quinta-feira. Lamentável.

Ontem pela manhã, ouvi a doutora Lísia Helena Nagel, uma das maiores referências acadêmicas quando o assunto é educação. Ela classificou o projeto dos vereadores como resultado das “mentes brilhantes” que temos na Câmara de Maringá. Também apontou que a proposta era insana, irresponsável e antidemocrática. E disse esperar que alguém de mente sã seja capaz de derrubar o projeto. Hoje, quem tem essa chance é o prefeito Silvio Barros. Ele é quem poderá vetar essa aberração legislativa. Mas, sinceramente, não acredito que isto aconteça.

Para quem quiser entender o que representa o fim das eleições, sugiro que ouça a entrevista com a doutora Lísia. Clique aqui.

O custo de nossas escolhas…

Texto do programete que produzo para a Rede Novo Tempo:

No programa anterior falamos sobre a vida na prisão do casal Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá. Destacamos, principalmente, as conseqüências do ato criminoso do casal na vida dos filhos. Apontamos que não o caso não ficou restrito à morte da menina Isabella. Hoje, os filhos do casal, um garotinho de três e outro de um ano, sofrem com a falta de referência dos pais. Além de se confundirem em relação a quem são seus pais, os meninos estão agressivos.

Sabe amigos, não tem como escapar. Nossos atos têm conseqüências. Muitas vezes, as conseqüências são maiores para outras pessoas que para nós mesmos. No caso do pai e da madrasta da menina Isabella, eles estão presos. Mas não se pode dizer que estão pagando caro pelo crime que cometeram. Entretanto, toda uma família foi arruinada. Gente inocente vai pagar um preço que não fez por merecer…

Também é assim conosco. Nossas escolhas têm um preço. O preço pode ser um casamento desfeito… Pode ser uma morte no trânsito… Um filho que nasce na adolescência… Um emprego perdido… Um amor não conquistado. Tudo depende das escolhas que fazemos.

Alguns entendem que vale a pena o prazer de uma relação fora do casamento. Mas o “casinho” de hoje pode se tornar na dor de perder uma companheira. Mais que isto, sofrimento para quem foi traído; futuro incerto para os filhos. Crianças que podem crescer sem a tão importante presença de um pai e uma mãe, juntos.

Outros acreditam que não há problemas em sair escondido, dirigindo por aí, num ato de desobediência aos pais. Acreditam que nada vai acontecer. Às vezes, a conseqüência é dura demais. Um acidente, uma morte, perdas… Perdas eternas.

Toda ação implica numa reação. É a lei natural. Não se trata de punição divina. Trata-se de uma resposta para uma escolha que fizemos. Por isso, nossas escolhas devem ser sábias, responsáveis. É verdade que existe uma fase na vida da gente que queremos ousar, queremos contrariar a ordem natural das coisas, queremos dizer que somos donos do próprio nariz, queremos defender idéias diferentes daquelas que estão no livro sagrado, pois achamos que tudo ali já está ultrapassado ou foi escrito para pessoas de um outro tempo.

Mas, mesmo quando podemos ser considerados ignorantes, jovens demais para saber tudo sobre a vida, mesmo nessa fase, nossas escolhas podem deixar marcas profundas em nossa vida e na vida de outras pessoas. Como disse, é a lei natural.

A vida é para quem busca a sabedoria… Temos liberdade, direito de fazer escolhas. Mas é preciso saber que nenhum ato passa despercebido. Tudo tem um custo. Vive melhor, quem sabe disso e busca, racionalmente, calcular antecipadamente o custo de suas decisões.