Filhos abandonados…

filhos

Imagine as cenas… Domingo. Onze e meia da manhã. Você pega o telefone, liga para uma amiga. Do outro lado da linha, uma criança de oito anos atende. Você pergunta pela mãe da menina. Ela responde que a mãe está trabalhando. “E seu pai, está aí?”. Com voz triste, a pequena responde: “não. Ele também está trabalhando”. Em mais alguns minutos você descobre que a menina está sozinha. É domingo e a filha dos seus amigos está sozinha.

As cenas que tentamos reconstruir juntos não são raras. Elas acontecem na casa de amigos meus. Talvez aconteça em alguns lares que você conhece. Ou mesmo em sua casa.

Deixar uma criança sozinha uma vez ou outra não é anormal. Não significa uma agressão emocional a um filho. Mas tenho notado que é cada vez mais comum encontrar crianças que são órfãos de pais vivos. E pior, muitas vezes, estão abandonados pelos pais, mesmo vivendo na mesma casa.

No parágrafo anterior, usei o termo “agressão emocional”. Quero voltar a usá-lo, pois entendo que crianças deixadas em casa, sozinhas, ou até mesmo cuidadas por avós, tias, babás etc etc são, diariamente, são agredidas emocionalmente por seus pais. Qual o vínculo que pode existir entre uma mãe e uma filha que, até no domingo, próximo do horário de almoço, não estão juntas? Como essa criança pode ser feliz se brinca sozinha, se tem decide por si mesma o horário do lanche e nem sabe a que horas a mãe e o pai chegam?

São filhos abandonados. Filhos que crescem, mas que crescem sem saber o que é ter um pai e uma mãe de verdade. Como poderão ser bons pais? Será que vão conseguir?

Tenho um amigo, doutor em Psicologia, que um dia me disse algo que sempre recordo. “Amor de filho, a gente conquista. Não está no DNA”. Esta é uma grande verdade. Nossos filhos não nascem programados para nos amar. Para que exista amor entre pais e filhos é preciso ter relacionamento. Relacionamento de verdade – com tempo, atenção, carinho, dedicação, cuidado, disciplina.

As pessoas têm seus compromissos. A vida moderna exige muito de nós. Não é nada fácil manter uma casa e ainda dar conta de todos os compromissos financeiros. E todos nós temos projetos pessoais, queremos realizá-los. Mas uma coisa é fundamental saber: o que fazemos ou deixamos de fazer por nossas crianças vai determinar a relação que teremos com elas no futuro. Vai definir como será a vida de nossos filhos e a maneira como vão lidar com a vida, com a sociedade.

Anúncios

8 comentários em “Filhos abandonados…

  1. Achei muito interessante esta frase do teu amigo piscicológo, que “amor de filho a gente conquuista”, pois meu pai biológico esteve ausente a maior parte da minha vida, por causa do alcolismo e hoje com 28 anos é que temos um contato, mas sinto como um estranho ou um parente chato que vc quer que vá embora logo. Não o trato mal, mas fico irritada quando ele me cobra uma atenção que nunca me deu.

  2. Esse tipo de situação, distância entre pais e filhos, é muito comum em alguns paises desenvolvidos. Nosso pais está deixando de ser subdesenvolvido e está trazendo os problemas junto.

    É praticamente um caminho sem volta. Se pudessemos escolher, tenho certeza que muitos fariam diferente.

  3. Pois é, amigo, pura verdade!
    Todos os dias assisto da minha varanda, uma babá cuidando de um lindo bebê de mais ou menos 6 meses. Ela parece ser extremamente carinhosa e cuidadosa com ele. Confesso que às vezes me pego observando-a, talvez preocupada com o bebezinho.
    Mas, já notei que ela, a babá, fica até quse 8 da noite com esta criança. Os pais trabalham fora e pagam para que ela o cuide, mas fico a pensar; será que o que esta mãe ganha é tão grandioso para deixar seu tenro bebê um dia inteiro com outra pessoa, que cuidará e ensinará hábitos que não tem nada a ver com o que ela, a mãe, gostaria que fossem ensinados ao seu filhote?!

    A liberação feminina foi muito boa em diversos aspectos, mas com relação à família, foi péssimo!

    abraço carioca

  4. Cara,essa questão de pais que abandonam filhos é chocante, eu se tivesse um filho não teria coragem de abandonar!!
    estou fazendo um trabalho sobre isso mesmo, e gostei muito por isso decidi mandar um comentário!!! valeuuu um abração!!!

  5. É triste pensar no facto de as princípais vítimas são as crianças,e se esta situação ñ for remediada a tempo as consequencias podem ser bastante trágicas no fim.
    A criança começa a habituar-se à solidão…Sentido cada vez + liberdade e fora de controlo dos pais ausentes…
    É desta maneira que os jovens de hj em dia começam tomar uma vida deliquente…
    Começando em cigarro e bebida alcoolica podendo acabar em droga!
    Previnam isto!É realmente trágico e mt chocante.
    Abraço.

  6. ha várias formas de abondono, uma javem brasileira de 15 anos teve um filho com um japones. Ambos muito jovens na epoca/1977, primeiro o japones abondonou a moça gravida, depois a moça entregou a criança ao pai, que por sua vezes deu a criança para o juizado de menor de brasília, que por sua vezes doou a um casal de japones de são paulo. antes porem a mae registrou a criança com o nome de Quimo Eston.

  7. eu foi abandonado no hospital mais graças adeus uma família me pega para criar hoje sou um homem tenho a minha família eu só queria conhecer a minha mãe biológica

  8. é a realidade da vida de hoje em dia,tenho 15 anos é moro com meus tios…minha mãe me abondonou quando eu erra pequena atraz de uma vida “melhor” então eu fui mora com ela depois de 12 anos em Goiãnia … mais não deu certo porque ela preferia mora com o marido e com seus amigos,quando eu tinha 5 anos ela teve minha irmã hoje esta com 10 anos a gente mau se fala mais quando dá matamos a saudade que temos,não vejo minha irmã já tem uns 3 anos,mais tenho contato com ele as vezes por telefone,minha irmã não mora com minha mãe esta morando com a avó que mora em rio branco capital do acre,eu moro em cruzeiro do sul!e perto a cidade uma da outra mais eu não posso ve-la porque estudo e não tenho dinheiro para visitala ainda mais moro com meus tios.!
    minha mãe siguer deu amor para suas filhas só quis saber de fariar de sair festas é curti…nunca deu amor para nós,quando eu completei 14 anos quis me mata por causa dela….
    as vezes eu choro muito quando vejo meus amigos com seus pais buscando na escola dando carinho amor!…ela nunca me deu isso! só resebir da minha avó que sofre até hoje por causa de seus filhos que são dependente de drogas!..não posso mora com ela porque eles são muito agrecivos e tenho medo!..meu tio que moro com ele tem uma despesa muito grande pois tem 2 filhos que fazer medicina na bolivia é outro de 11 anos!..então a despesa e muito grande!
    mais sempre quando dá a minha avó me da algumas coisas!….mais do que eu mais preciso é de amor e carinho! coisas que eu nunca ganhei de uma mãe!..

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s