Uso de redes sociais no trabalho reduz produtividade – II

O professor Carlos Sica deixou um comentário no post anterior que me motivou a seguir no assunto… Na verdade, penso que, no Brasil, há um exagero por parte das empresas na tentativa de controlar o acesso dos funcionários às redes sociais, sites etc. Os Estados Unidos, que são o modelo referencial do capitalismo moderno, são muito mais flexíveis neste sentido. E as pesquisas estão aí para provar… É bobagem acreditar que impedir os colabores de usarem a internet para fins pessoais vai garantir produtividade. Além disso, há o comprometimento do trabalhador. Quem tem, tem. Aqueles que enrolam durante o expediente, vão fazer isso de todo jeito. Pode ser no cafezinho ou diante da tela do computador.

Claro, isto não quer dizer “ausência de regras”. Em todo espaço, é preciso haver disciplina. Nós temos necessidade de referências – saber o que pode, o que não pode. Entretanto, o modelo Google é o melhor exemplo de que dá certo – é bom para o negócio – permitir que o funcionário relaxe um pouco, divirta-se durante o trabalho.

Uso de redes sociais no trabalho reduz produtividade

Quando vi a notícia, achei que o “estrago” era maior. Entretanto, afeta menos do que imaginava. Uma pesquisa indicou que pessoas que acessam o Facebook no trabalho perdem 1,5% de produtividade. Claro, o estudo não foi feito aqui no Brasil. Se fosse, o foco seria outras redes sociais. O brasileiro é mais ligado ao Orkut, por exemplo.

Detalhe, a pesquisa indicou que 77% dos entrevistados usam as redes sociais no trabalho. E permanecem conectados por cerca de duas horas. Ou seja, isso evidencia ainda mais a conclusão que trouxe no parágrafo anterior: a perda de produtividade é pequena – principalmente se levarmos em consideração que esses trabalhadores certamente se sentem mais respeitados pelas empresas. E gente satisfeita geralmente é mais comprometida.

As manchetes dos jornais de Maringá

O DIÁRIO: – Câmara aprova aumento de até 105% para médicos
A proposta do Executivo foi acatada pelos vereadores de Maringá, que promoveram uma sessão extraordinária para apreciar o texto a tempo de o aumento ser dado antes do período eleitoral. A decisão revoltou os dentistas, que foram excluídos do reajuste.

HOJE NOTÍCIAS: _ Aprovado aumento de salário dos médicos
O jornal também trata do reajuste concedido pelo Executivo aos profissionais médicos de Maringá. Para conceder o aumento, o projeto do Executivo criou o grupo específico dos médicos. O vereador Humberto Henrique questionou a forma como a proposta chegou à Câmara, de última hora, não dando tempo para um “debate mais amplo”.

JORNAL DO POVO: – Saúde esclarece boatos sobre gripe A
Ontem, o Ministério da Saúde divulgou uma nota técnica com a finalidade esclarecer dúvidas sobre a vacina contra a gripe A e as estratégias para enfrentar a doença, diante de boatos espalhados referente à imunização. O Ministério da Saúde ressaltou estudos comprovando a eficácia da vacina.

Eleições podem mudar quadro de secretariado em Maringá

Política é um assunto secundário por aqui, principalmente a de Maringá. Entretanto, impossível ficar alheio as conversas de bastidores dessa terça-feira. O assunto é a saída de alguns secretários da administração municipal. Embora ninguém queira falar oficialmente sobre o tema, acredita-se que Antonio Carlos Nardi (Saúde), José Luiz Bovo (Fazenda) e Ulisses Maia (Gabinete) podem deixar suas funções para disputar as eleições deste ano pelo Partido Progressista. É provável que amanhã o prefeito Silvio Barros conceda entrevista a respeito das prováveis mudanças no quadro de secretários.

Amizades: da rede para o mundo real

Nas duas últimas aulas de ontem, fizemos uma discussão ampla sobre a saturação das informações. Na verdade, debatemos que as novas ferramentas tecnológicas não nos proporcionam qualidade de conteúdo. Nossa ansiedade por consumir notícias nos leva a ter um conhecimento raso. Acessamos, lemos, vemos ou ouvimos uma informação e meia hora depois já esquecemos aquilo.

Mas a mesma relação superficial que temos com as informações, temos com as pessoas. E muito disso também se deve às novas mídias. As redes sociais, por exemplo, aproximam, mas, ao mesmo tempo, distanciam pessoas. Por isso, talvez o maior desafio seja se apropriar dessas ferramentas como sustentação para relações reais – ou para construção de novos relacionamentos.

Semelhante a milhares de outras pessoas, vivo intensamente essa viciante realidade. A angústia de não dar conta dessa quantidade imensa de notícias, dos inúmeros relacionamentos virtuais – para os quais damos pouca atenção -, e das amizades concretas que ficam cada vez mais raras. Por isso, se faz necessária a busca por tentar transformar tudo isso em algo saudável, prazeroso. É uma vitória, por exemplo, quando se supera o abismo que existe entre os mundos digital e real.

Às vezes, dá certo. Minha entrevista gravada ontem com a Ana Paula Passarelli é uma dessas conquistas. A amizade iniciada nas redes sociais nos aproximou na vida real.

Fora do ar, notei que, tornar relações virtuais em relações reais, também parece ser um desafio para a Ana. O encontro de twitteiros de Maringá é um desses bons exemplos de tentativa de aproximar pessoas. Tem dado certo. Dois encontros já foram realizados; outro está agendado para o fim de abril. Amizades começam a ser construídas na onda da rede.

É uma iniciativa, um caminho que precisa ser construído para rompermos com o distanciamento e a solidão que a internet nos impõe.

As manchetes dos jornais de Maringá

O DIÁRIO: – Requião sai sem cumprir promessa de baixar preços
Implantada para reduzir o custo de uma cesta de produtos, a minirreforma completa um ano revelando um forte aumento na arrecadação para o Estado e um repasse quase nulo do benefício para o consumidor. A reportagem sustenta que os resultados contrariam os argumentos utilizados pelo governo no lançamento da proposta de reforma fiscal.

HOJE NOTÍCIAS: – Câmara quer aprovar aumento para médicos
O reajuste tem por finalidade melhorar remuneração para atrair profissionais para os concursos. O projeto de lei prevê concessão de reajuste de até 105% aos salários dos médicos que trabalham para o município. Serão convocadas sessões extraordinárias para tratar do assunto.

JORNAL DO POVO: – Ipem reprova produtos de Páscoa em Maringá
O Instituto de Pesos e Medidas do Paraná realizou operação especial de Páscoa entre os dias oito de fevereiro e 25 de março. O relatório da ação revela que foram verificados 3.094 itens em cerca de 190 estabelecimentos, com 40 reprovações por falta de quantidade nos produtos e outras 22 irregularidades formais nas embalagens.