A internet celebra a ignorância

Passei pelo blog para falar sobre um assunto, mas acabei me sentindo tocado por um comentário que acabei de ler. Não, o comentário não traz nada de espetacular. Nem estou dizendo que foi aprovado. Muito menos que tem argumentos que possam mudar o mundo. Entretanto, refletem o momento maluco em que vivemos. Maluco sim, pois quando chegamos ao ponto de confundir o real com o virtual só podemos estar mesmo fora de sintonia.

O meu blog e tantos outros que existem por aí servem como base de dados para pesquisa. Deixa eu explicar… Não significa que o conteúdo disponível seja extremamente significativo. Talvez até seja para mim, pois reflete um pouco o que penso, o que sou ou, pelo menos, os assuntos que acho interessante compartilhar. Significa apenas que, como este espaço tem uma história, mais de 4 mil posts, quando o internauta entra na rede em busca de um tema qualquer, o Google oferece entre as opções aquilo que escrevi tempos atrás.

É mais ou menos assim que funciona.

Acontece que, exatamente por isso, todos os dias passam pessoas por aqui que nunca tinham visitado esta página. E é um prazer recebê-las. Ainda que não voltem nunca mais. Afinal, se não retornarem é porque não descobriram por aqui nada relevante. Se não produzo conteúdo que as interesse, não posso reclamar e, pela minha saúde mental, não vou me frustrar com isto.

Bem, mas por que toda essa divagação? Porque esse universo digital é mesmo enlouquecedor. As pessoas navegam na rede, interagem com os blogs e outras redes sociais, mas as debilidades de leitura que possuem se revelam facilmente.

Gente, é difícil o dia em que não deixam algum comentário completamente sem sentido, principalmente quando o assunto do texto postado são celebridades, gente conhecida. As pessoas passam por aqui, leem o conteúdo do blog e pensam estar falando com o sujeito sobre o qual escrevi.

É fácil identificar esses casos. Nesta página tem textos meus sobre a ginasta Jade Barbosa, o pagodeiro-apresentador-político Netinho de Paula, o atacante Ronaldo Fenômeno e, o campeão de comentários, Fábio Assunção.

Em todos os arquivos você vai encontrar declarações das mais diversas dirigidas diretamente a essas pessoas. Os leitores escrevem como se o Fábio fosse o dono do blog ou fosse ler o que publiquei. Tudo bem, o ator pode até ter acesso ao comentário. Mas basta exercitar um pouquinho o cérebro para concluir que dificilmente isto vai acontecer.

Primeiro, porque minha página está longe de ser badalada, conhecida. Segundo, porque muitos desses posts são antigos. Estão há mais de ano guardados nos arquivos do WordPress. Ou seja, dizer “te amo Fábio. Torço por você”. Ou, “Jade sou sua fã. Me manda um beijo”, é, desculpe-me a expressão, tolice.

A internet, que é terra de ninguém, também celebra a ignorância. Gente que não sabe ler e nem se esforça pra isso, navega livremente tirando suas próprias conclusões. É um desastre, pois torna este espaço, que deveria ser a representação máxima da democracia – todo mundo consome e produz num mesmo lugar, sem restrições, amarras ou reserva de mercado – um ambiente pouco confiável, de conteúdo questionável e debates pouco expressivos.

Anúncios

As manchetes dos jornais de Maringá

O DIÁRIO: – Volume de obras civis é o maior desde 2007
Maringaense aproveita a isenção do IPI e o aumento no crédito imobiliário para realizar o sonho de construir ou reformar. Apenas em janeiro e fevereiro deste ano, foram expedidos alvarás para mais de 100 mil metros quadrados de obras – 27,7% a mais do que em 2009. As lojas de material de construção comemoram. Mas o aquecimento do setor provoca falta de mão de obra.

HOJE NOTÍCIAS: – Maringá contratou mais de 116 mil com carteira
O Paraná surpreendeu ontem quando foram divulgados os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, o Caged. Foram criados 209,4 mil empregos com carteira assinada no mês de fevereiro. Em Maringá, as empresas geraram saldo de 1.045 empregos formais em fevereiro. No mês anterior, janeiro, foram abertas 1.113 vagas.

JORNAL DO POVO: – Maringá gerou 1.045 empregos formais em fevereiro
O jornal também trata da geração de empregos em Maringá. A reportagem ainda aponta que o Conselho de Desenvolvimento Econômico de Maringá prevê para este ano a abertura de 7 mil vagas no mercado formal de trabalho. No Paraná, em 2010, já foram criadas 27.621 vagas.