Os pontos de interrogação

A gente desenvolve hábitos que nem sabe de onde ou por que surgiram. Tenho mania – é mania mesmo, Diego -, de encher meus diálogos pelo MSN ou Google Talk de pontos de interrogação. Eles estão ali como se fossem a minha espera por respostas. Mas, por insistir nesse pequeno símbolo gráfico, um amigo disparou:

– Para com esses pontos de interrogação.

Ok, eu paro. Mas há uma razão filosófica para as interrogações. Na verdade, não existe nada mais jornalístico que um ponto de interrogação. São as dúvidas que nos motivam a desvendar os fatos e proporcionar conhecimento à sociedade. São as dúvidas que não permitem que aceitemos passivamente o discurso pronto que nos chega pela boca do outro.

Não existe nada mais expressivo na vida que um ponto de interrogação. Afinal, para que servem as afirmações? Apenas para termos certezas, convicções e nos acomodarmos, pararmos no tempo.

As interrogações nos movem em busca de respostas. E quando elas surgem, a insistência nas interrogações nos proporciona a chance de descobrirmos coisas novas, ousadas, diferentes, transformadoras. Por isso mesmo, estarão lá para trazer novas indagações que continuarão a nos mover dando sentido à vida e tornando-a surpreendente a cada dia.

4 comentários em “Os pontos de interrogação

  1. É Ronaldo, em Maringá há muitos pontos de interrogação. O Prefeito Silvio Barros é um grande ponto de interrogação, para muitos. Há quem ache que seja diferente do irmão, apenas submisso, outros acham que ele spo o tipo de bonzinho, mas no fundo é igual.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s