O jogo que aprendi

Pode parecer distante para aqueles que não conhecem, mas a verdade é que está tão próximo de nós que acabamos por não perceber. Falo do Jornalismo. Quando entrei na faculdade, um ano de experiências, momento em que eu estava ali para conhecer, descobrir. Hoje, não muito longe desse primeiro ano, me encontro no segundo ano do curso, e como já vejo diferença.

Era difícil entender uma profissão que muito vemos, mas tão pouco entendemos. Aí armei uma jogada e dela estou aprendendo a jogar. Comecei aplicar o que aprendo no jornalismo em minha vida. Descobri que, como os repórteres são pautados pela manhã, do que eles precisam fazer em sua jornada de trabalho, também, nos deparamos com a pauta da vida. Todos os dias em qualquer profissão que seja já temos pré-determinado o que temos que cumprir durante o dia.

É só uma questão de reflexão, para entendermos que a vida é fruto do que desejamos pra nós mesmos. Em qualquer área profissional, temos nossas obrigações a serem cumpridas. Creio eu, que mais que qualquer outra coisa a profissão é quem determina nossa felicidade. Se tivermos sucesso profissional, somos capazes de fazer com que nossa alegria se espalhe pelo resto de nossa vida pessoal.

No jornalismo encontrei uma satisfação que antes provocava o vazio. E a pergunta me indagava: “O que eu quero ser?”. Hoje, a palavra que me cabe a este momento é feliz, em que começo a construir uma profissional que quero ser.

As manchetes dos jornais de Maringá

O DIÁRIO: – Só 13% das escolas públicas têm ensino de qualidade
O Índice de Desenvolvimento da Educação Básica divulgado ontem revela que apenas 12 escolas de 1a a 4a série, e nenhuma de 5a a 8a, tiveram nota acima de 6,0 – considerada pelo MEC sinônimo de qualidade. Ainda assim, as escolas de Maringá ficaram com média de qualidade acima da média nacional. O jornal apresenta os melhores e os piores colégios.

HOJE NOTÍCIAS: – Câmara desconta dos salários de 5 vereadores
No mês de junho, cinco dos 15 parlamentares faltaram a uma das oito sessões realizadas durante o mês. Os vereadores Aparecido Domingos Regini, Heine Macieira, Evandro Júnior, John Alves Correa e Marly Martin receberam R$ 198 a menos na folha de pagamento. O salário bruto do vereador maringaense é de R$ 5.932.

JORNAL DO POVO: – Rubens Bueno deu soco em Requião
Durante visita a Festa Nacional do Carneiro no Buraco, realizada em Campo Mourão, num encontro casual no aeroporto entre o ex-governador Roberto Requião e Rubens Bueno, os políticos se desentenderam. Rubens Bueno, que afirma ter sido ofendido, desferiu um soco no rosto de Requião.