Um toque de ousadia e fé na busca pela felicidade

Dia após dia sonhamos que a vida seja diferente. Desejamos fugir da rotina. Pensamos em coisas que nunca alcançamos. Queremos carinhos nunca tidos… Esperamos que os céus nos surpreendam com os presentes que sempre almejamos.

Este é o retrato de nossa alma. O coração humano sonha, anseia, busca motivos novos para ser feliz. Porém, muitas vezes, resiste às mudanças.

Uma vida diferente é resultado de uma mudança. Pode ser uma simples mudança – talvez apenas de atitude diante do mundo, um novo olhar. Mas pode exigir mais que isso.

A realização de um sonho às vezes passa por aceitar que é preciso pagar um preço. Talvez num primeiro momento pareça muito alto, mas quem sabe seja necessário para alcançar o que sempre se desejou.

Tem uma frase que resume uma grande verdade… E que pode ser aplicada a diversas situações.

– Não há almoço grátis.

Não gosto muito dessa frase, preciso confessar. Mas cabe no contexto de nossa reflexão. Quem busca uma vida nova deve aceitar que terá de pagar por isso.

Não queremos a rotina. Mas nos assustamos com as mudanças.

Queremos um novo emprego. Mas temos medo de bater na porta de outras empresas e ouvirmos um “não”.

Ansiamos conquistar novos amigos. Mas não queremos nos decepcionar com as pessoas.

Desejamos nos sentir amados. Mas preferimos a conveniência de um relacionamento desgastado e morto.

É mais fácil continuar vivendo com o que temos. Afinal, já conhecemos o ambiente, sabemos seus limites e nos acomodamos. Temos nossos sonhos, reclamamos que nunca os alcançamos, entretanto queremos que se realizem sem abandonarmos os castelos que construímos.

O medo, que gera a insegurança, faz parte de nós. O desconhecido nos assusta. Ninguém consegue olhar para o amanhã, pois não há uma janela aberta para o futuro. Ainda assim, a vida nos ensina que somente aqueles que aceitam correr riscos conseguem superar limites e experimentar o prazer da realização de um sonho.

Nessa caminhada, muitas vezes, há sofrimento. Rompimentos causam dor. Implicam em abandono e, por outro lado, em andar por trilhas ainda desconhecidas. Porém, a disposição para mudar é a única forma de dar um passo em direção ao que sempre desejamos.

Como na passagem bíblica da ressurreição de Lázaro, as irmãs daquele homem choravam a sua morte. Elas desejavam tê-lo com vida. Quando Jesus foi visitá-las, e prometeu o milagre, ficaram assustadas. Diante do túmulo, a frase do Cristo foi:

– Tirai a pedra.

Era um exercício de fé. Aquelas mulheres tinham a chance de mudar o cenário, mas era necessário “tirar a pedra”. Tinham que romper com a insegurança, com o medo de serem envergonhadas diante dos amigos.

Hoje, para realizarmos nossos sonhos também temos de “tirar a pedra”. Um toque de ousadia e fé é o primeiro passo para superarmos as barreiras que nós mesmos criamos e, assim, sermos felizes.

Iraclézia fica mais dois anos na Rural

A presidente da Sociedade Rural de Maringá, Maria Iraclézia de Araújo ganhou um novo mandato à frente da entidade. Sem outra pessoa para concorrer ao cargo, Maria Iraclézia foi aclamada hoje em assembleia e ficará mais dois anos à frente da Rural. Em entrevista à CBN Maringá, ela relacionou os principais desafios de seu primeiro mandato. A conversa com Maria Iraclézia de Araújo você acompanha amanhã no CBN Maringá Primeira Edição.

Na segunda, uma música

Ela é filha de uma das figuras mais simpáticas da música brasileira. Jair Rodrigues conseguiu influenciar os filhos Jairzinho e Luciana Mello. Semelhantes ao pai, seguiram a carreira do pai.

Luciana gravou o primeiro disco quando tinha apenas 16 anos. Em 1995, lançou “Luciana Rodrigues”. Mas a cantora se tornou conhecida no país cinco anos depois. Em 2000, gravou “Assim que se faz”. E é desse álbum que destaco “Simples desejo”, a música desta segunda-feira.