Menos deputados por Maringá

Entrevistei hoje o presidente da Câmara de Maringá, Mário Hossokawa. O papo foi sobre as eleições, a expectativa dele para esse pleito – principalmente tendo em vista nossa cidade, os candidatos de Maringá.

Num dos trechos da entrevista, Hossokawa falou sobre as chances dos maringaenses na luta por cadeiras na Assembleia Legislativa e Câmara Federal. Ele disse não acreditar que Maringá possa voltar a eleger cinco deputados estaduais. Mário Hossokawa até apostou na reeleição de dois parlamentares e na possibilidade de um novo político vir a ocupar cadeira na Assembleia Legislativa. Porém, cinco cadeiras para maringaenses na AL, acha bastante improvável. Por outro lado, Hossokawa entende que há chance de a cidade eleger um terceiro deputado federal.

Anúncios

É Serra ou Zé?

Estou vendo os programas eleitorais da Dilma e do Serra – ou do Zé, como inventaram agora os marqueteiros tucanos. Não vou comentá-los. Acho que cada um deve analisar e tentar encontrar a verdade em cada candidato. Isto se for possível encontrar essa “verdade”. Mas como produto de campanha, os programas ficaram ótimos. No primeiro, Dilma apostou na emoção; Serra, na tentativa de quebrar a ideia de que é um candidato da elite.

Porém, o surpreendente mesmo é o que a Lucia Hippolito comentou hoje pela manhã na CBN. Quem cuida da campanha tucana parece estar apostando na estratégia errada. O Brasil conhece José Serra como “Serra” e não como “José”. Ela lembrou o que aconteceu em 2006. Tentaram transformar Alckmin em Geraldo. Deu no que deu.

– É desastre na certa; sustentou a comentarista.

Por sinal, os marqueteiros do Serra são os mesmos do Alckmin, em 2006.

– São inteligentíssimos; ironizou a Lucia.

Com os novos números do Ibope, e a possibilidade de a petista levar a eleição já no primeiro turno, os tucanos terão de acertar muito no tom da campanha para virar o jogo. Não está fácil. Cada vez mais, fica a impressão que Dilma vai garantir a continuidade do PT na presidência da República. Só não fatura essa se tiver “salto alto” e fizer bobagem. Do contrário, a estrela vermelha vai continuar brilhando no Planalto.

Propaganda descartável

Começou o horário eleitoral no rádio e na TV. Embora muita gente aponte como fundamental para conhecer as propostas dos candidatos, ainda penso que a propaganda política é chata demais. Além disso, no caso dos candidatos a cargos majoritários – presidente, governador e senador – aparecem “maquiados”. Ou seja, o discurso não é deles; é dos marqueteiros. Logo, o horário eleitoral me parece descartável. E no rádio? É horrível – principalmente a propaganda de deputados.

As manchetes dos jornais de Maringá

O DIÁRIO: – Liminar suspende novo relógio de ponto
Acim consegue, por meio judicial, suspender o uso do relógio de ponto eletrônico, que seria obrigatório a partir do próximo dia 21. Medida beneficia 3,8 mil empresas filiadas à entidade. Sindicato dos comerciários critica a decisão.

HOJE NOTÍCIAS:Não recebemos a edição de hoje

JORNAL DO POVO: – Começa a propaganda eleitoral em rádio e TV
De hoje até o dia 30 de setembro será veiculada no rádio e na televisão a propaganda eleitoral gratuita para a divulgação das propostas dos mais de 20 mil candidatos às eleições de três de outubro. Serão veiculados dois blocos de 50 minutos, de segunda-feira a sábado, sempre às sete e meio-dia, no rádio, e às 13 horas e 20h30 na televisão, considerado o horário de Brasília.