A favela virtual do Serra

A favela virtual do Serra está dando o que falar. O cenário montado para o programa eleitoral do tucano foi lembrado hoje no debate do UOL pela candidata Marina Silva. Já a jornalista especializada em política Christina Lemos foi muito mais dura. Dê uma olhada num trecho do que ela escreveu:

Não há bala perdida, nem população acuada, nem meninos com metralhadoras penduradas no ombro e camiseta escondendo o rosto – nada disso aparece na inacreditável favela-cenário montada para o programa de estreia do tucano José Serra na TV.

Uma favela-modelo, que fica num estúdio da zona Oeste de São Paulo, só com gente contente, batucando um sambinha, pendurando no varal a camiseta com o número 45, e prometendo votar no candidato, que está lá, cercado de crianças negras agitando, esfuziantes, uma bandeira do Brasil.

O artificialismo da cena foi chocante para quem avançou um milímetro além da infeliz peça de propaganda, comandada pelo diretor de arte Osmar Murada, com produção de André Burza.

É o horário eleitoral transformado em um misto de espetáculo de teatro com escola de samba.

Anúncios

Recursos do BID para obras em Maringá

Prefeito disse há pouco na CBN que a suspensão do financiamento do BID não é o maior obstáculo para revitalização da Brasil e transposição da UEM. Segundo Silvio Barros, não há problemas com o contrato firmado entre a Prefeitura de Maringá e o Banco Interamericano de Desenvolvimento. Os recursos estão garantidos e a suspensão do financimanto por determinação do governo federal é apenas uma medida burocrática. Porém, o prefeito lembrou que até o momento a administração não conseguiu obter o apoio da Universidade Estadual de Maringá para a construção de uma via de transposição dentro do campus da instituição. “Ainda não houve definição por parte da UEM”. Sem o “ok” da universidade, as obras sequer podem ser licitadas.

As manchetes dos jornais de Maringá

O DIÁRIO: – Dinheiro do BID para obras na Brasil e UEM é suspenso
Os US$ 13 milhões para ampliar o sistema binário, retirar as espinhas de peixe, fazer a transposição da universidade e construir dois terminais de ônibus não serão liberados agora. Irregularidades em Natal levaram o governo a brecar financiamentos internacionais.

HOJE NOTÍCIAS: – Lixo por toda a cidade
Nos fundos de vales, nos córregos e nos terrenos baldios. Esta realidade é visível em toda a cidade. Maringá produz mais de 300 toneladas de lixo diariamente e parte disso é descartado de forma irregular e clandestina. O córrego Mandacaru, que fica próximo à UEM, é um exemplo da falta de cuidados na preservação do meio ambiente. O mau cheiro e a infestação de insetos na região mostram o quanto é grave a situação do afluente.

JORNAL DO POVO: – Médicos residentes aprovam greve
A partir da próxima sexta-feira, os médicos residentes da Universidade Estadual de Maringá estarão de braços cruzados. A decisão foi tomada ontem durante reunião, quando a categoria aderiu ao movimento de paralisação nacional que iniciou-se nesta terça-feira em diversos hospitais de aproximadamente 15 estados do País. Mesmo com a greve, os atendimentos de urgência e emergência não deverão ser afetados no Hospital Universitário.