As pessoas amam na mesma intensidade?

Somos todos diferentes. Até podemos combinar numa coisa ou outra. Entretanto, sempre guardaremos características que nos diferenciam. Não importa se vivemos na mesma época, se tivemos as mesmas condições sociais, estrutura familiar semelhante… Não importa. Nem gêmeos sentem, pensam e agem da mesma maneira. Em nosso interior, sempre haverá um ponto, ainda que minúsculo, que nos faz indivíduos únicos no mundo. 

Num relacionamento, muitas vezes há a expectativa de que as pessoas envolvidas amem na mesma intensidade; ou que possuam comportamentos que expressem igualmente aquele sentimento. Engana-se, porém, quem acredita que as pessoas amam igual. Ninguém ama igual ao outro. Somos diferentes não só pela constituição psicológica, psíquica. Mas também na forma de verbalizar e sentir o amor. 

Conheço pessoas que costumam dizer: “Tenho medo desse sentimento. Às vezes, pareço que não amo de verdade”. A primeira coisa que me vem à mente nessas situações não é uma resposta, mas sim uma outra pergunta: “Afinal, o que é o amor?”. Será que sabemos caracterizar esse sentimento?

Há casais que se amam, mas apenas uma das partes parece se envolver mais. É quem exterioriza constantemente o sentimento, revela em pequenos gestos cotidianos aquele sentimento que vai no peito. Já a outra parte é um pouco menos sensível, deixa-se ser amada mas não consegue ser carinhosa com tanta frequência. Significa que não ama? De forma alguma. Talvez seria capaz até de se sacrificar pelo outro, mas seu jeito de ser se revela numa forma mais contida de amar.

O ser humano é assim. Somos diferentes, e até contraditórios. Entender as diferenças é o primeiro passo para respeitar os sentimentos e preservar a relação. Claro, é fundamental não se acomodar e dizer: “sou assim mesmo; é assim que sempre vou ser”. Tentar corresponder a expectativa do parceiro ou da parceira no jeito de amar, é um passo importante para fazer o romance permanecer vivo. Por outro lado, compreender as diferenças e até mesmo a maneira mais contida – ou menos sensível – de amar da outra pessoa ajuda a preservar os sentimentos e ameniza o sofrimento que se cria por alimentar expectativas distorcidas do que é o amor.

Anúncios

2 comentários em “As pessoas amam na mesma intensidade?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s