Nunca é fácil lidar com o ciúme

Um dos sentimentos mais corrosivos é o ciúme. Não importa se num relacionamento amoroso, ou entre pais e filhos, amigos, companheiros de trabalho etc. O ciúme machuca, entristece e até afasta.

Nem sempre há motivos para o ciúme. Muitas vezes, é irracional, injustificado. Outras tantas até têm um certo sentido de ser. A outra pessoa da relação pode contribuir no despertar desse sentimento.

Com ou sem razão de ser, nunca é fácil lidar com o ciúme. E para nenhuma das partes. Quem vivencia essa realidade diária precisa, primeiro, reconhecer que tem um problema a ser resolvido. Se a origem do ciúme está na maneira como tem se constituído o relacionamento, no jeito, na atitude de uma das partes, o melhor é dialogar, tentar chegarem a um denominador comum para não se ferirem, não se magoarem.

Se não há motivo, conversar também é fundamental. Entretanto, buscar ajuda profissional pode ser a melhor alternativa para reencontrar o equilíbrio, a paz interior e preservar o próprio relacionamento. Nessas horas, a compreensão de quem é o alvo do ciúme é necessária; ser tolerante, tentar ajudar e nunca promover o confronto.

Outro aspecto que deve ser considerado, principalmente entre casais, são as atitudes – ainda que pequenas – que acabam provocando o ciúme. Como disse, às vezes, o ciúme é justificado. Nem sempre há intenção de trair. Mas, por brincadeira ou vontade de "mexer" com o outro, comporta-se de um jeito que irrita e fere. Isso nunca vai fazer bem; numa relação, não vai acabar bem.

A máxima do "quem ama, cuida" vale também para o ciúme. Quem ama, evita provocar o ciúme. E também se cuida para não tornar as crises de ciúme frequentes fazendo da relação um inferno, levando-a a ser um fardo para ambas as partes.

Anúncios

Na segunda, uma música

Elas são intérpretes incríveis. Cantam demais. Uma está há cerca de 10 anos fazendo sucesso; a outra, faz bem menos tempo. Mas tem um talento incrível. Estou falando de Ana Carolina e Maria Gadú. Aqui cantam “Mais que a mim”. Vale curtir.