O adultério virou negócio

Completo a leitura da reportagem Traição.com e confesso: não sei o que dizer. Oferecer ao público um site de relacionamentos que garante discrição e, ao mesmo tempo, um serviço que possibilite um relacionamento fora do casamento é algo no mínimo, perdoem-me os moralistas, inteligente. O cara quer um caso, entra no site e encontra ali pessoas que têm a mesma disposição dele. Não precisa mentir, mudar perfil… Nada. Entretanto, tamanha ousadia também é uma agressão a todos os valores de uma sociedade que preza a família e, diz-se, defender valores cristãos.

É preciso reconhecer que o serviço, que brevemente será lançado no Brasil, rompe com a hipocrisia. A internet – com as redes sociais e os sites de relacionamento – já oferece a possibilidade daquela “puladinha de cerca”. Não é preciso pesquisar muito para identificar exemplos de pessoas que traíram seus parceiros em função dos contatos estabelecidos na web. Começa numa brincadeirinha e termina na cama. Ou diante do juiz, num processo de divórcio.

Ainda assim, não sei o que dizer sobre a novidade. Novidade, vale dizer, que já tem quase nove anos, faturou no ano passado 40 milhões de dólares, emprega 120 pessoas e possui 8,7 milhões de usuários.

Segundo o fundador do site, o Brasil é um dos países mais infiéis do planeta. Porém, fará sucesso por aqui? Não sei. Nossa sociedade é liberal às escondidas e moralista no discurso. A traição é crucificada por homens e mulheres, mas é uma realidade para milhares (ou milhões?) de pessoas.

Num momento em que a gente pensa como será a sociedade do futuro – futuro que já estamos construindo -, fico imaginando o papel desse tipo de serviço para homens e mulheres e como serão firmados os relacionamentos. Sinceramente, não consigo vislumbrar muita coisa. Já imagino maridos e mulheres passando pelo site… Por curiosidade ou interesse. Talvez para “vigiar” o companheiro…

Não sei se seremos mais felizes ou mais frustrados. Sei apenas que a sociedade está em movimento, em transformação. O adultério virou negócio, público e publicizado a ponto de o slogan trazer – abaixo de uma foto com cenas quentes – “eles são casados, mas não um com o outro” . Será que tudo irá resumir ao prazer? Se assim for, “Life is short. Have an affair”.

Anúncios

8 comentários em “O adultério virou negócio

  1. “Nossa sociedade é liberal às escondidas e moralista no discurso. A traição é crucificada por homens e mulheres, mas é uma realidade para milhares (ou milhões?) de pessoas.”
    isso me leva a pensar sobre monogamia e poligamia… quase ninguém admite, mas muitas pessoas não conseguem se relacionar com uma pessoa só! mascaradas na hipocrisia monogâmica, crucificando os poligâmicos assumidos!

    Curtir

  2. E tem coisa mais bem vista socialmente do que bancar o moralista?
    Pode até ser que sim, mas aquele sentimento momentâneo de que você passou a imagem de bom moço e as pessoas assim o viram é muito gratificante. Todos somos um pouco hipócritas e dissimulados, aliás, tem ocasiões que te pedem agir dessa forma.
    Nem pense você que lê neste momento dizer que não faz isso! Principalmente se possui um nível de conhecimento pouco maior que os demais… Com certeza já usou seu “poder” para satisfazer o ego e dizer-se ouvido!
    Este site tem tudo pra dar certo, nem que seja pela desconfiança dos parceiros. Num mundo em que vivenciamos tantos conceitos e/ou pré-conceitos em fugaz revolução, será muito bacana presenciar divórcios através da internet… Isso deixará o tom melancólico no absoleto e trará mais interação, evolução… mais V E R D A D E!!!

    Curtir

    1. é incrível como parece fazer bem esse nosso jeito moralista de ser. o problema é que muitos usam disso para crucificar outras pessoas quando, na verdade, também possuem uma vida dupla. abraço.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s