Tem data certa para fazer o que precisa ser feito?

Procrastinação. A palavra é feia pra caramba. E o que ela significa, também. Mas faz parte de nosso jeito de ser. Adiar nossas decisões. Adiar nossas ações. Adiar… Deixar para depois.

Pensava nisto hoje, em virtude do feriado. É incrível como desde ontem está tudo em stand-by. Você olha pra cara das pessoas e ali está estampado o discurso:

– Estou só esperando o feriado.

Sim. A pessoa está só esperando a quarta-feira, porque não vai precisar trabalhar. Enquanto aguarda, deixa de fazer. Os dias que antecedem passam vazios.

Noto isso inclusive aqui na internet. Até a presença das pessoas nas redes sociais é menor.

Embora eu também me deixe contaminar por essa sensação de “ah… amanhã é feriado”, fico sempre incomodado com nossa maneira de ser.

Por que vivemos em função do amanhã?

Ou melhor, por que adiamos o que podemos fazer hoje?

O trabalho de faculdade? Fica para depois do feriado.
O projeto da empresa? Fica para depois do feriado.
Começar a leitura de um novo livro? Fica para depois do feriado.

E não é só com o feriado. A gente faz isso com o fim de semana, com o fim do ano… e tantas outras datas.

Parece meio simbólico. Sei lá. Mas ninguém começa a dieta na sexta-feira. Nem decide estudar no meio da semana.

O problema é que enquanto esse dia não chega – que pode ser a segunda-feira, o início de um novo mês ou mesmo de um ano -, abrimos mão de viver. Adiamos projetos, sonhos. Sufocamos nossos desejos e até necessidades reais. Por vezes, prolongamos sofrimentos ou nos enganamos achando que, decidir depois, vai causar menos dor.

Desculpa, mas tem data certa para fazer o que precisa ser feito?

Talvez seja pedir muito. Mas fica aqui o desafio: por que não agora?