Michel Teló: relacionamentos que se perdem no caminho

Foto: Fabio Guinalz / Fotoarena
O mesmo sucesso que garante visibilidade e dinheiro é o que pode levar ao distanciamento das pessoas amadas. Há um momento em que uma nova realidade se impõe. E quase nada resta a fazer.

Pensava nisto enquanto via a notícia:

Sucesso acaba com o casamento de Michel Teló

Alguns podem simplesmente dizer: “ah… o sujeito agora vai aproveitar para pegar todas!”. Afinal, o que não faltam são “fãs” dispostas a transarem com qualquer famoso. Sem contar as oportunistas de plantão loucas para se tornarem paqueras, amantes, namoradas etc e, na primeira oportunidade, aparecerem nas revistas de famosos.

No entanto, para o sujeito que está atrás do artista por vezes existe uma outra verdade. Uma separação como a do Teló nem sempre é desejada. Talvez seja só conseqüência.

Nem sempre se trata de uma opção. Quando a pessoa percebe, os caminhos não são os mesmos e o relacionamento simplesmente deixa de existir.

Haverá os críticos de plantão, aqueles que adoram uma boa fofoca e um caso para julgarem. Não percebem, porém, que a vida não é tão simples. E que certas situações só são evitadas quando previstas.

Não, não estou saindo em defesa do cantor. Sinceramente, não tenho o mínimo interesse na vida privada dele. Apenas reflito a respeito do cotidiano dos relacionamentos. Muitas vezes as pessoas ignoram que suas escolhas vão levá-las para caminhos completamente diferentes. E, quando isso acontece, tornam-se estranhos vivendo numa mesma casa.

O relacionamento do cantor foi consumido pelo sucesso. A vida dele com a da esposa não se cruzavam. Certamente, os interesses já não eram os mesmos. Nem os sonhos.

São situações que acontecem com frequência nos relacionamentos. Não é só “coisa de famoso”.

Também não se trata de deixar de amar, desejar… Nem significa que existam brigas, conflitos ou traição. Os parceiros apenas se perdem no caminho. E, quando percebem, estão distantes demais. Não há mais espaço para conciliar os interesses. Resta a separação.

Como disse, esse processo se dá sem que haja consciência. Um dos parceiros pode até notar que tem algo errado. Entretanto, às vezes, não consegue expressar isso ou sensibilizar o outro que o casamento está em risco.

Ao longo dos anos aprendi que só há uma maneira de evitar tal situação: manter-se em alerta. Fatos novos nos surpreendem, é verdade. Mas, se o relacionamento é prioridade, dialogar sobre a rotina de ambos, os sonhos, o futuro pode ajudar a manter o casal numa mesma trajetória.

Não tem jeito, num casamento, os sonhos devem ser comuns; sonhado por ambos. Se as escolhas são opostas, lá na frente, será impossível caminharem juntos.