Europa em crise e sobras de comida para pagar contas

Tem alguma coisa errada no mundo… Não é só um problema econômico. Uma crise. Quem poderia vislumbrar que encontraríamos notícias como esta?

Holandeses vendem sobras de comida para driblar crise

Não, não vou discutir economia. Nem sustentar que estamos “nos fins dos tempos”. Entretanto, não dá para dizer que é só reflexo da crise que desestabiliza os países ricos da Europa.

Confesso que ler essa notícia me incomodou profundamente. No Brasil, em especial na região onde moramos, muita gente desperdiça. E o desperdício começa no campo. Parte da safra fica na terra, parte nas estradas e também há perdas nos armazéns das cooperativas. E não são raros os casos de pessoas que jogam comida fora.

Não é o que está acontecendo na Holanda.

Para levantar uma graninha extra, as pessoas comem e vendem as sobras. É o exercício pleno da criatividade e do completo aproveitamento dos alimentos. Também cresce a procura por bares que permitem que os clientes levem de casa a própria refeição.

Nos “bancos de alimentos”, há filas. E uma em cada seis famílias está com dificuldades para pagar as contas dos supermercados.

Dá para imaginar esse cenário? Em nada lembra a Holanda de tempos atrás, país que também recebia brasileiros interessados em acumular euros e retornar com algum patrimônio.

O cenário também não faz parte da imagem que projetamos dos países desenvolvidos.

Seria a crise do capitalismo? Não sei. De tempos em tempos, passamos por crises. Faz parte de um ciclo natural. Porém, há algo de diferente no ar.

Sei apenas que o que acontece na Holanda e noutros países da Europa sugere que vivemos um momento de redefinição das forças econômicas, com a construção de um novo mundo – ainda desconhecido, e que não dá para apostar se será melhor ou pior do que o que conhecíamos.

Anúncios