Acomodar-se às diferenças

Ontem, enquanto folheava um livro, uma frase me chamou a atenção. Ela dizia mais ou menos isso:

– a boa convivência depende de acomodar-se às diferenças.

Acomodar-se às diferenças”. Esse trecho foi o que mais incomodou. Era como se reclamasse minha atenção. Não quis ler mais nada. Apenas me pus a pensar na ideia proposta pelo autor.

Relacionamentos são difíceis. E, para mantê-los, há sempre necessidade de lidar com as diferenças. Mas geralmente preferimos impor as nossas preferências. Quase nunca aceitamos que o outro tem direito ao seu próprio espaço, seu jeito de ser.

E, sejamos sinceros, o outro também tenta impor seus gostos. Isso gera o embate, os conflitos e, por vezes, crises, separações.

Talvez por isso gostei tanto do verbo usado pelo autor: acomodar-se. É isto que ele sugere àqueles que buscam garantir a boa convivência.

Acomodar-se não é mudar o jeito de ser. Não é transformar. Não é negar. Não se trata de aparar arestas, pôr fim às diferenças, negociá-las ou impor preferências.

Acomodar é adaptar, é tentar encaixar mesmo em espaços não muito adequados. Acomodar é aquietar-se, sossegar. Acho que o significado que mais gosto é este: conformar-se.

É verdade que, como humanos, precisamos nos desenvolver. Temos defeitos e alguns deles precisam sim ser negociados, reconhecidos a fim de nos renovarmos, tornando-nos melhores parceiros, cônjuges, amantes, amigos. Alguém explosivo, ou que agrida o outro, reclama de tudo… alguém assim tem que mudar.

Entretanto, muitas diferenças evidenciadas nos relacionamentos se devem a hábitos, costumes, personalidade. Não adianta, por exemplo, viver brigando com o parceiro porque ele é tranquilão, um tanto “sonolento”. É o jeito do sujeito. Se você não aceita, deixe o camarada. Porém, se um dia apaixonou-se por ele, acomode-se. Valorize o que te atraiu e se conforme diante das diferenças. Do contrário, o relacionamento nunca será feliz.

Vale o mesmo para a convivência com amigos, colegas de trabalho. Nesses casos, a situação reclama ainda mais o exercício desse verbo. Se você não se acomodar, vai viver em constante conflito, porque os outros não vão mudar por sua causa. Você não é o centro do mundo, lembra? Portanto, se quer ter paz, relacionar-se bem com as pessoas, acomode-se às diferenças.

Anúncios

4 comentários em “Acomodar-se às diferenças

  1. Como sempre Ronaldo você tem uma visão diferente das palavras e sabe como poucos mostra-la nos seus textos, parabéns!!

  2. É verdade Ronaldo!!
    A única forma de influenciarmos as pessoas é com bom exemplo.
    Além de, se mudarmos primeiro as probabilidades aumentam do outro no nosso convívio tb mudar.
    Porque mudar o outro se todos temos defeitos? melhorar cada vez mais deve ser o objetivo de todos nós….
    Abç ae

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s