É estranho falar com minha filha pelo MSN

Não gostei da sensação. Estava trabalhando e, de um segundo pra outro, surge na tela o nome da minha filha. Na caixa do messenger, uma frase de boa tarde e um “saudade”. Levei um susto. Como assim? De onde saiu essa garota?

Foi a primeira vez que tive uma breve conversa virtual com minha filha. E não gostei da experiência. Ela é toda meiguinha, um doce… Às vezes, geniosa. Porém, essas frases surgindo na tela sem o risinho dela, o tom de voz, o jeito apressado de falar, o volume aumentando a ponto de eu pedir pra “diminuir o volume”… Nada disso veio junto. Parecia outra pessoa. É, foi estranho.

Esse universo tecnológico facilitou nossa vida. Aproximou-nos. Com algumas pessoas, ficamos meses sem ouvir a voz, sem falar pessoalmente, porém conversamos todos os dias. A distância parece não existir. Temos impressão até que a pessoa está sempre por perto. Mas… Não, não está. E chega a ser curiosa a reação que temos quando estamos pertos: faltam assuntos. Eles sobram aqui, faltam quando estamos diante do outro.

O amigo da tela vira estranho. Parece não existir intimidade. Talvez por isso, quando o inverso também ocorre, quando a relação é tão próxima no dia a dia – como um pai com uma filha –, as marcas da frieza do universo online se tornem mais evidentes.

Essa experiência me fez pensar um pouco nisso. Talvez seja necessário começar a transformar amigos do mundo virtual em amigos reais. Experimentar sensações que só o calor humano, as percepções dos cinco sentidos nos possibilitam.

Anúncios

Na segunda, uma música

Gosto das músicas italianas. Parece-me que há um toque diferente na interpretação, intensidade na poesia, amores mais vividos e sentimentais em suas canções. Por vezes, quase dramáticas. Entretanto, com algumas exceções, os cantores italianos raramente aparecem na mídia nacional. Talvez por isso conhecemos tão pouco da beleza de suas músicas e de seus artistas.

Hoje, compartilho uma canção de Arisa, que faz parte da nova geração. Natural de Génova, Arisa nasceu Rosalba Pippa, em 1982. Embora revelasse talento para a música desde a adolescência, a cantora só atingiu o sucesso em 2009.

La Notte” é a música que escolhi para ouvirmos. Espero que gostem.