Crentes, modernos e na moda

Rabugento como sou, raramente acho graça dessas bobagens que o pessoal inventa e compartilha no Facebook. É muita besteira pro meu gosto. Mas gostei desta “campanha” aqui.

Embora bastante simples, uma leitura sensata das imagens permite refletir sobre o estereótipo que se tem dos evangélicos. A proposta é questionar a Globo. Mas esse estereótipo não é apenas da emissora carioca. Muita gente ainda vê o evangélico como alguém que não sabe se vestir, que tem mau gosto, só sabe falar de Bíblia… Como se fosse uma gente sem cultura.

É verdade que existem crentes assim. Mas o cristão é gente; É como qualquer outra pessoa. E pode vestir-se bem, frequentar bons lugares, ouvir boas músicas, ler bons livros, ter amigos… Enfim, viver. Ele não é refém da religião. É livre.

Uma vida de fé não é uma vida alheia ao mundo, ao que é bom. E, como em qualquer segmento da sociedade, tem gente que sabe viver e aproveitar o melhor da vida e tem gente que não sabe. Simples assim.

Pra ser preconceituoso, não é preciso ser cristão. Pra discriminar pessoas, idem. Vale o mesmo para o jeito de se vestir, para os cuidados com o corpo etc.

Tempos atrás, por exemplo, descobri a página de uma jornalista que passei a admirar. Ela é jovem, descolada e… cristã. Ela criou o blog Bonita Adventista. Na página, tem dicas de beleza, de estética facial, corporal… e moda. Nada mais contemporâneo.

Portanto, tem sim muitos evangélicos resistentes à moda, aos valores estéticos (como tem gente resistente a um monte de coisas nessa vida). Mas estas são pessoas que ainda acham que fé se traduz no tamanho da saia, num rosto sem maquiagem ou na camisa de manga longa e fechada até o pescoço. Entretanto, identificar todo um segmento – diversificado como são os evangélicos nos dias atuais – por uma única imagem é perpetuar um estereótipo – que, como o termo diz, o estereótipo distorce a realidade.

Anúncios