Não fale de seu relacionamento para os outros

O “desgraçado” de hoje é gatinho, fofinho, lindinho, amorzinho… amanhã

Dias atrás, num papo com amigos, saiu aquele velho ditado:

– Em briga de marido e mulher, não se mete a colher.

A conversa girava em torno de problemas familiares – marido e mulher, pais e filhos etc. E, claro, do potencial explosivo que existe na interferência externa nesses conflitos domésticos. Afinal, basta alguém de fora tentar interferir para que os membros da família se defendam e o outro, o de fora, torne-se “persona non grata”, inimigo.

Entretanto, observo que muita gente parece gostar de entregar a “colher” para o outro. Parece desejar quem alguém dê palpite.

A mulher briga com o marido e corre contar para as vizinhas. Vai lá chorar as mágoas. Tem problema com o parceiro e vai se lamentar com a mãe. A garota sente-se ofendida pelo namorado e entrega o “desgraçado” para os pais.

O problema é que o “desgraçado” de hoje é gatinho, fofinho, lindinho, amorzinho… amanhã. E aí a confusão já está feita, porque pais e amigos não convivem com o casal, não vivenciam a relação. E, por isso mesmo, provavelmente tomarão partido. A imagem que vão construir do outro é justamente aquela que você ajudou a formar nos momentos que estava magoada, ofendida.

Relacionamentos têm conflitos. Os conflitos fazem parte da dinâmica da convivência. É impossível não haver confusão entre duas pessoas que se amem. Até pra “negociarem” as diferenças, fazerem-se respeitar, tem que haver o conflito. No entanto, quando o problema do casal transcende as quatro paredes, pode ter desdobramentos inesperados – e não muito desejados.

Particularmente, entendo que nossos conflitos cotidianos não devem ser compartilhados com pais, amigos, colegas de trabalho… Gente de fora só deve ser convidada a participar do cotidiano do casal, de seus problemas, quando são pessoas maduras e experientes. Devem ser pessoas com a isenção necessária para avaliar o quadro sob todos os aspectos, analisar as partes envolvidas e levar os “briguentos” a encontrarem as soluções para seus problemas – sem dar razão pra nenhum deles. Ainda assim, o ato de contar deve ser combinado, conversado. Não pode ser unilateral.

Diferente disto, entregar a “colher” pra gente que não vive o cotidiano do relacionamento é amplificar os problemas e ainda ferir a reputação do parceiro. Portanto, antes de falar de seus problemas para alguém, morda a língua.

Anúncios

13 comentários em “Não fale de seu relacionamento para os outros

  1. Boa tarde Ronaldo! esse texto me chamou atenção, pois traz um componente, que bem utilizado, pode sim auxiliar casais em crise. Quando duas pessoas encontram dificuldade em conversar, dialogar, discutir a relação (famosa D.R), muitas vezes precisam de platéia para que isso aconteça, bem, é ai que entra a grande possibilidade de se ter uma ação assertiva, então essa minha fala não vai propriamente para os casais, mas sim para aqueles que por um motivo ou outro são “usados” como platéia, sabe o que devemos fazer em um momento como esses? OUVIR, as vezes o que uma pessoa precisa é apenas um par de ouvidos que a ouça, se vc quiser ir além, tente retirar um ponto positivo e um negativo de cada um dos membros envolvidos, mas não seja partidário, o partidarismo faz com que a pessoa se sinta em reforçada, e o que muitas vezes dificulta a mesma olhar para o ponto de vista de seu cônjuge. Há! e é claro, se a situação exigir, aconselhe para que o casal busque uma ajuda profissional, a terapia de casal pode e deve nesse momento de conflito, auxiliar a cada um a “ver” o ponto de vista do outro,e assim chegarem a um consenso.

  2. Achei muito boa a matéria, acredito que para um jovem casal é muito importante terem como amigos um casal mais maduro e que tenha um relacionamento saudável, aos quais possam pedir conselhos. Penso que devemos evitar lavar “roupa suja” fora de casa.

  3. Boa tarde professor, eu acredito que esse é um texto que levanta muitos questionamentos. Em briga de marido e mulher nunca devemos nos envolver, até porque em alguns casos além de claro, a pessoa ferir a reputação do parceiro para terceiros, algumas pessoas que acabam dando palpite, ou conselho sobre determinado assunto, podem virar a vítima do problema se o casal se “entender” sozinho. É o famoso ditado “Se conselho fosse bom..” E mesmo quando solicitado, se tratando de um casal, toda discrição e cuidado com as palavras é pouco.
    Beijos

  4. Grato pelo artigo, pois agora posso entender porque minha sogra me encheu de defeitos bobos e casou-me um transtorno desnecessário.

  5. Beiguei com meu marido e ele foi comentar com a filha dele de outro casamento vê se pode….ela vive me dizendo que o sonho dela é ver os pais casados de novo estou com ele a 21 anos eu não aguentooooo oque vcs fariam no meu lugar…..um grande abraço

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s