Quando eu aposentar…

Embora esteja longe de me aposentar, este é um assunto com o qual sempre me importei. Talvez por acompanhar o drama de gente muito próxima que, mesmo depois dos 70 anos, ainda não conseguiu o benefício da Previdência Social.

Sei que muita gente jovem não dá atenção ao assunto. Outros, mesmo na casa dos 30 ou 40 anos, seguem trabalhando, vivendo… E nem se preocupam com o recolhimento mensal de INSS. Acham que ainda é cedo, que no momento certo as coisas se ajeitam… Ignoram que a legislação atual é cada vez mais rigorosa (dificultando o acesso ao benefício) e que vai chegar um dia em que precisarão deixar de trabalhar.

Quando isso vai acontecer? Bom, depende de cada um. Da saúde, condição física… e até mesmo da motivação e capacidade de desempenhar suas funções.

No Brasil, as regras atuais são rigorosas, mas ainda preveem o pagamento do benefício numa idade em que as pessoas estão relativamente jovens, vigorosas. Por isso, até dá pra fazer planos sobre o que fazer depois de aposentadas. Inclusive, continuar trabalhando.

No entanto, com o envelhecimento da população – as pessoas estão vivendo mais -, a idade mínima para aposentaria deve aumentar. As mudanças podem não ser agora, mas vão acontecer. Na Alemanha, por exemplo, um importante político recentemente defendeu que as pessoas trabalhem até os 80 anos.

Temos que aceitar o fato de que os alemães têm que trabalhar por mais tempo. É a consequência lógica da mudança demográfica. Quem quiser e puder deve seguir trabalhando até os 75 ou mesmo 80.

A fala é do ex-ministro da Economia, Wolfgang Clement. Ele mesmo com 72 anos.

Como nasce menos gente, a população vive mais e os sistemas previdenciários (no Brasil e noutros países) são deficitários, a lógica é mesmo essa: trabalhar mais tempo. É preciso manter a máquina econômica funcionando (menos jovens, menos mão de obra, né?). E a máquina precisa de trabalhadores. Afinal, no sistema capitalista é isso que somos: mão de obra e consumidores. Quando a gente deixa de ser mão de obra e consumidor, a gente não serve pra mais nada.

Outro aspecto que deve motivar as mudanças nas regras previdenciárias é o tempo de recolhimento. A moçada estuda mais e entra mais tarde no mercado de trabalho. Logo, não tem muito sentido começar a trabalhar depois dos 20 anos e se aposentar antes dos 60.

Entretanto, por vezes, fico pensando: e a nossa vida? Que liberdade temos de escolher o que fazer – se é trabalhar, estudar, viajar etc etc? Tudo bem, eu trabalho em coisas que gosto. Tenho prazer no que faço. E pretendo parar de trabalhar apenas quando morrer – ou se tiver algum impedindo físico ou cognitivo. Mas, veja bem, quando chegar aos 60 anos, terei trabalhado por 47. Parece-me justo que o Estado devolva um pouco do que recolhi de impostos. E não estou falando apenas de recolhimento para Previdência. Afinal, como consumidor que sou, quanto de tributos já terei recolhido ao longo desses anos todos? Penso que será o momento de o Estado devolver um pouco do que dei a ele em forma de trabalho, geração de riquezas e pagamento de impostos. E, com isso, tenho o direito de ter o benefício da aposentadoria… escolhendo o que vou fazer. Trabalhar menos, por exemplo. Trabalhar quando quiser. Ou nem trabalhar.

Bom, como eu disse, pouca gente se importa com esse tema. Sei que mesmo por aqui, compartilhado no blog, o post não despertará tanto interesse. Mesmo assim, quis dividir o assunto com os amigos. Acho que este é um tema que deveria nos fazer pensar. Trata-se de algo muito nosso, muito particular, mas que passa por decisões políticas também. Deveríamos planejar o futuro, quem sabe – se houver tempo para isso – fazer uma previdência complementar (privada) e, principalmente, observar o discurso de nossos representantes. Eles podem decidir nossa vida sem que percebamos – inclusive se teremos que trabalhar até os 80 anos, para só depois nos aposentarmos.

Anúncios

Um comentário em “Quando eu aposentar…

  1. pena queno Brasil importan-se mais com o recolhimento de impostos do que concientizar a população para uma cultura previdenciaria como forma de investimento,surge imenso interesse em concursos publicos visto a carreira e estabilidade alem da facilidade de direito que este proporciona em relação a iniciativa privada. concientizem jovens hoje e prejudiquem o cabide de amanhã.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s