Sexo na terceira idade

Embora estudos recentes apontem que idosos sentem desejo e haja, inclusive, um esforço de cientistas para provar que “velho” também tem o direito de manter uma vida sexual ativa, ainda há muito preconceito. Diríamos, por parte dos mais jovens, até um certo nojo. Os filhos, principalmente, olham para seus pais, quando estes já estão na terceira idade, e não admitem que possam manter um relacionamento sexual. É como se fossem assexuados.

Até os dias de hoje, verifica-se uma pressão social, especialmente de filhos e netos para que os seus velhos se mantenham ‘em seus lugares, ‘se enxerguem’, ‘tenham auto-crítica’.

Um pesquisador, ainda na década de 1980, já ressaltava que há uma espécie de mito: sexo, amor e casamento seriam coisas da juventude. Portanto, proibidas para os mais idosos. “Os mais velhos devem fechar as portas da aventura, do romance, abrindo-as tão somente para a virtude”. Por isso, nas ruas, ao notarmos um casal jovem trocando carinhos – ou mesmo, beijando-se -, não achamos anormal. No entanto, se na mesma cena substituirmos os personagens por pessoas idosas, haverá uma reação de surpresa, talvez até de incômodo.

Um estudo de mestrado realizado por Marilu Chaves Catusso, concluído em 2005, ouviu idosos em Palmas, no estado do Paraná. A assistente social colheu depoimentos interessantes. Ao falar sobre a busca de um parceiro, alguém com quem se relacionar sexualmente, alguns chegaram a dizer: “Os netos não acham bom, os filhos também não, então a gente não procura”, ou simplesmente “a família não quer” .

Essa é uma crença histórica, internalizada até mesmo pelos próprios idosos. E a mulher tornou-se a principal vítima desse modelo social. De alguma maneira, aos homens foi dado o direito de se relacionaremsexualmente. No passado, mesmo casados, era aceito que tivessem amantes mais jovens quando as esposas deixavam de ter vigor e beleza. Hoje, não é muito diferente. São cada vez mais comuns os relacionamentos entre homens mais velhos e mulheres jovens – agora, de maneira oficial. Eles, portanto, divorciam-se e se casam novamente. Já as mulheres idosas sofrem mais preconceito. Se demonstram interesse sexual, vontade de se relacionar, são vistas como “velhas assanhadas”.

Entretanto, ainda que essa visão tenha sido internalizada por muitos idosos, o desejo sexual não se perde com o avanço dos anos. Não há um tempo determinado para pôr fim ao prazer, a busca pela satisfação do corpo.

Mesmo que silenciadas por costumes históricos, as mulheres também sentem necessidade de manter relações sexuais. E, por serem obrigadas a abandonarem a atividade sexual, por vezes, desenvolvem algum tipo de sofrimento psíquico.

Portanto, numa sociedade que se diz livre, penso que está na hora de rompermos com alguns mitos. O sexo na terceira idade faz tão bem quanto faz ao jovem – talvez até mais, porque os mais velhos contam com experiência e se machucam menos. Não há vergonha em admitir isso. Muito menos, em aceitar que as pessoas vivam plenamente a sexualidade em qualquer idade.

Anúncios

Um comentário em “Sexo na terceira idade

  1. Parabéns! A forma simples e singular, que detalha com firmeza a pratica do viver nessa mensagem é encantador…
    Estou conhecendo seu blog e minha primeira leitura “Agente só quer um dengo” foi postado no facebook por uma pessoa da minha familia que mora em Maringá. Obrigada pela riqueza de conteúdo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s