Relacionamentos mal resolvidos

Quando termina, termina? Não. Quando um relacionamento acaba, ainda há pendências. Pode não ter mais nada pra falar, mas raramente a pessoa está pronta para assumir um novo romance. Claro, há exceções. Mas geralmente são nos casos em que um novo amor existia antes mesmo de ser oficializado. Mesmo assim, ocorrerão desconfortos e o início de uma nova história não será calma.

Às vezes, o amor acaba. Outras vezes, o relacionamento fez tão mal que machucou, fez sofrer e, terminar, alivia. Entretanto, como regra, o coração precisa de um tempo. Tempo para cicatrizar.

A gente não é máquina. Num aparelho, quando uma peça estraga, é só trocar, substituir. Gente é diferente. Não funciona assim.

Quem começa um romance sem ter esperado, sem ter tudo resolvido, corre o risco de se machucar de novo. A pessoa que chega encontra uma “casa suja”. Pode ter raiva, mágoa, decepção, desejo de vingança e até desejo, amor, carinho… escondidos entre outros sentimentos. O “falecido” ainda está ali. Talvez a presença não seja física, mas está no coração. As recordações são frequentes. Sem contar os objetos que podem estar espalhados pela casa, pelas gavetas, guarda-roupas… Um contato ou outro pelo telefone, facebook… nem que seja pra brigar ou pedir explicações.

O novo amor tem que disputar espaço com os cacos, fragmentos que restaram do relacionamento antigo.

Por isso, a chance de dar certo é pequena.

Sei que quase sempre, quando uma relação acaba, tudo que a gente quer é se reconstruir logo, começar de novo. E se envolver com outra pessoa parece ser a melhor estratégia. Porém, a pressa para “engatar” outro relacionamento só mostra o quanto ainda se está apegado ao passado. Um novo relacionamento vira fuga. A pessoa que chega torna-se a substituta. E o pior: o passado mal resolvido volta pra cobrar a conta e desestabiliza o presente.

Paciência é o segredo. Não custa esperar. Se tiver que discutir com o ex, discuta; se tiver que rasgar as cartas, rasgue (isso é importante em todas as situações; quem mantém recadinhos, de alguma forma, não se livrou do passado); se for preciso devolver os presentes, devolva; enquanto tudo for recente, evite ambientes que frequentavam. Limpe as gavetas do coração. Quando o outro não arrancar mais suspiros e nem provocar ódio, o coração está pronto. Já há espaço para um novo amor.

Anúncios