Na segunda, uma música

A música é linda… Mas gosto, especialmente, da última frase: “nunca me canso de você”. Find Me é uma das canções da banda Boyce Avenue. Embora não figure entre as mais badaladas, a banda tem um som agradável, músicas bem feitas e consegue traduzir em algumas músicas a expressão máxima dos sentimentos humanos.

Na música de hoje, esse grupo formado por três irmãos fala de um amor bonito, daqueles que nascem sem querer e a gente não quer admitir. No começo, tenta até esconder.

Tantas noites tentando esconder
Mas agora eu fico acordado implorando por mais
Pensar que esse coração estava dividido
Eu estou perdendo o sono porque eu não posso ignorar …

Entretanto, após se entregar a esse sentimento tão belo, fica a certeza de que foi a melhor escolha. E tudo que se deseja é que seja pra sempre.

Agora eu estou me perguntando onde você sempre esteve
Cegamente, eu vim para você
Sabendo que você respiraria uma vida nova de dentro
[…]
Eu quero estar onde você está

E acho lindo quando diz:

Você é a vontade que me faz forte
Faça-me forte

Bom, que tal ouvir?

Anúncios

Humberto Henrique, de novo ele

Quatro anos escrevi o seguinte post:

Humberto Henrique… o vencedor

O que posso dizer agora? Acho que poderia repetir o texto. Humberto conquistou o terceiro mandato. E, de novo, ampliou a base eleitoral. Conquistou mais votos. E não foram poucos. Foram quase 1,5 mil novos votos.

Veja:

Em 2004, foram 2.112;
Em 2008, 3.681;
Em 2012, 5.184.

Nenhum outro obteve tanto crescimento. As urnas mostraram claramente que o petista foi aprovado pelos eleitores maringaenses. O trabalho de Humberto na Câmara de Maringá conquistou os eleitores. É respeitado. E ele faz exatamente aquilo que se espera de um legislador: é crítico, fiscaliza, é coerente, estuda os temas que são votados na Câmara, debate… e não faz oposição irresponsável.

Os números garantem ao parlamentar o direito de se colocar como nome natural do PT nas próximas disputas para o executivo maringaense. Ou, antes disso, daqui a dois anos, de pleitear uma vaga na Assembleia Legislativa do Paraná.

Por sinal, não apenas Humberto, mas a oposição feita pelo PT no Legislativo foi aprovada pelos maringaenses. Mário Verri também segue em crescimento.

Em 2004, foi eleito com 2.523 votos;
Em 2008, subiu 3.077;
Em 2012, 3.667.

E o partido ainda ganhou um terceiro vereador, Carlos Emar Mariucci – uma liderança popular, que já mostrou ser combativo quando, por exemplo, nos últimos meses mobilizou empresários da região da Morangueira contra o modelo de corredor exclusivo para os ônibus do transporte coletivo.

Câmara de Maringá se renova. Ou não?

Difícil responder, né? Mas a Câmara de Maringá não será mais a mesma a partir de janeiro de 2013. A começar do presidente. Mário Hossokawa foi muito bem votado – o quarto, para ser mais exato -, obteve mais de 3,8 mil votos, porém ficou de fora. O partido dele, o PMDB, não fez legenda. Ou seja, não elegeu ninguém.

Ontem, antes do início da apuração, eu havia apostado na reeleição certa de quarto parlamentares. Os quatro seguem na casa: Humberto Henrique, Mário Verri, Belino Bravin e Flávio Vicente. E mais dois, que também havia apontado como tendo chances: Doutor Manoel e Márcia Socreppa.

Os outros nove são novos. Dois já exerceram mandato, mas não fazem parte da atual legislatura: Ulisses Maia e Chico Caiana.

Vejamos a lista e o número de votos:

Ulisses Maia (PP) – 6.476 votos (foi o mais votado da história de Maringá)
Humberto Henrique (PT) – 5.184
Negrão Sorriso (PP) – 3.958
Mário Verri (PT) – 3.667
Flávio Vicente (PSDB) – 3.418
Bravin (PP) – 3.214
Márcia Socreppa (PSDB) – 2.617
Tenente Edson Luiz (PMN) – 2.406
Luciano Brito (PSB) – 2.014
Doutor Manoel (PC do B) – 1.983
Carlos Emar Mariucci (PT) – 1.956
Capitão Ideval (PMN) – 1.900
Luiz Pereira (PTC) – 1.832
Chico Caiana (PTB) – 1.673
Adilson do Bar – 1.522

Esses os nomes que estarão na Legislatura 2013-2016.

Um fato chama a atenção. Embora as bancadas da base aliada e da oposição tenham se mantido – 11 contra 4 vereadores -, os vereadores da situação foram reprovados nas urnas. Apenas 3 voltaram. Já a oposição, ao que parece, foi aprovada pelo eleitorado. Apenas Marly Martin não garantiu a reeleição (conquistou pouco mais de 1,5 mil votos). No lugar dela, entra o petista Mariucci.