A gente para pra ver Avenida Brasil

A Globo estima em 38 milhões de espectadores. Cá com meus botões, tenho a impressão que o público chega a ser maior que isso. Afinal, ainda que de forma indireta, boa parte da população brasileira acompanha a atual novela das nove, Avenida Brasil. Até a presidente Dilma estaria interessada em ver o capítulo final.

Eu, por exemplo, não devo ter assistido, ao todo, uma hora dessa novela. Entretanto, sei o nome dos principais personagens. E conheço boa parte da trama.

Não preciso gastar tempo para isso. Basta abrir a página da Globo em busca de notícias. Dois ou três destaques do site estão relacionados à novela. Quando acesso a Folha de São Paulo, encontro comentários e informações sobre os capítulos. Nas revistas semanais, vez ou outra há notas tratando do enredo e até das discussões propostas pelo autor.

E agora, chegando ao final de Avenida Brasil, as notícias se intensificam. Carminha, Nina, Tufão, Suellen etc etc são nomes que aparecem em todos os lugares. E ainda tem o Max, morto em capítulo da semana passada.

O brasileiro gosta de novela. Não existe um produto televisivo com maior poder de atração. Mais que divertir, o gênero pauta as conversas cotidianas. Por isso, a imprensa retrata o desenrolar da trama. Afinal, não basta assistir. É preciso saber das novidades antecipadamente, conhecer os personagens e até acessar fofocas dos bastidores.

Uma novela termina, outra começa… E por mais oito ou nove meses fará parte do cotidiano de milhões de pessoas.

Novela é diversão barata. Num país pobre, e de hábitos culturais pouco refinados, acaba tendo até função social, já que serve como instrumento para discutir valores sociais, questões de gênero, sexualidade, política… Até fornece informações sobre o próprio país e o mundo. Muito do que se conhece sobre Rio, São Paulo, Salvador… Índia… se conhece pelos cenários das novelas.

Os críticos acham isso muito pouco. Até entendem que, por não retratar a realidade, as novelas prestam um desserviço à população. Em partes, discordo da tese.

Entendo que novelas anestesiam o público. Mas a passividade social não é culpa da televisão. É falta de educação.

Avenida Brasil e outras tantas novelas são o que são por causa do nosso povo, da nossa gente. Este gênero televisivo só tem espaço na grade da TV brasileira porque tem público, tem pessoas que gostam de assistir. Prendem-se por meses a uma trama e aguardam durante todo esse tempo o desfecho dos personagens. É uma opção das pessoas. A televisão apenas oferece um produto que agrada o público e que o leva a conversar sobre a Carminha como se estivesse falando daquela tia megera ou da vizinha malvada, que judia dos animais.

Você vai ao restaurante e escuta alguém na mesa ao lado falando dos lances mais recentes da novela. Na fila do banco, duas amigas animadas criticam a Nina como se falassem de uma pessoa da família… E é bem assim que funciona: nas novelas, os personagens se tornam parte da família brasileira. Foi assim com Avenida Brasil, como foi no passado com Roque Santeiro, Vale Tudo, Terra Nostra… Como ainda será com outras tramas que farão parte do nosso cotidiano.

E isso não é bom e nem ruim. É só reflexo dos nossos hábitos culturais.

Anúncios

7 comentários em “A gente para pra ver Avenida Brasil

  1. Eu não parei para ver nenhum capitulo,vi pedaços em alguns lugares que eu estava,mas pela mídia agente acaba sabendo mesmo sem querer.Eu já fui muito noveleira no passado,e a muito tempo percebi que isso é uma perda de tempo,e deixei esse hábito.Assistir novela nunca me trouxe nada de bom,hoje prefiro programas que me tragam algum conhecimento bom,pra me fazer ser melhor que eu sou,a cada dia.O mundo já ta muito ruim,e as novelas só ajudam a piorar mais as coisas.Aquilo que assistimos influencia na nossa vida e muito.Sem perceber,vamos moldando os nossos pensamentos,nossas atitudes,nossa maneira de ver o mundo, conforme aquilo que assistimos e/ou ouvimos.Por isso eu não perco mais o meu tempo com essas coisas a muito tempo,mas não julgo quem gosta.Cada pessoa por si só decide o que quer ver ou ouvir,e eu respeito outras opniões diferentes da minha.

  2. Sim, você tem razão neste texto tão bem escrito.
    Eu também, como você, sei dos personagens de tanto que ouço falar no face, na tv, nas mídias em geral, mas nunca me sentei diante da tv para assistir um capítulo inteiro da mesma. Não me atrai este tipo de trama onde troca-se de casais mês a mês, falam aos berros e mostram o modo de viver de um nicho dentro da grandeza de uma cidade. Agora a dona Globo resolveu investir em comunidades, favela dá ibope, chama atenção e eles querem agradar a todo custo esse público e que é enorme aqui no estado e agora fora dele. E daqui a pouco tem aí dona Glória Perez com um tema até interessante e que gostaria de ver, mas não sou capaz de acompanhar todos os dias este negócio. Prefiro minhas leituras, internet ou outra coisa mais interessante que novelas.
    abraço carioca

  3. Não assisto a nenhuma das novelas da Tv e de qualquer emissora. Sei que posso ficar viciada, pq já assistí há muito tempo atrás e fiquei muito viciada. Foi uma luta contra mim mesma p vencer esse mal.. Não foi benéfico p minha vida pessoal, familiar, espiritual, mental, emocional, social e educacional. Hoje sou mãe e não quero meu filho vivendo em harmonia com estórias inventadas e, que não vão acrescentar em seu aprendizado. Concordo qdo diz que as pessoas ficam como que reféns da trama. Deixam outros valores familiares de lado, livros, etc. Nesse horário, das nove horas as famílias deveriam estar compartilhando do seu dia uns com os outros e se prepararem p o descanso. Enfim outro dia está por vir. Assistindo, vão p o leito com a mente embotada de “lixo” televisivo. Acordam estressadas, nervosas, sono perturbado e começa um dia onde qualquer um pode ser um limite emocional para seu próximo, contribuindo para as estatíisticas de crimes, etc.

  4. Interessante sua reflexão. Gostei do texto mas tenho minhas dúvidas se o povo é tão sujeito de si como aparece em seu texto. Obviamente a novela é bem recebida pelo público, mas penso – para utilizar a imaginação sociológica – que esta “paixão” pela novela é em boa parte construída pela própria empresa transmissora, além do que é praticamente a única alternativa de entretenimento para as camadas mais baixas.

  5. Novelas tem um poder de influencia enorme na população e essa influencia é na grande maioria das vezes negativa e vulgar. Não é atoa que muita propaganda é colocada no meio da historia. Como se ja nao bastasse isso ainda vemos propaganda esquerdista marxista cultural, com um conteudo direcionado a destruir a cultura conservadora e colocar a progressista no lugar. Entao infelizmente nao é “apenas uma historia” mas uma ferramenta poderosa de engenharia social, pois é vista por milhoes de pessoas de forma simuntanea. Fico imaginando as vezes essas cenas de histeria sendo vistas por crianças e adolescentes nas partes mais miseraveis desse mais… que referencia elas tem? O fato é que as telenovelas tem um poder enorme de influencia, diante disso, aos jogadores, as cartas…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s