Cadê o meu tempo? O Facebook comeu

Vivo a constante angústia de tentar aproveitar melhor cada minuto do tempo. Por isso, todas as vezes que faço autocrítica, descubro pequenas coisas que roubam segundos preciosos. Tempo que poderia ser investido em coisas mais produtivas.

O Facebook, por exemplo, é um dos ladrões do tempo. Meu e de muita gente. Uma recente pesquisa feita pela empresa de consultoria Delloit apontou que ficamos cerca de 32,5 horas na internet por semana. Isso é quase quatro vezes mais que a média de tempo que se gasta diante da televisão. O estudo ganhou o nome “O futuro da mídia”.

Ontem, ao encontrar uma pessoa, questionei-a:

– Por que você fechou a conta do face?

A resposta foi sincera e bem objetiva:

– Gastava tempo demais navegando à toa e já não produzia mais nem no trabalho.

Ela continuou:

– Depois que saí do face, consegui fazer todos os trabalhos de faculdade e estou na metade do segundo livro.

Faz menos de 20 dias que ela desativou o perfil na rede social.

Lembrei agora de outra situação. Meu filho está estudando para o PAS – Processo de Avaliação Seriada – da UEM. Embora tenha obtido uma nota satisfatória no ano passado, o Victor quer superar o resultado de 2011. Por isso, está estudando bastante.

Dia desses, encontrei o notebook trancado no armário do banheiro. Fui “investigar” o motivo e descobri: o rapazinho “escondeu” o computador. Ele resumiu:

– Se deixar o notebook por perto, vou abrir o Facebook. Aí, não estudo.

Em casa, no trabalho ou na escola, muita gente tem se perdido nas redes sociais. Fica navegando sem rumo, curtindo uma coisa aqui, comentando outra ali, compartilha um ou outro conteúdo… Ou, simplesmente, olha. Olha pro nada. Ao fim do dia, se você perguntar o que ela aprendeu de novo, viu de interessante, provavelmente a resposta será… nada.

O Facebook e outras redes sociais, além dos sistemas de bate-papo, tiram nossa atenção. A gente se entretém. Ficamos diante da telinha e vamos do nada pro lugar nenhum.

Sabe, embora seja um gostoso passatempo, acho que a gente precisa avaliar as prioridades. Se está faltando tempo pra algumas coisas, talvez seja porque ficamos demais nas redes sociais. Não penso que seja necessário encerrar a conta como minha amiga. Mas, reconhecer que estamos viciadinhos e precisamos moderar, pode ser um primeiro passo.

Brinco sempre: a internet não é ruim. Apenas precisamos usá-la a nosso favor; não contra nós.

Anúncios