Pais que matam seus filhos

Procuram-se pais que amem seus filhos, que os tornem prioridade em suas vidas

Eu pedi pra papai do céu pra me levar no seu lugar. Mas ele te escolheu porque você será um anjo mais belo e puro. Esse mundo terrível não é digno de você.

Confesso, dói ler essa declaração. Machuca. É de um pai. Um pai culpado. Culpado pela morte de uma menina de apenas dez meses.

É provável que você tenha lido a notícia. O comerciante Clóvis, 29 anos, morador de Volta Redonda, esqueceu a filha dentro do carro. A menina ficou no veículo quatro horas. Não resistiu ao calor. Morreu. Foi quinta-feira passada, 8/11.

O pai deixou a pequena Manuella dormindo no banco traseiro. Foi almoçar com amigos e, em seguida, passou num cartório. Só percebeu que a havia esquecido quatro horas depois.

Na sua página no Facebook, publicou a mensagem que reproduzi parcialmente. Não vou discuti-la. Analisá-la. Confesso que, como pesquisador do texto e do discurso, sinto vontade de desconstruir o que ele escreveu. Porém, falar desse pai não vai mudar nada. Não vai trazer a menina de volta. A garotinha, inocente, morreu. E, sim, o mundo era digno dela. Talvez seu pai é quem não fosse. Mas… prometi não falar dele.

Entretanto, algo me incomoda. O que esse pai fez não é fato inédito. Não foi o primeiro nem será o último. Já vimos notícias envolvendo mães também. O que mostra que não são os homens, apenas eles, o gênero desprovido de sensibilidade.

Esquecer uma criança no carro é ignorar a presença de um filho, a sua existência. Muitos não estão esquecidos no banco de trás. Estão abandonados dentro de casa. Não são notados.

Os pais, engolidos pela rotina, pela correria do dia a dia, não percebem que seus filhos existem. Que carecem de atenção. Crianças e adolescentes não morrem dentro do carro, mas estão mortos para a família. Não são consumidos pelo calor; estão congelados pela falta de calor humano. São vistos apenas quando os problemas se avolumam e os filhos se tornam problema. Ou “aborrecentes”, como alguns preferem classificar os monstrinhos que eles próprios criaram.

Filhos esquecidos são sintoma de um tempo de desamor. E de prioridades invertidas. Nossas ocupações ganharam o topo da lista. Por isso, queremos crianças pacíficas, boazinhas. Eles não podem incomodar, chorar. Queremos colocá-los no mundo quase por capricho. São lindinhos, gostosinhos… Dá vontade de morder, né? São brinquedos de adultos. Porém, quando somos confrontados com a realidade e com o esgotamento que eles trazem, achamos que os nossos filhos são um problema. E eles passam a ser responsabilizados por nos darem trabalho.

Sabe, nem todos estão preparados para serem pais. Na verdade, penso que hoje alguns poucos são altruístas o suficiente para dividirem, compartilharem, se doarem. Para serem pais. Somos egoístas, competitivos, gananciosos. Não há muito espaço para viver por alguém. Talvez por isso filhos morram trancados dentro de carros. Ou… dentro de nossas casas, debaixo de nossos olhos.

Anúncios

14 comentários em “Pais que matam seus filhos

  1. Olha só: a atitude não tem justificativa, claro. A culpa q essa pessoa está sentido eu jamais queria carregar! Mais isso tem um nome: rotina. E ela é traiçoeira. E faz isso acontecer, infelizmente. Se o pai q nunca havia levado a menina, o ato ñ fazia parte da rotina dele. E isso é complicado porque leva à outra reflexão proposta no texto: o esquecimento e falta de atenção aos filhos q permanecem vivos. Sou mãe de apenas um. E talvez por ter a consciência que um filho necessite resisto a ter outro apesar dos pedidos do meu filho em querer ter um irmão…enfim, como estou formando um ser humano e preciso trabalhar e eles querem atenção não sei se é justo colocar outra pessoinha no mundo dependente de mim…

  2. Amo seus textos,e este em especial é comovente e infelizmente uma realidade que está cada vez mais frequente.Sou mãe de duas meninas e não consigo imaginar como um pai ou uma mãe “esquece” seus filhos…as vezes eu lembro que naquele momento não estão comigo,ai paro de procurar…rsrs

  3. Ronaldo

    Realmente é lamentável que o que dá ibope ou vai ao ar nos nossos noticiários seja apenas crianças esquecidas no banco de trás do carro, haja vista que a causa a grande desordem social é causada por crianças esquecidas dentro de casa…
    Um abraço.

  4. acho um pouco leviano questionar o amor desse pai.Ele não precisa de ninguem que o acuse,porque ele mesmo tem feito isso.Esquecer a filha no carro,uma fatalidade.Eu mesma já me esqueci de buscar meu filho no ingles.E se fosse esquecido no carro?Nem por isso o amo menos.Tenho 4 filhos,e de alguma maneira já me esqueci de alguns deles em determinafas situações…mas em momento algum meu amor foi questionafo por eles ou por mim.Esse pai precisa do perdão da sociedade,pq o de Deus,com certeza ele já tem

    1. Concordo plenamente com vc Silvia, e sei que ele sofreu mais que todos. foi ele que se entregou a policia, ele queria que o matassem; Recriminar esse pai é muito facil, dizer que ele é isso ou aquilo, quero ver sentir a dor que ele sentiu e vai levar pro resto da vida com ele. Q pai em sã conciencia esqueceria seu filho dentro do carro a ponto de o mata-lo??!!

  5. Infelismente, vivemos num mundo de cobranças diarias de status, de corre corre e aparências e para isso temos que suprir necessidades financeiras, cada vez mais caras e exigentes, e ainda dar atenção a família. Por isso, na minha opnião não concordo com mães, não mulheres, mas mães trabalhando, os filhos são criados em grupos e por estranhos, na sua primeira infancia na formação de seu carater perdem sua individualidade e se tornam estranhos aos pais mais tarde. Seu aprendizado foi com outra pessoa, com quem aprendeu a andar, falar e escrever, qual foi o papel da mãe na sua vida? levar pra creche e pagar a conta, depois fica dificil, resgatar memórias, convivência e o amor materno lá da infância, de pegar no colo, que nunca teve.

    1. A questão que você propõe é bastante polêmica, caríssima. Mas certamente os filhos são os grandes beneficiados por mães que preferem dedicar sua vida a criá-los. Sempre bem vinda por aqui.

  6. Coitadinha. Vitima de abandono. Mundo cruel, gente sem piedade que adoram ver gente boas a sofrer. So Deus sabe, So Deus…Sabe… o esta preste acontecer.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s