Vale tudo para agradar o outro?

relacionamento.27

O que você faz por amor? É bonito perceber que, movido por esse sentimento, pessoas fazem coisas que não fariam noutras circunstâncias. É a superação do próprio eu num ato de doação, de entrega. Porém, vale tudo para agradar ao outro?

Relacionamento necessitam de parâmetros. E os valores individuais precisam ser respeitados. Por vezes, é necessário negociar determinados hábitos, mas valores não são apenas costumes… Fazem parte da essência do que é o indivíduo.

Dias atrás, por exemplo, ouvi a história de uma garota que estava sofrendo com o namorado. Ela era virgem e não queria sexo naquele momento. O rapaz a pressionava. Pedia a “primeira vez” como prova de amor. A moça não queria perdê-lo, mas também não se sentia pronta.

O quadro é típico. Duas pessoas que estão juntas, mas desejam coisas completamente diferentes. E têm visões opostas da vida.

No caso desses jovens a situação é bem simples: se o cara gosta mesmo da menina, vai respeitá-la. Quem não é capaz de respeitar um valor individual hoje, vai atropelar outros valores amanhã. Portanto, quem tem que dar prova de amor aqui é o sujeito; não a menina. As ações dele estão motivadas por um desejo; as dela, por algo em que acredita.

Não são os raros os casos em que valores são colocados em xeque por chantagens emocionais. E não apenas nas questões da cama. Às vezes, uma das partes é mais frágil e acaba cedendo. Mas não fica feliz com o que fez ou faz. A pessoa se deixa usar. É manipulada. Sofre com isso. E cada vez que atende ao outro, sente-se agredida. Torna-se refém. Perde a autoestima e passa a agir pelo outro, não por ela mesma.

– Se eu não fizer isso, ele vai me deixar.

Esta frase é típica. E revela o quanto as emoções da pessoa estão fragilizadas. Ela já não se ama. Perdeu o amor próprio. Sente-se como se dependesse do outro para ser alguém. Quem vive assim já não vive. Precisa redescobrir-se, libertar-se.

Sabe, não existem regras ou manuais para um relacionamento. No entanto, algumas coisas são fundamentais. A primeira delas é respeitar-se, amar-se. Se você não se respeita, não se ama, nunca será respeitado e amado pelo outro.

Tem gente que diz:

– Ah… mas ele vive fazendo isso comigo.

Desculpe-me, mas você só tem no relacionamento aquilo que permite ter. Os parâmetros do que recebe é você quem estabelece. Se não tiver isso claro, certamente terá problemas. E o que espera do seu relacionamento deve ter como referência o que é importante para você. O que deseja pra sua vida, com base naquilo que acredita. A referência não pode ser o envolvimento emocional muito menos a atração que sente pelo outro.

O que eu quero pra mim? Como desejo que o outro aja em relação a mim? Como espero que me trate?

Estas perguntas devem ter respostas claras, principalmente para você.

Depois disto, você será capaz de saber o que pode fazer pelo romance, até onde se sente à vontade pra ir pelo outro.

Lembre-se:

É você que determina aquilo que valoriza e, se defender seus valores, terá mais chance de encontrar alguém que valorize o mesmo que você (Cloud & Towsend).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s