Quando só resta aceitar a dor

dor
Tenho um amigo que travou. Não dá conta de fazer as coisas que sempre fazia no trabalho. Fica angustiado com o simples fato de pensar que no outro dia terá que entrar no carro, dirigir até a empresa e executar tarefas que durante anos lhe deram prazer. Porém, sem alternativa, destrói um pouco mais de sua autoestima a cada novo dia.

Embora não seja nada recomendável, o que ele faz não é muito diferente do que faz um monte de gente. Há pessoas que vivem sem viver. E não por desejarem isso, mas porque não encontram uma outra forma de lidar com os problemas. O desgaste é contínuo. Entretanto, não há saída.

Por circunstâncias que nem sempre a gente dá conta de explicar, às vezes, perde-se o prazer de fazer coisas que antes se fazia sorrindo. Isso acontece com muita frequência no trabalho. Mas também dentro dos relacionamentos. E é comum a gente só perceber quando o quadro está instalado e não há mais nada a fazer.

Um dia você acorda e descobre que cansou. Um cansaço que não basta horas de sono. Nem apenas um período de férias. É um esgotamento completo. Daqueles que roubam as energias e até a vontade de viver. Não dá vontade sair da cama, não dá vontade de sair de casa, não dá vontade de ver as pessoas, falar com as pessoas. Tudo que se deseja é um estado de abandono, de esquecimento, de silêncio.

Esse mergulho na escuridão no próprio interior nem sempre é um diálogo com a depressão. Mas, quando se chega a este ponto, não estão bem definidos os limites entre estar triste, angustiado, ansioso, frustrado ou decepcionado com a vida e esse quadro de doença psíquica. Tudo se resume a um não-querer.

Nessas horas, as palavras do outro não resolvem. Escutar algo do tipo:

– Isso passa.

Ou:

– Deixa de bobagem. Você é uma pessoa incrível. Não tem razão pra ficar assim.

Escutar certas frases só potencializam o desejo de afastar-se de tudo e de todos. E, infelizmente, quem está de fora raramente reúne as habilidades necessárias para dar novos sentidos à vida de alguém que cansou.

Quando a gente trava diante de algo, ou até mesmo de um relacionamento, não adianta querer experimentar receitas alheias. Resta aceitar que tudo passa – inclusive a dor. Não se tem dia, hora, nem prazo… Mas passa. A gente apenas não pode se abandonar. Comer direitinho, cuidar da imagem, passar um perfume, vestir uma boa roupa devem fazer parte da rotina. Porque não existe nada pior que olhar no espelho e ver ali um “zumbi”. Não dá para viver com pena da gente. E nem podemos achar que tudo de ruim só acontece com a gente. A vida é mesmo assim… pra todos.

Anúncios

6 comentários em “Quando só resta aceitar a dor

  1. É otimas palavras um texto magnifico que expõe tudo aquilo que realmente sentimos ..
    Eu apesar de nova , ando travando muito diante de varias circunstancias e elas são :
    o cotidiano e o trabalho isso faz com que tenha um desgaste fisico e mental e com isso demoro dias para esqueçer a vontade de ”SUMIR” ”DESAPAREÇER” .
    Muitas noites pareçem que não foram aproveitadas levo comigo o trabalho não consigo desapegar sonho com o trabalho e quando amanheçe pareçe que não fui dormir .

    Mas temos que continuar … e é logico que quando estamos bem arrumados no geral cabelo,roupa maquiagem etc.. nos sentimos renovada apesar de ter que encarar mais um dia de rotina!
    – Ronaldo 🙂
    Que Deus lhe abençõe!

  2. Caro amigo, lendo esse texto, lembro de mim há pouco mais de um ano, quando me vi totalmente sem saída.
    Eu nunca aceitei isso pra minha vida e então comecei buscar uma saída.Tinha tudo, uma linda família, marido maravilhoso, boas condições financeiras, mas não era feliz. Tudo me incomodava, me chateava, aí vinham as doenças, nervosismo, depressão…
    Hoje quando leio histórias de pessoas passando por isso, fico desesperada querendo ajudar.
    Nascemos para ser feliz!
    Não temos que aceitar a derrota.
    Fiz minha transformação humana, através dos ensinamentos do budismo Nitiren Daishonin e acreditem , sou outra pessoa.
    Sou muito feliz, independente das circunstâncias, nada mais tira minha paz e vontade de viver.Quando nós mudamos, tudo muda.Queria tanto ajudá-los!!!
    Nam Mioho Rengue Kyo
    Abraço à todos!

  3. Uma amiga de Maringá me falou sobre o seu blog. Adorei seus textos, me fizeram refletir, especialmente este. Estou passando por uma fase complicada, meu maior problema é a insegurança, o medo da perda se você pudesse falar um pouco sobre este tema.
    Sou assim em tudo, já tive alguns relacionamentos e todos não deram certo, então a cada novo relacionamento eu já entro com medo, com receio, medo de amar e perder a pessoa. Estou ficando com um rapaz e me apaixonei por ele, ele acabou de se separar então prefere não ter compromisso agora neste momento ele disse que quer um tempo pra ele, mas que não quer deixar de me ver. Como lidar com isso? Meu coração fica apertado, não consigo fazer as minhas coisas direito, perco a vontade de tudo e na minha cabeça só fica ele. As vezes penso em cair fora mas tem momentos que penso….vai que dá certo! Acabo sofrendo demais quando gosto de alguém e amar não é isso né? Sofrimento?! Se você pudesse me dar algumas dicas ou textos teus que fizessem eu repensar estes sentimentos de angustia que sinto sempre quando conheço alguém. Um forte abraço!

    1. Daiane, espero que volte sempre ao blog. E que meus textos possam continuar fazendo bem ao seu coração. Quanto aos conselhos, sempre complicado dizer algo que atenda especificamente as necessidades individuais de alguém. Mas entre em contato pelo ronaldonezo@gmail.com. Posso tentar te ajudar por lá. Abraço.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s