O que é cultura?

cultura
A cultura transcende as artes; ela manifesta os hábitos, comportamentos e rituais de um povo

Defini-la conceitualmente não é tarefa simples. Há mais de 160 definições de cultura. Trata-se, como diz Edgar Morin, de uma palavra mítica, traiçoeira, tenta ser mágica, reunir tudo e, também por isso, confunde. Entretanto, não é por confundir que estamos autorizados a nos equivocar. Há coisas que cultura não é. Por exemplo, não dá para confundir arte e cultura. A arte manifesta as expressões de uma determinada cultura. Entretanto, cultura não se resume às manifestações artísticas.

Por que digo isso? Porque ainda vejo muita gente, inclusive dentro da academia, falando bobagem. Há pessoas que acham que cultura é música, teatro, cinema. Isso é arte – que pode mostrar valores culturais de uma época. Mas o conceito vai muito além disso.

O historiador, pesquisador e imortal Alfredo Bosi explica cultura como “conjunto de modos de ser, viver, pensar e falar de uma dada formação social”. O antropólogo inglês Edward Barnett Tylor, ainda em 1871, apresentou-a como “o conjunto de conhecimentos, crenças, artes, leis, costumes e quaisquer outras capacidades e hábitos adquiridos pelo homem enquanto membro de uma sociedade”.

Ou seja, os atos de uma pessoa são baseados em suas crenças e estas são culturais. O ritmo de vida, horários de trabalho, para almoçar, jantar, o que comemos (se arroz, feijão, cachorro quente etc), as músicas que ouvimos etc são manifestações de uma cultura. Até mesmo o conjunto de leis que um povo possui tem relação direta com a sua cultura.

Desde o nascimento, somos inseridos em uma cultura. Comportamento, crenças, civilização são ditados pela sociedade. A cultura, portanto, é transmitida coletivamente.

Talvez um dos principais equívocos que se comete ao falar sobre cultura é entendê-la como sinônimo de “ser culto”. Transfere-se ao conceito algo que ele não busca ser. Há um intelectualismo, um elitismo ao tratar do tema. Desta forma, cultura passa a ser algo quase inatingível, de um público específico – como se cultura fosse produzida e consumida apenas por cultos e intelectuais. Ignora-se cultura se faz e se refaz no cotidiano, no interior, na vida ativa de uma sociedade.

No jornalismo, se eu falo de moda, falo de cultura; se falo de comida, falo de cultura; se falo de arquitetura, falo de cultura; se falo do trânsito, falo de cultura. Essas questões, é claro, se modulam noutras expressões – comportamento, gastronomia, sociedade, por exemplo. O hábito de tomar café com leite e pão pela manhã é manifestação de uma cultura. E mais… Por exemplo, essa onda de “pegação”, “amor livre” pode ser classificada como comportamento, mas o comportamento é uma manifestação da cultura de um povo numa determinada época. E ainda falando sobre o fazer jornalístico, até mesmo o entretenimento de um povo revela uma cultura – os senhorzinhos que se reúnem para jogar cartas em algumas praças de Maringá sugerem uma manifestação cultural.

Quando penso em literatura, teatro como cultura, não apenas confundo com arte, mas também com o erudito. E esta é uma construção conceitual, numa perspectiva crítica, que exclui a população como produtora de cultura. Os pesquisadores brasileiros Antonio Carlos Brandão e Milton Fernandes Duarte dizem que essa “cultura elitizada” se distancia do povo, ignora que nosso agir é cultural.

A cultura popular é produzida espontaneamente e em qualquer lugar. No trabalho, na rua, em bares, clube, dentro de casa, igreja, sem lugar específico para surgir. Ela ocorre quase sempre a produção anônima, de domínio público, também sendo uma criação coletiva.

Insistir na ideia de que cultura é só teatro, dança, ópera, orquestra, música etc é perpetuar uma tese equivocada. É silenciar o povo como autor de sua história.

Educadores, formadores de opinião precisam romper com esse valor equivocado do que é cultura. É necessário entender e fazer entender que andar em volta do parque também é um hábito cultural. Como diz a pesquisadora Isaura Botelho, o conceito não é reducionista. A maneira como povo elabora sua forma de pensar, de sentir, constrói seus valores, maneja suas identidades e diferenças e estabelece suas rotinas é manifestação cultural. Por isso, podemos resumir:

As relações familiares, as relações de vizinhança e a sociabilidade num sentido amplo, a organização dos diversos espaços por onde se circula habitualmente, o trabalho, o uso do tempo livre, etc. Dito de outra forma, a cultura é tudo que o ser humano elabora e produz, simbólica e materialmente falando.

Anúncios

3 comentários em “O que é cultura?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s