Pais que ferem filhos; filhos que perdoam pais

Nem sempre a relação entre pais e filhos é harmônica
Nem sempre a relação entre pais e filhos é harmônica

Eles cuidam, protegem… Querem o bem. Sonham dar o melhor para os filhos. Mas erram. E muito. Machucam, ferem. E, por vezes, plantam mágoas que criam abismos. Existem exceções, claro, mas os pais não fazem por mal. Na tentativa de ajudar, afastam os filhos.

Dias atrás, ao conversar com uma mãe, ela se mostrava irredutível. Dizia que faria tudo para afastar o filho de uma garota. Brigaria, ameaçaria, usaria de chantagem… Estava nervosa, irritada. O filho, segundo ela, estava cego. O rapaz não podia ficar com a menina. Ela não prestava. O moço já havia dito que preferia se afastar da mãe a deixar a namorada. Então tentei mostrar para essa mulher que estava escolhendo a pior estratégia para lidar com o problema.

É verdade que são raros, mas ainda existem “casos Romeu e Julieta”. E a confusão está armada na família, inclusive com perdas irreparáveis nos relacionamentos.

Entretanto, nem sempre as mágoas são construídas por impedimentos que se cria de um namoro na adolescência. Há outras situações. Muitas delas por meio de palavras, que são ditas que ferem a ponto de não ser esquecidas. Tem repressões, xingamentos, surras. Há coisas aparentemente pequenas, mas que, no mundo da infância são significativas demais. Por exemplo, uma coleção de figurinhas que o pai joga fora num momento de raiva pode criar uma ferida que ele desconhece, mas que persistirá no coração do filho. Uma humilhação após o resultado de uma prova… Um brinquedo jogado no chão após uma resposta desrespeitosa da criança… O tapa na mãozinha onde está a boneca favorita e que a faz cair desmontada no chão… O contato deletado no skype daquele “primeiro amor” que nasceu na escola…

Os pais não percebem, mas fazem os filhos chorar lágrimas eternas. Às vezes até reconhecem que exageram na dose, mas como minimizam a atitude, não se desculpam de verdade, não conversam sobre o que aconteceu, acabam por gerar um distanciamento que se aprofunda na juventude e na fase adulta. Por isso, não são raros os filhos que guardam mágoas dos pais. Contam as horas para sair de casa e, quando saem, as ligações tornam-se raras e as visitas acontecem apenas em datas especiais. Conheço casos de famílias que não se reúnem há anos. Já idosos, os pais lamentam a ausência dos filhos, mas estes parecem criar estratégias para evitar encontrá-los.

Muitos têm a chance de reconhecer que erraram e pedir perdão. Conseguem restabelecer a convivência e aproveitar os filhos como não o fizeram durante a infância e adolescência. Outros simplesmente ignoram o que motivou o afastamento. Passam a vida chorando a perda. Ou dizendo frases do tipo:

– Ele é um frio. Dei tudo. Paguei faculdade, fiz festa de casamento e ele nem liga no Natal.
– Ah… ela casou e nem traz os netos para passar férias em casa. Parece esconder os meninos de mim.

Sabe, faz mal viver essa realidade. Por isso, tentar entender o que houve, humilhar-se é a melhor forma de promover o reencontro. Entretanto, até por muitas vezes desconhecerem que foram os responsáveis por plantar as mágoas, cá com meus botões, acredito que, por mais duro que seja, os filhos devem aprender a perdoar os pais. Perdoar não é esquecer, mas é uma atitude, uma forma de aceitar e compreender o outro. E restabelecer os laços é fundamental para se viver bem, em paz. Ninguém é completo, ninguém se sente pleno carregando uma relação mal resolvida com a mãe, com o pai… Não é fácil. Há feridas que parecem tão profundas que nunca irão cicatrizar. Porém, vale a pena tentar. Dói dar o primeiro passo, dói atropelar o orgulho, o amor próprio. Mas vale a pena. Punir o outro com rancor consome a gente mesmo, tira a paz e realimenta emoções negativas.

Anúncios

8 comentários em “Pais que ferem filhos; filhos que perdoam pais

  1. Não acho que os filhos simplesmente devem “perdoar os pais”. Gerar e dar à luz um bebê não santifica ninguém. Mães não são santas. Pais menos ainda. Mães em sua grande maioria agem SIM por má fé. Ferem fisicamente e psicologicamente seus filhos porque são pessoas frustradas. Qdo os filhos se tornam jovens, colocam todos os empecilhos para dificultarem suas vidas. Jogam na cara o que fizeram (quem nunca ouviu… Eu limpei a sua buunda e vc me trata assim?… Sim, vc limpou a minha bunda pq VOCE quis ficar grávida, pq VOCE quis continuar a gravidez e porque um bebê é incapaz de se limpar sozinho). A maternidade e paternidade não faz ninguem melhor ou pior de pessoas que não possuem filhos e não os santifica para serem perdoados por cada merda que fazem. Filhos que foram humilhados pelos pais tbm não podem humilhar seus filhos pq se acham “mais santos” que outras pessoas. Deve-se perdoar toda e qualquer pessoa, caso você QUEIRA e caso você tenha SUPERADO a situação, de qualquer pessoa existente na face da terra, sendo esta pessoa tenha experimentado a maternidade/paternidade ou não.

  2. Nao perdoo meu pai pq so Deus tem o poder de dar o perdao. Depois de tudo de ruim que ele fez pra mim, como eu nao tenho a intencao de retribuir com a mesma moeda, so me resta dar-le todo meu desrezo. Pois assim como morei 17 anos na casa dele e ele me tratou como um estranho dentro de casa, hj morando ha mais d 10 anos na Europa eu nao ligo pra ele, quando eu vou no Brazil eu nao o visito e eu tambem nao permito que ele se aproxime de forma alguma dos meus filhos. Nao quero que meus filhos tenham contato com niguem que me fez mau no passado, Eu chamo isso protecao de pai. Ja o meu pai, So quero distancia dele.

  3. Nunca tive uma boa relação com meu pai. Nossas brigas nos afastam cada vez mais e mais. Não existe mais carinho e conversas amigáveis. Tudo começou quando tinha 15 anos e resolvi fazer meu primeiro bolo para dar de presente a minha mãe, e meu pai me deu dinheiro para comprar os ingredientes. Meu bolo não saiu como esperado. Fiquei muito triste, mas não estava esperando a pior reação vinda do meu pai. Foi humilhante para mim ouvir aquele sermão e palavras duras seguidas de palavrões, na tentativa de querer consertar o bolo… mais sermões. Quando minha mãe chegou a casa eu a entreguei o bolo aos choros. E mesmo com o bolo todo torto, minha mãe me recebeu um um afeto de profundo carinho e felicidade pela primeira experiencia, mas logo após isso, meus pais discutiram. Nunca consegui esquecer aquele dia, hoje tenho 26 anos. Nunca consegui me entender com meu pai. Ele aparenta ser um homem que se importa mais com os outros do que com os próprios filhos. de várias discussões cheguei a ouvir a boca dele que ele não me considerava mais como filha… palavras pesam mais que um tapa na cara. Sim… eu cresci me sentindo revoltada, nunca consegui ficar calada nas brigas, e nunca o ofendi ou xinguei. Quando conheci meu esposo e fui passar um tempo em Portugal, percebi o quanto meu pai me fazia falta, e o perdoei e me perdoei por tudo, mas ele ainda guarda dentro de si a magoa… não sei quando um dia ele vai se perdoar e se libertar. Queria ter contado mais com meu pai. Hoje ele diz que não se responsabiliza por mim, porque sou de maior e que tenho marido. Mas para mim… o papel de pai herói e companheiro sempre me fez falta. Minha mãe sofre com tudo isso…quando preciso de colo, minha mãe me acolhe…

  4. também nao consigo perdoar meus pais. Eu tento conviver com eles! o fato deles seres pais ou mães isso é verdade isso nao santifica ninguém. Ouço palavras tanto da minha mae quanto do meu pai que me machucaram muito. Sou lésbica, e sofri c isso desde minha adolesencia. Hj tenho 24 anos, estou morando na casa deles. Mas prinipalmente depois de um acidente q aonteeu cmg e nao tive apoio e nem se quer eles se importaram de pagar um plano d saude. Isso me machucou, ouvi horrores deles no período em que estive doente, agora isso é certo? cadê o dever deles de pais? eu desisti deles. Hoje nao me humilho mais a eles. Estou me tornando fria. E pretendo ir embora

  5. Aqui nesses comentários só vi filhos maltratando e desfazendo de seus pais, será que pra vcs eles foram tão ruins assim a ponto de guardar tanta mágoa? Vcs sabiam que a maldade é uma faca com dois cortes, é vida é a lei do retorno vcs também receberão tudo o que estão fazendo, a vida é igual àquela música do coro de boi. Pais não são santos eles são apenas seus pais que fizeram de tudo pra criar e dar o melhor pra vcs, e se teve algum erro esse erro foi isso, e outra a obrigação dos pais é criar o filho até a maioridade depois eles terão que andar com as próprias pernas, depois disso cada um segue o seu caminho. Por isso eles cobram tanto para que vcs estudem sejam alguém pra não sofrer na vida, porque vcs ñ terão pais a vida toda, e vcs acham que as pessoas te aceitarão da maneira que vcs são? Pode ter certeza que não, eu penso assim um filho que ñ respeitam seus pais, o que essa pessoa é capaz de fazer comigo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s