Agradar sim, mas sem deixar de ser você

paixao
Faz bem querer agradar. Não há mal nisso. E no relacionamento, é fundamental. Entretanto, quem busca agradar não pode permitir que isso signifique a perda da autenticidade. Não dá para deixar de ser você mesmo.

Quando a gente ama demais alguém, parece ser capaz de tudo. Se esforça, se dedica… Procura oferecer o melhor. Faz até o que não era acostumado a fazer.

Acontece que o tempo é cruel. E tudo que não é nosso, uma hora ou outra, aparece. Na paixão, a gente vai além do nosso natural. Supera os limites. Mas depois… cansa. E ao cansar, cansa a gente, cansa o outro. Porque a verdadeira face é revelada. Se não é revelada, vai causando tristeza, fazendo murchar…

A pessoa assume um papel. Faz as vezes de um personagem. E funciona, é claro. Agrada, encanta, faz sorrir. Mas e a própria alma, a sua identidade?

Pelo outro, é possível mudar muita coisa. Alguns hábitos adquiridos podem ser abandonados; outros podem ser adotados. Tem coisas que a gente fazia, que, por amor, deixa de fazer. Quem nunca ouviu alguém dizer: “minha mulher mudou a minha vida?”.

Tempos atrás, ouvi de um amigo exatamente essa frase. No primeiro casamento, ele nunca foi fiel; mas conheceu a atual mulher dele. Ela arrebatou seu coração. Hoje, ele diz, com orgulho:

– Ela me salvou.

A gente muda pelo outro. Isso é fato.

Porém, tem coisas que a gente não gosta, não curte… E adota pra agradar. Deixa o cabelo crescer, corta… coloca megahair. Abomina palavrões na cama, mas aceita, ouve e até reproduz por causa do outro.

A pessoa se agride, agride a própria alma por causa do outro. A pessoa nega a si mesma. Isso não pode fazer bem. Como eu disse, funciona por um tempo. Mas, com o tempo, vai machucando, entristecendo… a ponto da pessoa não se reconhecer. E quem não é verdadeiro, não está inteiro na relação. Sem ser autêntico, não pode fazer bem. É incapaz de tocar a alma.

Por isso, na cama ou fora dela, é fundamental ser o que a gente é. Viver as coisas que acredita. Sem medo. Se o outro ama, vai aceitar. Isso é ser sincero, ser verdadeiro. É vivendo a nossa verdade que a gente é feliz e faz o outro feliz.

Anúncios

2 comentários em “Agradar sim, mas sem deixar de ser você

  1. Parabéns pelo texto Ronaldo… nada a acrescentar, texto escrito com propriedade e originalidade. Bem isso mesmo… se observarmos bem… existem muitos nessa situação, PROCURANDO AGRADAR OS OUTROS, e isso é uma pena.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s