A arte de saber (não) falar

silencioTem gente que perde a chance de ficar quieto. Parece não pensar no que vai verbalizar e aí causa desconforto, magoa, entristece. Sempre digo que há momentos e momentos para falar. Em muitas ocasiões, o silêncio é oportuno. Pode proteger até mesmo um relacionamento. Não significa mentir, ocultar. Apenas escolher o momento certo e as palavras certas.

Dias atrás, estava num evento. No momento em que houve abertura para perguntas, um participante, que conhecia o organizador, fez uma crítica aberta a alguns detalhes da decoração. A decoração não estava em discussão. A decoração era uma gentileza de um grupo de pessoas que estava ali assistindo, inclusive. O constrangimento foi geral. O comentário foi deselegante, desnecessário, sem propósito.

Esse tipo de situação é comum. Acontece em reunião… Acontece no almoço da família… Acontece até quando a namorada dá um presente e o sujeito usa a ocasião para reclamar da comida que ela fez na semana passada.

Às vezes não há maldade. Não existe a intenção de fazer mal. Mas faz.

Saber falar, o que falar e como falar é uma arte. Por isso, se não for para dizer coisas boas, fechar a boca ainda é a coisa certa a fazer. A observação crítica, a orientação ou mesmo o lamento devem ser estudados e elaborados com cuidado, feitos no momento adequado. Nem isso garante que alguém não saia ferido. Entretanto, pelo menos, corre-se menos risco de se arrepender depois.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s