Quem quer aprender? A gente quer mesmo é se divertir. Aprender é chato, cansa; as diferentes formas de diversão geram prazer, sensação de bem-estar.

Uma das razões da crise na educação não está no professor, no diretor, na escola. Muito menos na didática. E nem nos políticos. Está em nós mesmos, em nossa busca desenfreada pelo prazer.

As aulas sempre foram chatas. Ninguém vai me convencer que um dia já foi agradável ouvir o professor falando ou copiar o que ele escreve no quadro. Muito menos que ler teorias é prazeroso.

O prazer que se tem ao estudar está na conquista do conhecimento. É bom saber. Tem gente que não se importa porque ignora a própria ignorância. E estamos num momento em que todo mundo acha que sabe. Acha que o saber está a um clique; basta acessar o Google.

Muita gente valoriza a educação, mas uma educação que sequer conhecem. Não é a ofertada pela escola. Pensam na educação como algo diferente, que possa significar um conhecimento específico, para situações específicas – como se a escola fosse um ambiente de ensino técnico. Por isso, acham que está tudo errado e dizem que os professores não evoluíram. Mas o que esperam? Esperam que os educadores façam shows em sala? Produzam espetáculo?

Desculpem-me, mas ainda não existe outra forma de aprender que não seja pela leitura, pela repetição de exercícios, exposição e debates dos conteúdos. Existem sim aspectos que podem ser aprimorados, inclusive com investimentos tecnológicos, na formação dos professores e até revisão dos conteúdos obrigatórios (do que ensinar). Entretanto, o processo de aquisição de conhecimento seguirá complexo. A gente não aprende por osmose. Sem disposição e valorização do ensino, sem respeito ao professor e ao conhecimento que ele leva para compartilhar em sala de aula, a educação seguirá em crise.

Anúncios

Um comentário em “Quem quer aprender?

  1. Concordo com você Ronaldo. A busca desenfreada pelo prazer está gerando uma grave crise não apenas na educação, como em outras áreas de nossa sociedade. Pessoas alienadas, parecem amarradas em si mesmo. Não compreendem que o homem se transforma e modifica o ambiente onde vive, através do trabalho, da interação com outros homens e com o objeto de aprendizagem. E que isso proporciona um grande prazer. Conhecer a si mesmo, o outro e o espaço no qual está inserido, através do conhecimento sistematizado, num processo de construção e reconstrução. Tenha uma boa semana.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s