“Amar pode dar certo”

amar_certo

Há algumas semanas passo em frente ao sebo e vejo um livro. O título é convidativo:

– Amar pode dar certo.

Eu gosto de títulos. Sou jornalista, né? Sou pesquisador de textos e discursos. Então as palavras parecem brilhar diante dos meus olhos. Um título (que busca resumir, identificar) fala comigo antes mesmo de ler o texto.

Enquanto vejo o título “amar pode dar certo”, penso nos inúmeros amores que fracassam. Lembro de outras histórias bonitas. Algumas de cinema, outras da vida real. Meus pais estão prestes a completar 48 anos de casados. Meus avós, se estivessem vivos, teriam completado 80 anos de união neste mês. E eles viveram juntos por quase 70 anos. Sim, eles provaram que um relacionamento pode ser duradouro.

Entretanto, relacionamento duradouro é o mesmo que um amor que deu certo? É possível viver muitos anos juntos sem ter amado de verdade. Pode-se manter um casamento por conveniência, por pressão social, pelos filhos. Ainda assim, penso que o tempo é um indicador importante, mas não é o único.

Porém, amar alguém é uma escolha. Sente-se o amor, mas também se escolhe amar. Por ser uma escolha, trata-se de uma prática diária. Quem ama, sofre. Não aquele sofrimento das novelas… Sofre, porque a relação é difícil. Há altos e baixos. E vários momentos em que bate uma enorme vontade de “matar” o parceiro.

Além de ocasiões que nos tornamos insuportáveis ao outro, alguns de nós são perfeccionistas, reclamões, fofoqueiros, inseguros… Ficamos doentes, achamos tudo e todos péssimos, ou nos apegamos a pessoas que não merecem nosso respeito… E essas coisas todas acontecem na dinâmica de um relacionamento. Só os fortes resistem.

Amar pode dar certo, porque é uma possibilidade; não um fato. Dias atrás escrevi que os relacionamentos estão fadados ao fracasso. Sim, porque o insucesso está dado. Fazer dar certo é a exceção. Exceção que implica numa escolha. E que envolve muitos sacrifícios.

O filósofo grego Aristóteles certa feita disse:

O amor é o sentimento dos seres imperfeitos, uma vez que a função do amor é levar o ser humano à perfeição.

O relacionamento é feito assim: por pessoas imperfeitas. Somos egoístas, queremos ser atendidos pelo outro e que o outro nos faça feliz. Contudo, para dar certo, é necessário renúncia, abnegação, doação, aceitação. Aceitar sorrir e chorar juntos. Ter o coração aberto para perdoar. E querer aprender dia a dia a conviver com o outro. Nenhum relacionamento dá certo sem disposição para criar um novo estilo de vida. É preciso se moldar. Criar algo novo a partir da vida de alguém na nossa vida.

Anúncios

10 comentários em ““Amar pode dar certo”

  1. Muito boa essa postagem. Show! Se todos que para amar é preciso acreditar e renunciar talvez existissem relacionamento mais duradouros.
    Lidiana Ferreira

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s