Trate as pessoas como gostaria de ser tratado

gentileza

Uma das regrinhas básicas de convivência passa pelo exercício diário de um tratamento gentil, afetuoso. A gente fala, mas nem sempre tem disposição de praticar:

– Trate as pessoas como você gostaria de ser tratado.

Estamos tão focados em nós mesmos, em nossos desejos e vontades, que ignoramos as pessoas com as quais convivemos. É impressionante como tem gente que não dá conta de reprimir seu “eu”. Parece incapaz de se colocar na posição do outro. Alguns tratam mal e outros até são desonestos nas relações.

Quem gosta de ser corrigido aos gritos? Quem se sente confortável de ter um trabalho seu rasgado sob a justificativa de que não prestou? Quem fica bem ouvindo uma resposta atravessada?

E aqueles que acham natural tirar vantagem? No supermercado, trocam etiquetas de produtos que estão próximos de vencer… Na oficina, mecânicos dizem que o carro tem um defeito quando, na verdade, o defeito é outro – e isso apenas para faturarem mais… Não é honesto. E ninguém gosta de ser passado para trás.

Uma das palavras que adoro é “empatia”. E empatia é um pouco isso: sentir a dor do outro, reconhecer a posição do outro, imaginar-se como se sentiria se a vítima fosse você. Isso se dá inclusive numa discussão (quando a gente escuta algo que nos contraria, é importante transcender nossas mágoas e tentar pensar: por que ele disse isso?). Há muitos outros momentos que nos falta disposição para perceber que é bom ser bem tratado, ser respeitado.

E então… Se não gostamos, por que fazemos? Quantas vezes gritamos com o parceiro, com os filhos e até com os pais? Quantos humilham as crianças por que não deram conta de fazer a tarefa da escola corretamente? Quantos parceiros, amigos e até colegas de trabalho são incapazes de uma resposta gentil? E nem precisa ser assunto grave… Pode até ser sobre qual o horário ficará pronto o jantar ou onde foi colocado o relatório…

Tratar de forma gentil, respeitosa – e honesta – deveria ser prática constante. Sei que há momentos que a gente perde o controle. Porém, precisamos reprimir alguns instintos. É verdade que há dias que estamos irritados, que estamos odiando o mundo, mas quem está do nosso lado não tem culpa (algumas vezes até podem ter culpa, mas quando retribuímos com agressividade, nos rebaixamos, nos tornamos semelhante ao outro). Não vale a pena… Ser grosseiro, violento com as palavras, não nos garante paz de espírito. E ainda nos faz perder a chance de preservar ou abrir-se para novos relacionamentos.

Anúncios

10 comentários em “Trate as pessoas como gostaria de ser tratado

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s