Como você se vê?

espelho

A maneira como nos vemos tem reflexo em nossas ações. Na verdade, nem todo mundo investe tempo em si, em olhar para o seu interior, em tentar se conhecer. Entretanto, ainda assim, pelas palavras, pelo modo de agir é possível notar como a pessoa se reconhece como gente, como ser humano.

E é exatamente isso que faz a psicologia. Por que o terapeuta escuta, escuta e escuta o sujeito? Pra identificar, por meio das palavras, dos gestos, das expressões quem é aquela pessoa que está ali no consultório. Na verdade, o terapeuta identifica a maneira como a pessoa se vê e, a partir disso, atua para ajudá-la a se descobrir, a se tornar alguém que se ame.

Por diferentes motivos, muitas pessoas têm uma visão distorcida de si mesmas. Não conseguem ver a beleza que é a vida e o potencial que possuem para dar a cada dia um novo sentido.

Tem gente que se vê como fracassado, carrega um fardo de culpas… Isso gera insegurança, medo, vergonha, ansiedade. Tem gente que se vê como incapaz, infeliz, mal amado. E reage afastando pessoas, não assumindo tarefas importantes.

Sabe, isso tem muito a ver com a autoestima. E tratar desse tema é bastante complexo. Afinal, temos limitações. Ninguém é tão saudável emocionalmente a ponto de não possuir fragilidades. Entretanto, dá pra estar bem consigo mesmo. E o primeiro passo é se conhecer e se aceitar.

E mais… Cuidar de si, reconhecer as virtudes, os valores, o que temos de bom são atitudes fundamentais para que a gente se aceite, se ame. Quem se sente patinho feio, age como patinho feio. E o mundo em que vivemos não tolera pessoas mal resolvidas. Coitadinhos são rejeitados, são tratados com desprezo… No máximo, com pena.

Portanto, num mundo duro, cruel, egoísta, se não cuidarmos de nossas emoções, se não tratarmos do nosso coração, dificilmente alguém vai olhar e estender a mão pra ajudar. Vamos viver um eterno vazio existencial e nunca saberemos o que é felicidade.

Anúncios