Casamento é mais que viver juntos

casar

Para um casamento dar certo, o objetivo deve ser o bem estar afetivo, a felicidade de ambos. Embora isso pareça óbvio demais, é negligenciado por muitos casais. Na verdade, profissionais especializados em relacionamentos apontam que a maioria das pessoas se casa com um objetivo prioritário, provavelmente inconsciente: viver juntos.

Vou explicar… Frequentemente, casais assumem um relacionamento mais sério quase de maneira improvisada. Sim, as pessoas planejam um monte de coisas – inclusive gastam milhares de reais na festa. Porém, no que diz respeito ao casamento de fato, ao significado do que é esse “viver juntos”, parecem seguir a regra do improviso: primeiro, a gente casa, depois a gente vê o que acontece.

Muitas pessoas se casam sem um projeto de vida, sem ter um plano construído de forma consensual entre as duas partes. Depois dá tudo errado e culpam a instituição casamento… Como se o casamento fosse um modelo falido ou qualquer coisa do tipo.

As pessoas deveriam saber que, viver juntos, não é um indicativo de estabilidade emocional e nem resultado apenas da qualidade da relação na cama. A convivência a dois carece de intimidade psicológica, de compatibilidade.

Por isso, antes de assumir um compromisso mais sério (casamento, por exemplo), é fundamental:

  • Dar tempo ao tempo… Dar-se o tempo necessário para se conhecerem. Em outras palavras, gastar tempo a fim de conhecer o parceiro mais a fundo;
  • Saber se são compatíveis na convivência. Afinal, aquela loucura toda dos primeiros meses do romance vai embora. Fica a realidade – com seus altos e baixos. E a rotina do casamento é desgastante. Por isso, ter sintonia na convivência é essencial para fazer dar certo;
  • Saber que lugar ocupam as famílias de origem, os ex (namorados, namoradas, maridos, esposas etc), o passatempo, a diversão e o trabalho em sua nova vida. Tem gente que casa e, depois, se surpreende com a sogra indo todos os dias em casa. Isso só acontece, porque as coisas não ficaram claras antes…
  • Traçar projetos comuns e metas consensuais.

Sabe, infelizmente, muita gente se casa sem ter certas questões acordadas, sem conhecer de fato o parceiro. Tem gente que está tão egoisticamente ocupado em ser feliz que esquece que o relacionamento, para funcionar, precisa que ambos estejam satisfeitos. Tem gente que “diz sim” mas nem dialogou antes sobre filhos. “Queremos filhos?”, “Para quando serão os filhos?”, “Quando nascer, quem vai cuidar?”, “Como vamos educar?”, “Você acha certo das umas palmadas na criança?”… Isso tudo é importante, tem que ser conversado, mas por vezes é silenciado.

E, para concluir, ainda vale pensar:

  • Para que exista intimidade afetiva, e de qualidade, deve haver espaço para que cada uma das partes possa se expressar, possa dizer o que sente e, principalmente, esteja confortável na dinâmica do relacionamento, encarregando-se de sua própria felicidade, sem esperar que o outro faça algo por si para que esteja bem;
  • O casamento é feito por duas pessoas. Logo, ambos devem se pronunciar sobre experiências felizes, sobre as coisas que fazem bem. O investimento no romance deve ser mútuo.

Num ambiente assim, os objetivos propostos poderão se desenvolver, pois o terreno é fértil, propício… E assegura boas chances de funcionarem e resultarem num casamento feliz.

Anúncios

Um comentário em “Casamento é mais que viver juntos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s