Para que servem tantos partidos políticos?

O Tribunal Superior Eleitoral aprovou a criação do 35o partido brasileiro. Após ter o apoio de 501 mil eleitores, foi aprovado o registro do Partido da Mulher Brasileira. Esta é a 35a legenda partidária em nosso país.

O Partido da Mulher Brasileira não faz restrição à participação de homens. Na verdade, de acordo com o manifesto e o programa partidário, qualquer pessoa pode filiar-se. E a sigla já poderá lançar candidatos a prefeitos e a vereadores no próximo ano.

Sabe, eu não tenho nada contra o novo partido… Até porque trata-se de uma sigla que surge com a proposta de representar a mulher brasileira. E a bandeira é justa. O Brasil é um país machista. A política é feita em sua maioria por homens. A lógica que impera é de dominação do homem na sociedade. Logo, é certo a mulher ser tratada como igual.

Porém, o que questiono é a quantidade de partidos que temos. Você sabia que passavam de 30 o número de partidos? Eu tinha ideia… Mas não conhecia o número exato.

O Brasil tem partido demais. E ideologia de menos. Partidos são criados por aqui sem responsabilidade alguma. Não existem programas políticos claros. Por isso mesmo, os eleitores votam em pessoas; não votam em partidos. Alguns até têm certa simpatia por essa ou aquela legenda. Porém, com exceção dos militantes petistas de anos atrás, poucos são os eleitores que dizem “voto no partido tal”.

Numa eleição para prefeito, por exemplo, o que menos vale é a sigla do candidato. Você escolhe a pessoa. A sigla pela qual ela se candidatou não faz diferença alguma na escolha. Em Maringá, por exemplo, o ex-prefeito Silvio Barros venceu as eleições duas vezes pelo Partido Progressista, o PP. No ano que vem, o atual secretário do governo Beto Richa deve ser candidato pelo PHS. Silvio mudou de partido, mas certamente suas posições políticas são as mesmas de anos atrás.

Na maioria dos países desenvolvidos, existem dois, três ou quatro partidos fortes. E os eleitores sabem o que defendem os políticos ligados a essas siglas. Pelo partido, você sabe se o candidato tem um olhar mais voltado para as questões sociais ou de valorização da infra-estrutura de uma cidade, por exemplo.

Então para que servem tantos partidos no Brasil? Basicamente para servir moeda de troca para políticos profissionais. Tem político que controla dois, três partidos. Tem político que, dono de uma sigla, mesmo sem chance de vencer eleição, negocia participação em futuros governos. Basta olhar para qualquer prefeitura, qualquer estado brasileiro ou mesmo para o governo federal… Você vai notar que o Executivo é fatiado entre um monte de gente que barganhou espaço numa determinada aliança partidária.

Ter um partido nas mãos é ter tempo de rádio e televisão. Ter um partido nas mãos não significa ter uma causa pela qual lutar… Significa, muitas vezes, ter uma ferramenta estratégica na busca por poder.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s