Qual é o meu propósito de vida?

Ter um propósito e neste propósito estar presente a generosidade, o altruísmo, faz toda diferença na qualidade de vida.

Estudos desenvolvidos em diferentes universidades norte-americanas identificaram que pessoas que se dispõem a colaborar com as outras vivem mais.

O altruísmo seria uma recompensa muito mais importante que um prêmio de milhões na loteria. Até porque, segundo um estudo desenvolvido pelas universidades de Northwestern e Massachusetts, quem ganha na loteria tem enorme chance de desperdiçar o prêmio em pouco tempo.

Vale o mesmo para atletas que se aposentam. Mesmo tendo uma gorda conta bancária, muitos deles perdem rapidamente o dinheiro que ganharam.

Por outro lado, quem se dedica aos outros, mantem relacionamentos amigáveis, colaborativos, vive mais tempo, tem muito mais energia. Ou seja, vive muito melhor.

Esta, por sinal, é uma das principais características das pessoas que têm mais de 90 anos e estão ativas: são pessoas envolvidas, comprometidas em fazer o bem.

Outro estudo, conduzido por professores das universidades de Carolina do Norte e da Califórnia, identificou que pessoas altruístas são mais resistentes às doenças modernas (estresse, depressão, ansiedade etc.). Enquanto isso, gente hedonista, que investe na busca de seus prazeres, é mais suscetível às doenças.

Essas descobertas só confirmam o que os antigos filósofos gregos já falavam sobre viver uma vida virtuosa.

Portanto, que neste início de semana, possamos compreender a importância de ter um propósito de vida que transcenda a busca pessoal. Que este propósito seja mais que o nosso prazer, as nossas conquistas financeiras… Que possamos manter os olhos atentos às pessoas que estão próximas e o coração aberto para ajudar quem precisa.

Afinal, práticas generosas, um coração altruísta, garantem mais energia e vida longa.

Anúncios