Como garantir a minha aposentadoria?

​As mudanças nas regras de aposentaria trazem certa insegurança para uma parcela significativa da população – principalmente a mais pobre, que é a grande massa populacional do Brasil. É fato que muita gente encontrará mais dificuldade para se aposentar no futuro.

Justamente por isso entendo que deveríamos ampliar nossas discussões e criar outros cenários sobre a garantia de renda futura.

É verdade que o sistema público de aposentadoria é necessário e justo. Afinal, os trabalhadores, independente do recolhimento previdenciário, pagam muitos impostos e sustentam o Estado. Isso, por si só, deveria ser suficiente para que cada pessoa tive o benefício de se aposentar na velhice.

Mas, na lógica econômica predominante, não dá para contar com o Estado que cuida de seus cidadãos. Com o passar dos anos, o Estado inchou, os gastos dispararam e não dá para esperar que seja o protetor de todos os cidadãos. Afinal, na prática, o Estado nunca existiu para proteger as pessoas; ele existe para assegurar o funcionamento e dar garantias ao sistema econômico dominante.

Quanto às pessoas, é urgente que possamos aprender a depender cada vez menos do Estado. É urgente planejarmos a própria aposentadoria, sem contar com o benefício do Estado.

Isso pode parecer um contrassenso, mas antes de 1880 o mundo não conhecia nenhum sistema público de previdência. A Alemanha criou o primeiro naquele ano. No Brasil, só em 1923 foi criado o benefício; e atendia apenas os ferroviários.

Pra muita gente, minha fala também pode soar como uma espécie de defesa de uma ideologia de direita. Posso assegurar que não é este o propósito. O objetivo aqui é bem simples: não podemos contar com coisas sobre as quais não temos controle.

Hoje, tenho 44 anos e vou completar 31 anos de trabalho. Neste período, as regras de aposentadoria já mudaram três vezes e sofrerá a quarta mudança agora. Não há garantia alguma que não voltem a ser alteradas antes de me aposentar (já vi analistas projetando uma nova reforma para daqui a 10 anos).

Ou seja, não tenho nenhuma garantia de que vou ter a aposentadoria daqui 21 anos.

Só existe uma coisa que depende exclusivamente de mim: desenvolver hábitos de poupança, hábitos de investimento. Hábitos que podem ser até restritivos do meu modo de vida, mas que permitam ter as minhas próprias estratégias para ter uma segurança financeira mínima quando eu não puder mais trabalhar.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s