Você já ficou irado(a)?

E aí… você já ficou irado? Você, minha amiga, já ficou irada? Talvez alguém aí diga: “já sim!!! já fiquei muito irado, muito irada… já quis pegar aquele meu marido e quebrar a cabeça dele”…

Pois é, a ira faz isso com a gente. A ira é um sentimento muito intenso de ódio, de rancor… E, segundo o dicionário, a ira geralmente surge por alguma situação que a pessoa se sentiu injustiçada, profundamente machucada.

A ira pode ser contra uma pessoa ou contra um grupo. Eu confesso a você que não me recordo de muitas ocasiões nas quais me senti irado. Mas já fiquei irado sim. 

E o que diz a Bíblia sobre a ira? O salmo 4, verso 4, diz: Quando vocês ficarem irados, não pequem; ao deitar-se, reflitam nisso e aquietem-se

Veja só… Em primeiro lugar, a Bíblia não condena a ira. Na verdade, a Bíblia não apenas não condena a ira, como a Bíblia admite que a gente pode se sentir ira. A ira é um sentimento normal. Uma reação normal do humano. 

Mas o verso que lemos tem uma orientação preciosa. Diz que a gente, ao sentir ira, não deve pecar. E aí complica tudo. Complica, porque por ser um sentimento intenso, é normal reagirmos mal. Porém, o texto apresenta a chave para não pecarmos. E a chave é esta: ao deitar-se, reflitam nisso e aquietem-se!

Quando o salmista diz que devemos pensar sobre o fato que gerou a ira no momento de nos deitarmos, o que o salmista sugere que a gente não faça nada no momento que a ira brotou no coração. É pra deixar esfriar e, apenas quando a gente for deitar, tratar do assunto. Mas tratar no silêncio de nosso quarto, refletindo sobre o que aconteceu, aprendendo com o que aconteceu e, depois, devemos aquietar nosso coração. 

Difícil? Sim! Mas se entendemos que toda justiça cabe a Deus, mesmo a injustiça cometida contra nós, não deve nos levar a tentar resolver do nosso jeito.

Portanto, fica a dica: ao irar, não peque. E como não pecar? Dando um tempo, refletindo sobre o que aconteceu e aquietando, acalmando o nosso coração.