Você se sente ameaçado(a)?

Deixa eu te fazer uma pergunta: você se sente ameaçado? Não, não estou falando de alguém ameaçando você, ameaçando matar você. Falo de sentir-se ameaçado todos os dias pelos perigos do mundo.

Veja só… Este ano, tem sido impossível não se sentir ameaçado por um vírus ultra, mega poderoso, o novo coronavírus. Milhões de pessoas foram contaminadas. Milhões de pessoas morreram. E a gente tá sonhando com a vacina. Mas quer saber de uma coisa? O coronavírus é só uma ameaça.

Pouco antes de escrever este texto, veio todo animado em minha direção. Na hora, lembrei da dengue. Pois é… A dengue segue uma ameaça constante todos os anos, matando gente. E o câncer? E a diabetes? Tem tantas doenças ameaçando nossa vida… Se a gente pensar demais, a gente enlouquece!

E as ameaças também estão na violência urbana, o trânsito, os assaltos…

Eu nem gosto de assistir o noticiário. Os programas policiais? Nem pensar! A gente entra em pânico de ver tanta coisa ruim. E é quase impossível não sentir medo. Como então não viver ansioso, com medo? Só o fato de estarmos vivos nos coloca diante de ameaças diárias. 

Mas veja só como Davi termina os Salmos 4. No verso 8, lemos: “Em paz me deito e logo adormeço, pois só tu, Senhor, me fazes viver em segurança.”

Gente, sejamos sinceros: não há segurança no mundo e nenhuma promessa política, nenhuma medida policial, nenhum programa governamental de segurança, nenhuma rede de saúde pública será capaz de assegurar uma vida tranquila.

O mundo que vivemos é ameaçador. Mas Davi diz que em paz deita e logo adormece. Por quê? Porque o Senhor faz com que ele se sinta seguro. Não significa que as ameaças não estivessem ao redor de Davi.

Davi sabe que nada no mundo é suficiente para garantir a segurança dele. Apenas Deus. E, por isso, o salmista vive tranquilo. Ele deixa a vida dele nas mãos de Deus. Que lição poderosa, né? Que o salmista nos inspire! E possamos também dizer que em paz nos deitamos e adormecemos, pois o Senhor nos faz viver em segurança. 

Amém?