A corrupção é exaltada entre os homens

O que você sente quando olha para os homens que estão no poder? Os homens que comandam prefeituras, câmaras de vereadores, governos estaduais, o congresso nacional, o governo federal… ministros do Supremo… O que você sente? 

Preciso confessar que me sinto incomodado. Parece que nada atinge essa gente. Eles continuam desfilando poderosos, mesmo com denúncias que se acumulam ou até provas que são reveladas diante das câmeras. É currículo mentiroso, mas mesmo assim a pessoa ganha uma vaga de ministro; é dinheiro na cueca, mas mesmo assim o sujeito não perde o mandato… E, claro, estou aqui citando apenas alguns fatos recentes, midiáticos, que todo mundo lembra. Porém, o histórico de muitos desses homens que está no poder é sujo ou, no mínimo, questionável. Mas essas pessoas seguem tranquilas. Até sofrem denúncias, às vezes, mas nada acontece com elas. 

No Salmo 12, verso 8, nós lemos: “Os ímpios andam altivos por toda parte, quando a corrupção é exaltada entre os homens”. 

Sabe qual é o grande problema da impunidade em relação aos homens que estão no poder? É que toda a sociedade passa a ter a sensação de que a corrupção vale a pena, de que fazer o errado é a melhor estratégia. Ficamos com a impressão que não vale a pena ser honesto. Isso faz, como diz o salmista, os ímpios andarem altivos por toda a parte. Os homens ímpios sentem-se garantidos, seguros, intocáveis… E olham para as pessoas honestas como se os honestos não passassem de bobos, de tolos. 

Mas a Bíblia traz uma palavra de esperança: os olhos do Senhor observam tudo e Ele fará justiça! Hoje, eu e você, talvez nos sintamos mal com tudo que vemos. E, por isso, sentimos vontade de gritar, despejar nossa raiva nas redes sociais. Mas me parece que a melhor estratégia ainda é a ensinada por Davi nos Salmos: quando vemos os ímpios altivos, quando notamos a corrupção sendo exaltada pelos homens, devemos falar com Deus. É com Ele que desabafamos.

Lembre-se, nossos gritos para o mundo devem ser para apontar que a salvação vem apenas do Senhor. 

Isso não significa passividade. Devemos nos manter alertas e, principalmente, também sustentarmos uma conduta ética, honesta em nossas práticas cotidianas – inclusive escolhendo como nossos representantes políticos aquelas pessoas que possuem as credenciais necessárias para nos representar de maneira digna no Legislativo e no Executivo.