Deus está conosco durante as tempestades da vida

No livro do profeta Isaías, no capítulo 43, versículo 2, lemos: “Quando passares pelas águas, eu serei contigo; quando passares pelos rios, eles não te submergirão; quando passares pelo fogo, não te queimarás, nem a chama arderá em ti”. Essa é uma promessa linda, né? Sei que tem gente que lê este texto e questiona: “ei, eu tô aqui na pior… e eu confio em Deus, mas tô na pior. Como assim? Deus não deveria me proteger dos problemas? Impedir que eu me desse mal?”
 
Desculpa aí… Mas não foi essa a promessa que lemos. Como começa o versículo? “Quando passares pelas águas, eu serei contigo…”. A promessa de Deus é passar conosco pelos momentos difíceis.

Na vida, existem tempestades, existe o fogo das provações, das perdas, das dores… E este momento que vivemos é estressante, instável e de muitas incertezas. Este é um momento de muita angústia. E você pode achar que está passando por isso sozinho. Mas não está! Deus vê o que você está passando. Deus se importa… Ele está bem ao seu lado e caminha contigo.

Não importa o que você está enfrentando agora ou enfrentará no futuro, você nunca estará sozinho. Deuteronômio 31: 6 diz: “Portanto, seja forte e corajoso! Não tenha medo e não entre em pânico. Eu, o Senhor, seu Deus, irei pessoalmente à sua frente”. Tenha certeza que Ele não te abandonará jamais. Tenha fé! 

O mundo vai plantar todos os tipos de dúvida e de medo em sua mente. Talvez você esteja se perguntando… “E se eu ficar doente?” ou, “E se a economia entrar em colapso de vez?” ou, “E se eu perder meu emprego?”… Eu posso assegurar: não faltarão motivos para você duvidar. Mas hoje eu quero te dizer: entregue esses medos a Jesus e lembre-se de que Deus prometeu nunca abandoná-lo. As aflições que o filho de Deus sofre são aflições momentâneas, como disse o apóstolo Paulo.

Meu amigo, minha amiga, concluo com uma frase do escritor Rick Warren: você não precisa saber o que o futuro reserva, porque você sabe quem mantém o futuro. 

Inscreva-se no canal e ative o sininho para receber as notificações dos próximos vídeos!

O que Deus diria ao povo hoje?

Sempre que posso, começo o dia refletindo em algum trecho bíblico. Hoje, me deparei com Isaías, capítulo 1, versos 15-17. Diz assim:

“Quando vocês estenderem as mãos em oração, esconderei de vocês os meus olhos; mesmo que multipliquem as suas orações, não as escutarei! As suas mãos estão cheias de sangue! Lavem-se! Limpem-se” Removam suas mãos obras para longe da minha vista! Parem de fazer o mal, aprendam a fazer o bem! Busquem a justiça, acabem com a opressão. Lutem pelos direitos do órfão, defendam a causa da viúva”.

Eu não sei o efeito que esses versos têm sobre você. Tampouco o que podem significar pra você. Entretanto, eles são as palavras do próprio Deus reproduzidas pelo profeta Isaías.

Nesses versos, Deus fala sobre seu desagrado com as pessoas. Ele é categórico: não vou ouvir a oração de vocês; podem orar mais, falar mais, mas não vou ouvir e nem ver vocês. E qual a razão? As mãos do povo estão cheias de sangue.

Do que Deus estaria falando? Quando conhecemos o contexto do capítulo 1, compreendemos que o povo estava agindo mal, era negligente com os pobres, desprezava os mais fracos, era insensível com o sofrimento dos humildes. Porém, esse mesmo povo mantinha uma prática religiosa exuberante. Ia ao templo, fazia sacrifícios, orava com as mãos estendidas… Ou seja, parecia um povo devoto a Deus, porém, tinha um coração impiedoso. Tinha sangue nas mãos.
Ler esses versos me faz olhar para o mundo em que vivemos…

Quem seriam os órfãos e as viúvas do século 21?

Olho para mim e ao meu redor e observo uma sociedade que também é insensível, cruel com as minorias, com fracos e oprimidos. Uma sociedade em que poderosos gritam, ofendem, enquanto anônimos morrem. Eles têm sangue nas mãos.

Muitas dessas pessoas falam o nome de Deus, e dizem falar em nome de Deus, que dizem colocar Deus acima de tudo, mas têm nas mãos o sangue de pessoas inocentes, vítimas de doenças, vítimas de fome, vítimas do preconceito…

Parece-me que para elas Deus segue dizendo: “Quando vocês estenderem as mãos em oração, esconderei de vocês os meus olhos; mesmo que multipliquem as suas orações, não as escutarei! As suas mãos estão cheias de sangue”.

O que alimenta minha esperança, é que esse Deus ainda é misericordioso. Ele segue alertando: “Lavem-se” Limpem-se!”.

Estaremos atentos para ouvi-Lo?

Como lidar com a rejeição?

Você já foi rejeitado? Como se sentiu quando percebeu que a pessoa não gostava de você, que não te queria por perto?

É dolorido demais ser rejeitado. Mas todo mundo já foi ou ainda vai ser rejeitado um dia.

E o que estou chamando aqui de rejeitado?

Entendo rejeitado de uma forma ampla… Pode acontecer quando você quer muito fazer parte de um grupo de amizades e ninguém ali parece te aceitar no grupo. Pode ser acontecer quando quer se integrar com a família do seu marido, da sua esposa e não rola, não dá certo; todas às vezes que entra na casa, senta na mesa, sente-se um estranho ali; ninguém faz nada pra demonstrar que é bem vindo/a.

Vejo isso o tempo todo em sala. Vejo alunos sendo rejeitados por colegas. Não precisa ter bullying, piadas grosseiras… Nada disso. A pessoa simplesmente não é bem vinda no grupo, não encontra colegas que aceitem fazer trabalhos com ela… Enfim, a pessoa é rejeitada.

A rejeição machuca porque você sente que não é amado, que não é querido, que não é desejado. A pessoa, o grupo não gosta de você.

A rejeição exerce uma força enorme sobre nossa autoestima. As nossas emoções são afetadas quando sentimos a rejeição. E isso acontece porque desejamos ser amados.

A rejeição dói.

Mas sabe qual a novidade? Não dá pra evitar que isso aconteça. Todos nós seremos rejeitados em algum momento.

Não sei se você conhece bem a história de Jesus Cristo. Mas Cristo chegou a ser rejeitado por seus próprios irmãos; eles o ridicularizam. A Bíblia registra que, numa outra ocasião, um homem questionou o valor de Jesus por ele ser de Nazaré!

Sabe o que isso nos mostra? Que a rejeição nem sempre tem a ver com o que somos; tem a ver com o julgamento que as outras pessoas fazem de nós em função do lugar onde moramos, da cidade onde nascemos, da família que temos…

Não controlamos o sentimento que os outros têm a nosso respeito.

Já pensou se Cristo ficasse preocupado, se encolhesse em virtude de todas as portas que se fecharam para ele? Eu acredito que Jesus sofreu… A rejeição doeu no coração dEle. Mas Ele seguiu adiante. Cristo sabia quem era, qual era a missão dEle. E, por isso, seguiu adiante.

Então hoje eu quero que você grave essa palavra: gente que sabe quem é, gente que sabe qual é sua missão, segue em frente! A rejeição pode doer, mas a pessoa sabe qual é o seu valor. E por isso mantém os olhos firmes em seu propósito.

Por isso, quero te dizer: conheça quem você é, saiba o seu valor, conheça sua missão e siga em frente. Ainda que você seja rejeitado por algumas pessoas, e você será rejeitado em alguns momentos, não pare, não fique se lamentando, não tente agradar a todos. Siga em frente!

Como ver a Deus?

Tempos atrás, ao estudar alguns capítulos da Bíblia, encontrei um verso bíblico muito especial. De imediato, me chamou a atenção como nunca antes. Está na primeira carta de João, capítulo 4, verso 12. Diz assim: “Ninguém jamais viu a Deus; se nos amamos uns aos outros, Deus está em nós, e em nós é perfeito o seu amor.”

Eu não sei se você notou, mas João faz primeiro uma afirmação: ninguém jamais viu a Deus. Mas o que ele diz logo na sequência? O que João escreve parece não ter nada a ver com a primeira declaração. O escritor diz: se amamos uns aos outros, Deus está em nós.

Você já conseguiu relacionar uma ideia com a outra? João, primeiro, sustenta a ideia de que ninguém jamais viu a Deus; depois, ele afirma que se nos amamos uns aos outros, Deus está em nós.

E então? Pegou a ideia?

Como podemos ver Deus? Podemos vê-lo na face de cada pessoa que ama verdadeiramente ao seu próximo. É isso que o apóstolo está dizendo para nós: ninguém jamais viu a Deus, mas, quando nos amamos, a face de Deus se revela em nossos rostos. E em nós, o amor de Deus é perfeito!
Lindo, né?

Então a mensagem é bastante simples: ame as pessoas. Ame de todo coração. O seu rosto revelará a face de Deus.

Para quê servem os dons?

Ouça a versão em podcast!

Para quê servem os dons? O que são os dons? Eu diria que são aquelas habilidades que possuímos, que parece terem vindo no pacote quando nascemos.

Tem gente que com um pouco de farinha e alguns temperos é capaz de fazer uma torta incrível.

Esses dons, quando bem aproveitados, tornam nossa vida melhor. Podem ser utilizados na lógica dura da sobrevivência, auxiliando-nos a ganhar dinheiro.

Entretanto, estou cada vez mais convencido que nossas habilidades também devem estar a serviço de outras pessoas. Se os dons que possuímos não servirem para melhorar a vida das pessoas, nossa existência é vazia.

Essa premissa pode parecer utópica. Ou mesmo um tanto tola. Afinal, de certo modo, fazemos parte de uma sociedade que transformou o ditado “cada um por si e Deus pra todos” numa espécie de verdade.

Mas, se os talentos ou habilidades que possuímos só estiverem a serviço de nosso próprio bem-estar, estaremos sendo mesquinhos, medíocres e egoístas.

Quando nos concentramos apenas em nós mesmos, podemos até ter uma vida confortável. Porém, teremos perdido a chance de contribuir para alegrar alguém, para tornar a vida de outra pessoa um pouco melhor.

Deixa eu dar um exemplo… Eu amo aprender. Amo aprender sobre muitas coisas. De que serve todo esse aprendizado se eu guardar só pra mim?

Se dedicamos nossos talentos apenas para o nosso crescimento econômico e financeiro, nosso único legado terá sido pelo fortalecimento de ideiais individualistas, narcisistas. Um dia deixaremos essa vida e teremos deixado escapar a oportunidade de contribuir de alguma maneira para tornar esse mundo melhor.

Todos nós somos bons em algumas coisas; fazemos com facilidade coisas que outras pessoas demoram mais ou precisam se esforçar mais que nós… É como se o universo tivesse nos dotado dessas habilidades especiais.

Agora, pense por um instante, se todos nós, com os dons, talentos ou habilidades distintas que possuímos contribuíssem para auxiliar quem precisa, teríamos ou não um mundo melhor?

Neste comecinho de ano, é uma boa dica pensar em como você pode usar seus dons, aquilo que você faz de melhor, para tornar a vida de alguém um pouco melhor. Tenho certeza que podemos fazer a diferença para alguém.

O medo pode nos impedir de viver

Ouça a versão em podcast!

Li um pensamento que gostaria de compartilhar: nossos medos não detêm a morte, mas sim a vida.

A ciência entende o medo como uma ferramenta importante de autodefesa. O medo nos coloca em estado de alerta e prepara nosso corpo para reagir diante de uma situação de perigo.

Entretanto, o mesmo medo que é fundamental para agirmos de forma prudente, cuidadosa, sábia, também pode nos paralisar.

E muitos de nós, por medo, deixamos de viver.

O pensamento resume essa ideia: o medo não nos impede de morrer, mas pode nos impedir de viver.

Por medo de ser rejeitado, quantas pessoas deixaram de dizer “eu te amo” para uma garota ou um garoto?

E o sonho de ter o próprio negócio? Ou quem sabe de mudar de profissão? Quem sabe a vontade era mudar de cidade ou até de país?

Ter medo do que pode acontecer é importante para agirmos racionalmente, com planejamento, tentando prever as consequências.

Mas se o medo se torna uma barreira, se nos paralisa, estamos abrindo mão da vida.

Na Bíblia, tem um texto que gosto bastante. Josué havia se tornado líder do povo de Israel. Ele estava inseguro. Josué tinha diante dele uma série de batalhas, cidades que precisavam ser conquistadas.

Deus então diz a Josué: se valente!

A palavra não é para Josué se tornar um homem raivoso, nervoso, agressivo; era para que enfrentasse seus medos e seguisse em frente, se tornasse o líder que o povo precisava.

Parece-me que todos os dias o Universo ainda nos diz: se valente! Enfrente seus medos, lute por seus sonhos, não se deixe abater diante das dificuldades. Afinal, nossos medos não detêm a morte, mas detêm a vida.