O injusto processo para tirar a Carteira de Habilitação no Brasil

Para tirar a carteira de habilitação, o Brasil, que é um país de gente pobre, tem um sistema injusto e que sacaneia o cidadão. Tirar a CNH por aqui custa muito caro. E não há justificativa alguma para o modelo que temos.

Ao falar sobre isso com algumas pessoas, já ouvi coisas do tipo: “se o cara não tem dinheiro pra tirar carteira, não dirige, ué? Não vai ter dinheiro pra comprar carro mesmo”. Acontece que fazer a CNH não significa, necessariamente, ter carro; milhares de pessoas dirigem para ganhar a vida – seja como motoristas de empresas ou particulares.

O argumento para o processo atual foram os inúmeros acidentes de trânsito. Alegava-se que o condutor precisava ser melhor preparado. Então “inventaram” um sistema burocrático, moroso e que, atualmente, se não houver reprovações, custa, à vista, mais de R$ 2,5 mil. Detalhe, não faz muito tempo, inventaram o tal do simulador, que, na prática, só onera ainda mais os custos. E sem resultados práticos.

Dirigir bem, ter responsabilidade no trânsito, ser cuidadoso, respeitar as leis, nada tem a ver com autoescola. A autoescola pode existir. Deve existir. Mas, em hipótese alguma, deveria ser obrigatória.

Quem tem mais de 40 anos, provavelmente tirou a carteira de habilitação de um jeito bem diferente. Eu, por exemplo, aprendi a dirigir com um tio. Motorista experiente, cuidadoso e muito generoso, em cerca de uma semana, me ensinou tudo que eu precisava.

Quando chegou o momento de tirar a CNH, procurei uma autoescola para cuidar da documentação. Recebi algumas orientações, fiz o psicotécnico, estudei sozinho para legislação e, antes do teste prático, contratei três aulas para pegar os macetes da prova de rua e da baliza. Pedi para usar o carro da autoescola na prova. Fui aprovado.

Tudo muito simples e rápido.

Entretanto, as regras mudaram. Hoje, são inúmeras aulas de legislação, outras tantas no simulador e, por fim, as aulas práticas.

Na teoria, isso pode ser lindo. Mas é totalmente desnecessário e não tem melhorado o trânsito das nossas cidades. O candidato faz todo esse longo percurso e, quando encara o trânsito do dia a dia, parece ser obrigado a aprender tudo de novo.

Numa época em que aceita-se que engenheiros, professores e até profissionais da gastronomia sejam formados na modalidade de educação a distância, nada justifica a obrigatoriedade de fazer todo o processo para tirar a CNH numa autoescola.

Só existe uma razão (não admitida pelas autoridades): o sistema foi feito para custar caro e beneficiar um setor econômico.

Para aqueles que gostam de comparar o Brasil com os Estados Unidos, vale dizer que, por lá, embora cada estado tenha suas próprias regras, é possível estudar a legislação de trânsito em casa, pegando as informações na internet, e não é necessário fazer aulas práticas. Além disso, todos os testes – teórico, de visão e direção – podem ser feitos num único dia. Ou seja, você entra no departamento de trânsito cedo e, no mesmo dia, está habilitado. Não passou? Pode tentar no dia seguinte e, se passar, a CNH fica pronta na hora. Custo baixo – cerca de 50 dólares.

E então? Nosso sistema é melhor que o deles?

Anúncios

As manchetes dos jornais de Maringá

O DIÁRIO: – Bitrem tomba e 376 é interditada por 4h
Acidente com caminhão carregado com farelo de soja provoca engarrafamento de até 5 Km na BR-376. Incêndio à beira da PR 444 causa colisão por falta de visibilidade e rodovia também é fechada por 1 hora.

HOJE NOTÍCIAS: – Fim de semana violento deixa saldo de 8 mortos
Somente em um acidente entre Floresta e Maringá, três pessoas morreram no local. Já na PR 558, entre Campo Mourão e Araruna, uma idosa morreu ao capotar o seu veículo. Ela perdeu o controle do carro, saiu da pista, bateu em um barranco e capotou.

JORNAL DO POVO: – Feira Ponta de Estoque começa amanhã
Duzentas e cinqüenta mil pessoas são esperadas para a 20ª edição da Feira Ponta de Estoque, que será realizada entre amanhã e sábado, no Parque Internacional de Exposições Francisco Feio Ribeiro. Serão cerca de 200 empresas participantes, num total de 325 estandes.

As manchetes dos jornais de Maringá

O DIÁRIO: – Maringá tem terceira maior frota por habitante do País
Para cada cem maringaenses, existem 68,5 veículos, o que leva a cidade a ficar atrás apenas de São Caetano do Sul (SP) e Brusque (SC). O crescimento acelerado da frota gera problemas de tráfego e eleva o número de acidentesl

HOJE NOTÍCIAS: – Advogado de Almenara confirma gravação
O empresário Devanir Almenara acusa o secretário de Desenvolvimento Econômico Valter Viana de favorecer empresas beneficiadas pelo Prodem. A prefeitura afirma que ainda não recebeu a cópia da fita contendo as acusações contra o secretário.

JORNAL DO POVO: – Termina hoje o Vestibular de Inverno da UEM
De acordo com a Comissão Central do Vestibular Unificado, até agora foram registradas 2.486 desistências. O concurso ocorre em nove cidades paranaenses: Maringá, Cianorte, Cidade Gaúcha, Goioerê, Umuarama, Paranavaí, Apucarana, Campo Mourão e Ivaiporã.

As manchetes dos jornais de Maringá

O DIÁRIO: – 10% dos acidentes envolvem não habilitados
Este ano já são 235 acidentes com motoristas não habilitados em Maringá. Desses, 147 deixaram feridos e três pessoas morreram. A multa para quem dá o veículo para um motorista sem CNH chega a R$ 1.170. Em média são registrados entre 500 e 600 acidentes por mês em Maringá.

HOJE NOTÍCIAS: – Vereadores insistem em mudar eixo de ruas
Praticamente em todas as reuniões do Conselho Municipal de Planejamento e Gestão Territorial há propostas da Câmara para transformar uma rua residencial em comercial. Há lei que define quais ruas podem ser comerciais. A rua para ser comercial deve ter largura mínima de 20 metros.

JORNAL DO POVO: – Festival de Cinema começa hoje na UEM
O festival será realizado no campus da Universidade Estadual de Maringá. Além das exibições de filmes, haverá mostra competitiva e debates com temas focados na Lei Rouanet, políticas públicas e privadas de cultura, formação de platéias e jornalismo cultural. O evento começa hoje e se estende até o dia 28 de maio.

As manchetes dos jornais de Maringá

O DIÁRIO: – Morte de pastor, esposa e filha comove Maringá
Ailton Lemes Batista, a esposa Miriam e a filha Izza Marys morreram em acidente na PR 323, em Jussara. O veículo que levava a família se chocou com um ônibus, matando também o condutor Gilmar Amorin. O pastor Ailton completaria 25 anos de ministério em dezembro.

JORNAL DO POVO: – Curso de formação de coach chega à Cidade
O Instituto Brasileiro de Coaching promove de 17 a 20 de junho no Hotel Golden Ingá, em Maringá, o primeiro curso de formação de coach. O coach é uma nova carreira que ajuda pessoas e profissionais a desenvolverem habilidades e competências. Não é uma terapia. Trata-se de uma maneira de a pessoa melhorar a sua performance profissional.

As manchetes dos jornais de Maringá

O DIÁRIO: – TCU libera obras do Novo Centro
Ministros do Tribunal de Contas da União acataram o recurso do município e reformam a decisão que suspendeu os pagamentos às empreiteiras. O TCU reconheceu que que não há irregularidades, não houve “sobrepreço” dos materiais e mão de obra. A prefeitura não tem data para a retomada das obras.

HOJE NOTÍCIAS: – Motoristas não respeitam leis de trânsito, diz PM
O novo sistema de trânsito já é recordista em número de mortes. São 29 óbitos, até ontem, com maior registro na Zona 7, com quatro ocorrências. Segundo a reportagem, as mudanças recentes não parecem terem surtido efeito, pelo menos no quesito segurança. E os motociclistas somam 372 multas e 174 apreensões referentes aos últimos 30 dias.

JORNAL DO POVO: – Acim e Saúde promovem ação contra dengue
No próximo sábado, às nove horas, na sede da Associação Comercial e Empresarial de Maringá, empresários, autoridades e lideranças se reunirão para uma ação de conscientização de combat eao mosquito da dengue. A entidade e a Secretaria da Saúde promoverão um mutirão e será realizada uma apresentação sobre a campanha “Chega de Dengue”.

As manchetes dos jornais de Maringá

– Fluxo em mão única preocupa o comércio
O Diário destaca os reflexos nas vendas do comércio em função dos binários. Comerciantes que estão do lado esquerdo das vias onde o sistema já foi implantado percebem redução no movimento das pessoas. No próximo domingo, binário começa nas avenidas São Paulo e Paraná. Mão única nessas avenidas vai alterar 18 linhas de ônibus.

– Em três semanas, 230 acidentes
A manchete do Hoje Notícias trata do número de acidentes registrado em Maringá em apenas três semanas. A cidade possui uma frota de cerca de 220 mil veículos. Destes, 50 mil são motocicletas. Ou seja, menos de 25%. No entanto, dos 5,5 mil acidentes registrados no ano passado, 3.349 tiveram envolvimento de motos. Neste ano, dos acidentes ocorridos (230), 60% deles envolveram motocicletas.

– Falta de projeto e atraso em licitações mantém biblioteca central em prédio antigo
O Jornal do Povo revela que a Biblioteca Municipal Bento Munhoz da Rocha Netto já era para estar funcionando na avenida Paraná, no imóvel onde se encontra uma das agências do Banco Itaú. O local abrigaria a biblioteca em instalações e ambientes modernos. Entretanto, até agora o projeto não saiu do papel devido ao atraso na abertura dos processos de licitação.

As manchetes do dia…

– Maringá ficará com 6 mil casas do pacote
O jornal O Diário volta a destacar o programa habitacional anunciado nessa quarta-feira pelo governo Lula. Das 44 mil unidades programadas para o Paraná, 13,6% deverão ser construídas em Maringá. Uma reunião hoje na prefeitura deve definir quais os bairros que serão contemplados. O objetivo é discutir quais as regiões da cidade têm condições de receber as moradias e pedir agilidade na elaboração do projeto para a solicitação de recursos do pacote.

– Atropelamentos com mortes preocupam PM
A manchete do jornal Hoje Notícias trata da preocupação das autoridades de trânsito em relação ao número de atropelamentos no trânsito urbano de Maringá. Apesar de campanhas pedindo calma ao motorista, orientando o pedestre a atravessar na faixa, as blitze e o aumento do policiamento nas ruas, somente neste mês já foram registradas quatro mortes. Com um detalhe que chama atenção: três vítimas possuíam mais de 80 anos de idade.

– Crise dobrou número de demissões, diz Sinttromar
A manchete do Jornal do Povo destaca a demissão de 8 mil trabalhadores em 54 municípios na área de transporte de cargas e passageiros. O sindicato informa que a crise chegou ao setor dos transportes, pois em novembro a média de rescisão de contratos era de cinco a seis por dia e desde o final do ano passado a média diária é de 13 demissões.

Umuarama Ilustrado
Ex-detento é morto a tiros no segundo assalto da noite

Folha de Londrina
Legalidade prevalece sobre maioria

Gazeta do Povo
Detran virou o caos. E o tormento não tem prazo para acabar

Jornal do Brasil
“Crise foi feita por gente branca e de olhos azuis”

O Globo
PF apura lista de doações de empreiteira a políticos

Valor Econômico
Montadoras e grande varejo conseguem crescer na crise

O Estado de S.Paulo
Grampos da PF indicam doação ilegal

Folha de S.Paulo
Dona da Daslu é condenada e presa