Deus está conosco durante as tempestades da vida

No livro do profeta Isaías, no capítulo 43, versículo 2, lemos: “Quando passares pelas águas, eu serei contigo; quando passares pelos rios, eles não te submergirão; quando passares pelo fogo, não te queimarás, nem a chama arderá em ti”. Essa é uma promessa linda, né? Sei que tem gente que lê este texto e questiona: “ei, eu tô aqui na pior… e eu confio em Deus, mas tô na pior. Como assim? Deus não deveria me proteger dos problemas? Impedir que eu me desse mal?”
 
Desculpa aí… Mas não foi essa a promessa que lemos. Como começa o versículo? “Quando passares pelas águas, eu serei contigo…”. A promessa de Deus é passar conosco pelos momentos difíceis.

Na vida, existem tempestades, existe o fogo das provações, das perdas, das dores… E este momento que vivemos é estressante, instável e de muitas incertezas. Este é um momento de muita angústia. E você pode achar que está passando por isso sozinho. Mas não está! Deus vê o que você está passando. Deus se importa… Ele está bem ao seu lado e caminha contigo.

Não importa o que você está enfrentando agora ou enfrentará no futuro, você nunca estará sozinho. Deuteronômio 31: 6 diz: “Portanto, seja forte e corajoso! Não tenha medo e não entre em pânico. Eu, o Senhor, seu Deus, irei pessoalmente à sua frente”. Tenha certeza que Ele não te abandonará jamais. Tenha fé! 

O mundo vai plantar todos os tipos de dúvida e de medo em sua mente. Talvez você esteja se perguntando… “E se eu ficar doente?” ou, “E se a economia entrar em colapso de vez?” ou, “E se eu perder meu emprego?”… Eu posso assegurar: não faltarão motivos para você duvidar. Mas hoje eu quero te dizer: entregue esses medos a Jesus e lembre-se de que Deus prometeu nunca abandoná-lo. As aflições que o filho de Deus sofre são aflições momentâneas, como disse o apóstolo Paulo.

Meu amigo, minha amiga, concluo com uma frase do escritor Rick Warren: você não precisa saber o que o futuro reserva, porque você sabe quem mantém o futuro. 

Inscreva-se no canal e ative o sininho para receber as notificações dos próximos vídeos!

A fé é tudo que precisamos?

A fé é a crença no invisível. E justamente por acreditar em algo ou em alguém que não pode ser tocado, as pessoas se movem em diferentes direções. Por vezes, guiam suas vidas pela fé.

A fé pode ser motivadora, transformadora. Pode gerar esperança. Fazer sonhar com um mundo que não temos hoje.

Porém, a mesma fé que dá sentido à vida é aquela que tem potencial para gerar engano, distração e alienar.

Uma das críticas mais contundentes de Nietzsche está justamente relacionada a esse comportamento: a crença naquilo que não se vê, com frequência, nos impede de amar o mundo que temos. E, deixando de amar a vida como ela é, muitos abrem mão de atuar como artistas da própria existência.

Por ser cristão, vejo constantemente pessoas que, com os olhos no invisível, são displicentes com o presente. A fé torna-se uma espécie de muleta, que as impede de ser agentes do destino.

Essas pessoas ainda não entenderam o que é viver e qual o nosso papel no aqui e agora. A fé que nos faz “ver” o invisível, desejar o imprevisível, não pode ser a mesma que faz estacionar, que impede ações concretas, que buscam a construção de uma vida melhor, de um mundo melhor.

Na segunda, uma música

Muita gente diz que ter fé num ser superior, acreditar em algo que nossos olhos não podem ver é só uma forma de se iludir, um jeito de não encarar a realidade. Talvez isso possa até ser verdade… Ainda assim, observo, a partir de minha própria vida, que ter Alguém em quem confiar, acalma o coração e torna a vida muito mais fácil.

A música desta segunda-feira fala desse Alguém. Na voz belíssima de Laura Morena, há uma declaração de confiança de que, quando tudo dá errado, é possível contar com Deus.

Quando tudo desabar
E o medo encontrar
Há alguém
Quando as portas se fecharem
Quando todos o deixarem
Há alguém

Eu sei que em meio ao sofrimento nem sempre é fácil notar que tem alguém que se importa com a gente. Mas, ao exercitar a fé, podemos encontrar esperança…

Mesmo que seus olhos
Não enxerguem nada além
Há um Deus bem perto
Você não está só

E então… vamos ouvir?

Cuidar de si e não perder a fé

fe

Vivemos preocupados com muitas coisas. Ficamos aflitos por causa dos problemas no trabalho, das inúmeras atividades da faculdade… Nos preocupamos com a comida, com a aparência física, com o relacionamento… Mas e o nosso interior? Sim, o que se passa com o nosso coração? Quando está sozinho (sozinha), quando tem alguns minutos livres, que atitudes tem com você mesmo (mesma)?

Sabe, olhamos para todos os lados, mas pouco olhamos para dentro de nós. O que pensamos a respeito de nossos defeitos? Alguma vez tentamos mudar atitudes que nos machucam ou machucam os outros? Ou o orgulho é tão grande que é incapaz de identificar as fragilidades?

Com um pouquinho de autocrítica, a gente identifica as atitudes e até os pensamentos que estão longe de serem maduros. É justamente essa disposição em olhar pra si, rever até mesmo alguns valores, que nos torna pessoas melhores.

E a gente pode começar fazendo isso pela parte espiritual. Nossas crenças, nossa fé, norteiam nossos procedimentos. E, nesse contexto, algumas questões são fundamentais.

Dar um tempo para si mesmo. Fala-se que a solidão não é boa conselheira. Porém, isso nem sempre é verdade. Geralmente os ruídos do dia – o trabalho, a televisão, o celular, a internet, redes sociais etc – servem como distração. Isso rouba a chance de nos aquietarmos. E é no silêncio que é possível falar com nós mesmos.

Observar o interior. O ponto principal é ser muito honesto consigo mesmo. É necessário fazer uma análise inclusive daquilo que as pessoas criticam em você. Muitas coisas que as pessoas falam da gente são motivadas por maldades – cobiça, inveja etc. Entretanto, nessas maldades podem existir pequenas verdades e crescemos quando identificamos nossos defeitos e tentamos melhorar nossas atitudes.

Controlar a ansiedade. E exercícios de respiração podem ajudar a obter uma relação mais efetiva até com seu próprio corpo. A correria, o excesso de atividades nem sempre permitem estar mais tranquilo. Parar e respirar fundo em alguns momentos do dia contribuem, inclusive, para oxigenar o cérebro. Quando o cérebro está oxigenado, funciona melhor, pensa melhor.

Ter fé. Embora diferentes cientistas questionem a existência de um ser superior, supremo, existem inúmeras pesquisas que sustentam a importância de acreditar em algo que é maior que nós. Aproximar-se de Deus de forma mais ativa, desenvolver a crença nEle, ajuda a ter mais força, mais disposição para viver.

Pois é… Por mais que o mundo pareça impor um modo de vida que traduz felicidade como sinônimo de ter dinheiro e ser popular, a existência não se resume nessa busca constante por coisas materiais. Cuidar de si é cuidar do coração, cuidar das emoções, dos sentimentos, das pessoas que você ama… É amar a si mesmo e nunca perder de vista a fé que nos faz até acreditar em milagres.

Não perturbe o coração

paz

Hoje pela manhã, enquanto folheava a Bíblia, encontrei um verso bem conhecido. Na minha versão, diz:

Não se perturbe o coração de vocês. Creiam em Deus; creiam também em mim. (João 14:1)

O texto é bastante conhecido. Principalmente no meio cristão. Trata-se de uma passagem que tem como cenário um diálogo de Cristo com os discípulos. Ele alerta que vai deixá-los, tenta confortá-los diante das dificuldades, dá várias orientações e os lembra que um dia todos voltariam a estar juntos.

Entretanto, o que me chama atenção nesse verso são quatro mensagens que nos ensinam muito. A primeira delas é a de que, por vezes, nosso coração será perturbado. Sim, porque tem gente que acredita que a vida é cor-de-rosa e não admite a existência de problemas. Mas não é isso que o próprio Cristo diz. Quando fala “não se perturbe o coração de vocês”, Cristo deixa claro que de vez em quando “a casa cai”. Ninguém gosta de passar dificuldades, de ficar triste, ansioso… Mas isso acontece sim. E com todo mundo.

A segunda lição é de que os problemas não podem tirar nosso prazer de viver. Numa outra versão da Bíblia, a gente lê (ao invés de “não se perturbe o coração”): “não se turbe o vosso coração”. Embora o verbo seja pouco usado em nossa linguagem cotidiana, “turbar” é o mesmo que escurecer, tornar-se sombrio. Portanto, mesmo em meio ao sofrimento, nosso coração não pode se fechar para a vida. Tem gente que em meio aos problemas parece alimentar ainda mais a alma com coisas ruins.

A terceira mensagem não é literal, mas está no discurso de Jesus. Quando Ele diz “não se perturbe (ou turbe) o coração de vocês”, há uma indicação clara de que temos a opção por afundar de vez nos problemas ou caminhar pela vida com esperança. Eu sempre digo que o sofrimento chega, não dá para negá-lo. A gente sofre sim. Porém, o texto bíblico sugere que se afogar com os problemas é uma escolha nossa. Nós temos a chance de, mesmo em meio às lágrimas, olhar para a situação e dizer: vai passar!

E a última coisa que o verso me faz pensar é na importância da fé. Ter em quê confiar faz muita diferença. E nem estou fazendo aqui apologia religiosa. Na verdade, nem é essa a minha proposta. O que estou dizendo é que ter esperança de dias melhores, de que o sofrimento vai passar, de que dias melhores virão, nos ajuda a suportar a dor. Na verdade, a gente nunca sabe o que vai acontecer daqui um mês, um ano… ou dez anos. Por isso se torna difícil acreditar que as perdas de hoje serão sublimadas por conquistas que teremos ao longo da vida. Ainda assim, confiar nos conforta, nos acalma… E faz nossos olhos não se fixarem apenas na dor.

Na segunda, uma música

Gilberto Gil é uma das figuras mais importantes da nossa música. Sujeito carismático, politizado e capaz de se atualizar constantemente, o cantor baiano é também um dos artistas brasileiros mais conhecidos no exterior.

Em 1982, Gil lançou uma de suas canções de maior sucesso. “Andar com fé” foi mostrada no Fantástico, numa época em que o dominical da Globo abria espaço para as grandes músicas.

“Andar com fé” é música simples, mas que mostra a importância das nossas crenças. Ter em quê acreditar acalma o coração, garante esperança, ajuda-nos a encontrar o caminho.

A fé tá na manhã
A fé tá no anoitecer

Quando tudo está difícil e a vida parece perder o sentido, ter fé nos fortalece. A fé nos serve de apoio para não desistirmos. Por vezes, a solidão bate, a desesperança nos assola e até a fé parece estar para morrer. Ainda assim…

Andar com fé eu vou,
que a fé não costuma “faiá”

E então… Vamos ouvir?

Pastor ou político? Nunca as duas coisas

pastor

O Tribunal Superior Eleitoral registrou, em comparação a 2010, um aumento de 40% no registro de candidaturas de pastores para as eleições deste ano. Pois é… Pelo menos, 270 pastores estão na disputa. Um deles, inclusive, o pastor Everaldo, concorre à presidência da República.

Sabe, talvez eu esteja errado. Talvez eu até mude de ideia com algum comentário… Ou, com o passar dos anos. Entretanto, embora seja cristão, eu não voto em pastor. Não concordo com a participação deles na política. Muito menos na disputa por cargos. Acho que membros de igreja, e até alguns líderes, podem participar do pleito, mobilizar-se por candidatos etc. Mas pastor, não dá.

Algo que me incomoda profundamente é o uso da condição de pastor na disputa. O sujeito tem uma relação de autoridade junto aos fieis. É respeitado, querido… Visto como uma pessoa de Deus. Muitas vezes, trata-se de alguém que mobiliza milhares de pessoas. Tem sob sua administração dezenas de outros pastores, presbíteros, diáconos etc. Toda essa estrutura acaba perdendo seu principal objetivo e servindo a um propósito político-eleitoral.

Para mim, igreja é igreja. É para tratar da espiritualidade das pessoas. É para cuidar das fragilidades, das dificuldades – inclusive emocionais. Pastor que se torna político rompe com os princípios bíblicos. A política pode ser um espaço para servir ao próximo, mas em nada se parece com o serviço pastoral. Os papéis são outros. Por isso, penso que o pastor que deseja ser político deveria renunciar a função de líder religioso.

E o pior problema, na minha opinião, é que pastor, quando eleito, torna a igreja um espaço político de mobilização de interesses que nem sempre são espirituais. Há pastores que manipulam os fieis, direcionando-os em defesa ou em oposição a determinadas ideologias políticas. E não é isso que a Bíblia apresenta como papel do cristão. Além disso, na política, alguns desses pastores passam a atuar em defesa de bandeiras moralistas, ignorando o bom senso e contrariando o que é de fato a real função do Estado (veja o caso de gente como o deputado Marco Feliciano).

Por fim, a maioria deles envergonha as religiões cristãs, cria uma imagem estereotipada do que é ser crente… Sem contar que contribui para a manutenção da ideia de que “crente é tudo igual”.

PS, Também há bispos e padres na disputa eleitoral. Mas, em comparação à última eleição, houve uma redução de 25% e 30%, respectivamente. Embora a igreja Católica seja muito maior no país, o número de bispos e padres candidatos, somados, não representa 30% dos pastores que estão na disputa. Ainda assim, penso que a reflexão sobre pastores-candidatos também é válida para o caso de bispos e padres que se rendem à sedução da política.

Na segunda, uma música

Acreditar, ter esperança são alimentos de uma vida feliz. Ocupar-se dos problemas e se deixar engolir por eles é o mesmo que se negar a viver. Talvez por isso goste tanto dessa canção.. Ela resume a confiança de que não importa o que passou, não importa o que está acontecendo hoje, importa que amanhã será um dia melhor.

Amanhã será um lindo dia,
Da mais louca alegria,
Que se possa imaginar

Quando o sol brilhar no amanhecer, as forças serão redobradas, a disposição para vencer vai renascer e tudo voltará a fazer sentido.

Amanhã, está toda esperança,
Por menor que pareça, que existe é pra vicejar,
Amanhã, apesar de hoje,
Será a estrada que surge, pra se trilhar
,
Amanhã, mesmo que uns não queiram,
Será de outros que esperam,
ver o dia raiar,
Amanhã, ódios aplacados, temores abrandados,
Será pleno, será pleno.

Amanhã é a música desta segunda-feira. É simplesmente linda. É renovadora, cheia de esperança, fé. A composição é de Guilherme Arantes. Foi escrita no fim da década de 1970. Tema de novela, trata-se de uma daquelas canções eternas, sem prazo de validade. Entretanto, prefiro ouvi-la na interpretação de Caetano Veloso. E embora não tenha um clipe com o baiano, penso que vale a pena parar para escutar… Sonhar com um amanhã pleno.