Tá difícil? Peça ajuda!

A ideia de que somos autossuficientes é uma das ideias mais mesquinhas que alimentamos. Para quase tudo, dependemos dos outros. Basta observar um dos processos mais básicos da sobrevivência, a alimentação. Os alimentos que necessitamos são produzidos por outras pessoas, em regiões distintas e passam pelas mãos de muita gente.

Ou seja, a vida se sustenta na coletividade.

Este mesmo princípio deve ser aplicado diante dos problemas que enfrentamos no trabalho, no relacionamento, na escola…

Conseguimos enfrentar e resolver muitas coisas sozinhos. Isso é importante para o desenvolvimento da autonomia. Porém, ter alguém com quem conversar, pedir um conselho ou mesmo a quem recorrer quando sentimos que não estamos dando conta, pode fazer uma enorme diferença.

Às vezes, o orgulho fala mais alto e sentimos que, se pedirmos ajuda, estaremos nos rebaixando. Ser humilde nada tem a ver com pequenez. Ser humilde é atitude dos grandes, de gente que reconhece que a vida é mais simples quando não se vive de aparências.

Por isso, se está difícil, fale com alguém. Procure uma pessoa experiente, alguém de confiança. Supere a vergonha e diga que você precisa de apoio.

E aqui ressalto um aspecto: tem gente que conta os problemas para os outros, desabafa, fala de seus problemas para todo mundo, mas esquece de um detalhe fundamental… Esquece de verbalizar de maneira explícita: “preciso de sua ajuda”.

Quando a gente pede ajuda, a gente escolhe um alvo, alguém que reúne as competências e os meios necessários para nos auxiliar.

E, pode ter certeza, por mais que todo mundo esteja ocupado, correndo, enfrentando seus próprios problemas, a maioria das pessoas se solidariza com um pedido sincero. Portanto, não se envergonhe. Se está difícil, peça ajuda.

Anúncios