Que horas você vai para cama com sua esposa?

casal

Esse assunto é bastante sério. Tem relação direta com o sexo no casamento, mas tem muito mais a ver com a intimidade do casal. 

Uma das coisas ruins que acontecem com o passar dos anos é que, aos poucos, os casais vão deixando para ir para a cama apenas quando já estão com sono, quando estão cansados.

Às vezes, um fica no computador, navega na internet… O outro assiste televisão, trabalha, estuda… E vão para cama quando o corpo reclama.

A situação se torna ainda pior para o relacionando se os horários são diferentes. Casal que não deita junto cria, dia após dia, um barreira entre eles.

Por isso, o ideal é que os dois deitem no mesmo horário e pelo menos uma hora antes do horário que dormiriam. E por quê? Porque ao fecharem a porta do quarto, poderão ter um tempo só pra eles. Um tempo pra conversar, um tempo pra trocar carinhos…

Esse tipo de atitude aperfeiçoa o relacionamento, aumenta a intimidade… E leva o casal a ter uma rotina sexual muito melhor. 

Tem gente que reclama da falta de sexo no casamento. Mas o sexo, num relacionamento que já tem alguns anos, é consequência do nível de intimidade, da capacidade do casal trocar carinhos, ter sintonia, diálogo… Por isso, se o casal não investe tempo na relação, a vida na cama certamente vai esfriar.

Quatro segredos da intimidade da mulher

intimidade

Homens e mulheres pensam o sexo de maneira diferente. É verdade que muita coisa mudou – principalmente na atitude das mulheres em relação ao sexo. Porém, elas ainda preservam alguns segredos íntimos que nem sempre revelam aos homens. E maridos que querem desfrutar o melhor do sexo com a parceira devem prestar atenção a esses detalhes.

Para a mulher, sexo começa fora do quarto. A disposição para o sexo geralmente não surge do nada, não surge apenas na cama. Para motivar a mulher, o parceiro deve saber que pequenas atitudes podem fazer diferença. Às vezes, lavando a louça, dando banho ou trocando as fraldas do bebê… Preparando o jantar… Surpreendendo com um presentinho ou algo que ela gosta…

O sexo, para a mulher, tem muito a ver com romantismo. Para o homem, não raras vezes, o sexo é apenas isso: sexo. Tem a ver com corpo, com cheiro, gosto… Tem a ver com gozo. Para a mulher, sexo é uma experiência emocional, afetiva.

A mulher deseja se sentir bonita, charmosa. Ela quer ser admirada. Principalmente por seu homem. O cuidado que a mulher tem ao se vestir, ao se perfumar, ao arrumar o cabelo está diretamente relacionamento ao desejo de sentir-se bem, de sentir-se bela. O homem que deseja tocar o coração da parceira, para viver o melhor da intimidade sexual, deve ser capaz de reparar sua beleza e, principalmente, os pequenos cuidados que ela tem com o corpo.

A mulher deseja ser conquistada. E diariamente. Para o homem, sexo pode ser uma forma de tirar o estresse. Para a mulher, não existe sexo com estresse. Sexo é quando ela está de bem com a vida. Por isso, ser compreensivo, tolerante, cobrar menos a parceira são estratégias que funcionam para chegar ao coração dela. Cobrar sexo, por exemplo, faz um mal enorme na dinâmica do relacionamento (não significa deixar de dialogar, se algo não está funcionando). Geralmente, afasta, magoa, causa rupturas no romance. Por isso, controlar as próprias emoções é uma boa alternativa para viver o melhor da intimidade.

O desinteresse sexual é uma realidade para muitos casais

Couple Lying on Chaise Longue ca. 2001

No início do relacionamento, é natural que as pessoas acreditem que estarão sempre “ardendo de desejo” pelo parceiro. Entretanto, não é preciso recorrer aos estudos científicos para saber que o desinteresse sexual é uma realidade para a maioria dos casais com vários anos de convivência. E isso não é falta de amor. Isso é ser humano. Com o tempo, é natural haver certa acomodação. Como eu já disse por aqui, o tempo parece fazer com que não exista mais novidade entre duas pessoas que se relacionam sexualmente há bastante tempo.

Embora esse seja um processo pelo qual muita gente vai passar ao longo da vida a dois, é também um dos motivos de traições, separações e muitos conflitos no relacionamento. O desinteresse sexual é sim um problema. Dos grandes. E que precisa ser enfrentado pelo casal.

Acontece que não é nada fácil pra pessoa admitir que não sente desejo pelo parceiro. As questões que envolvem a sexualidade são sempre cercadas por tabus. E de alguma maneira, para muita gente, reconhecer que não está legal no que diz respeito ao sexo parece ser o mesmo que ser “menos homem” ou “menos mulher”.

Porém, é justamente essa aceitação de que as coisas já não são como antes que permite que se encontre formas de melhorar a intimidade na cama. E, sendo muito específico, quando o assunto é sexo, qualquer cobrança inibe, coloca o outro na defensiva. É necessário apoiar, ajudar, estimular. Sim, porque uma frase como “você nem me quer mais” não tem nenhum efeito positivo; só ajuda a distanciar ainda mais o casal.

Sabe, sempre haverá espaço para encontrar novas maneiras de intimidade. Ler sobre o assunto, colocar uma roupa diferente, cuida do corpo, descobrir o que o outro gosta, provocar… Sexo é conquista. Mesmo entre duas pessoas que já se conhecem bastante. E volto a repetir, a iniciativa não deve ser apenas do homem. Quem pensa assim, é porque ainda alimenta uma visão machista. Homens querem ser surpreendidos. Gostam de se sentir desejados, inclusive através de gestos, palavras e muitos gemidos durante o ato sexual. Por isso, ambos devem investir em estratégias que possam “esquentar o clima” no relacionamento.