As revistas da semana

VEJA: Mas nem uma palmadinha? A proibição das palmadas. Pais, professores, cuidadores de menores em geral estão proibidos de beliscar, empurrar ou mesmo dar “palmadas pedagógicas” em menores de idade. Um projeto de lei que proíbe a prática do castigo físico foi assinado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, para marcar os 20 anos de vigência do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Ainda nesta edição, a aprovação do casamento gay na Argentina, o Vaticano decide punir com rigor os padres pedófilos e um especial sobre “vendas porta a porta”: ocupação de 2,5 milhões de brasileiros.

ÉPOCA: – A riqueza dos políticos. Quem mais enriqueceu durante o último mandato; os candidatos com as maiores fortunas; e por que tantos dizem guardar dinheiro embaixo do colchão. Profissão: herdeiro. O poder das famílias sobre as obras de autores clássicos. Educação, quatro ideias para o próximo governo. E ainda, ele nem quer saber o que diz a lei eleitoral. Lula não para de fazer propaganda de Dilma – e os órgãos do governo continuam usando a máquina em favor da candidata. E ainda, o prazer delas ficou importante. Para eles. Uma pesquisa sobre comportamento sexual masculino sugere que eles mudaram. Mas ainda mentem sobre seu desempenho.

ISTO É: – O reinado do filho único. Especialistas garantem que crianças que crescem sem irmãos podem se tornar adultos tão ou mais saudáveis do que aqueles que crescem em grandes famílias. A força da mente. A ciência comprova que mudar a maneira de pensar é um remédio eficaz contra males como depressão, dor crônica e alcoolismo. E ainda, receita para quebrar sigilo. Corregedor confirma à ISTOÉ que apenas um funcionário, de São Paulo, é suspeito de violar dados de dirigente tucano. Mas o caso levanta outra dúvida: o cidadão comum está protegido?

CARTA CAPITAL: – Um leão sem critérios. Ao contrário do que diz o senso comum, o Brasil não paga impostos demais. O problema é um sistema kafkiano que alimenta a desigualdade, pune quem produz e inibe o emprego. No xaxado com Lampião. A octogenária Alzira Marques recorda os bailes animados organizados pelo rei do cangaço. Em busca da perfeição. A ciência quer entender as preferências estéticas de homens e mulheres.

As revistas da semana

VEJA: – O milionário mora ao lado. Os novos ricos surgem no país. Onze mulheres e homens que enriqueceram dão a receita de como aproveitar a maré alta da economia. Por que os dólares acharam o caminho do Brasil. A substância que produz o amor. Como funciona a oxitocina, responsável por estabelecer e reforçar os vínculos afetivos entre mãe e filho – e entre amigos, namorados, amantes… Ainda na Veja, os jovens prodígios em Matemática. A história desses jovens mostra como o estímulo precoce produz resultados extraordinários.

ÉPOCA: – Cabeça ou coração? Uma série de novos estudos está mostrando que nem razão nem intuição – e nem análise de dados por computadores – são suficientes para garantir boas decisões. Você precisa de tudo o que estiver a seu alcance. A Seleção de R$ 800 milhões. Esse é o valor dos convocados de Dunga, segundo um mercado virtual de jogadores. Parece muito, mas o Brasil nem é o time mais valioso da Copa. As brasileiras de Bollywood. A Índia foi invadida por atrizes e modelos brasileiras que começam a fazer carreira no cinema de Bollywood.

ISTO É: A nova febre dos imóveis. A união de juros baixos, crédito longo e farto e economia estável fará de 2010 o ano com o maior volume de vendas de imóveis das últimas três décadas no Brasil. De volta ao começo. Mais de duas décadas depois, Fernando Collor quer novamente ser governador de Alagoas, cargo que o catapultou à Presidência. Os padres casados da igreja. Sob as bênçãos do Vaticano, os diáconos assumem paróquias e celebram batizados e casamentos. Depois, voltam para mulher e filhos.

CARTA CAPITAL: Grampos e intrigas: Tuma Jr. não resiste à divulgação de conversas comprometedoras e é afastado do governo. Mas a quem, na Polícia Federal e fora dela, interessa o vazamento? O Estado tira o pé do acelerador. Bancos preveem PIB de até 7,5% e Mantega anuncia corte no orçamento.

As revistas da semana

VEJA: – O psicótico e o Daime. Até que ponto se justifica a tolerância com uma droga alucionógena usada em rituais de uma seita? Tomar o chá alucinógeno da seita Santo Daime quando se tem um transtorno psíquico, afirmam especialistas, é o mesmo que jogar gasolina sobre um incêndio. Tudo indica que foi o caso de Cadu, o assassino do cartunista Glauco e de seu filho Raoni. O julgamento dos Nardoni. No julgamento de Alexandre Nardoni e Anna Carolina pela morte da menina Isabella, o embate não será entre a culpa e a inocência, mas entre a certeza e a dúvida. E ainda na edição, Com Telephone, Lady Gaga e Beyoncé fazem mais do que renovar o clipe como peça de divulgação da música pop. Agora, a música pop é que passa a existir em função do clipe.

ÉPOCA: – O Daime provocou o crime? A morte do cartunista Glauco reacende o debate sobre o uso da droga alucionógena em rituais religiosos. Do fogão ao tanque. Empresas brasileiras querem transformar óleo de fritura usado em biodiesel para queimar no trânsito. Autoajuda em depressão. O segmento de livros destinados a animar e a motivar deixou de ser o motor do mercado. A hora é dos contadores de histórias. Ainda na Época, uma entrevista com Ana Carolina de Oliveira. “Quero me tornar mãe novamente”, diz ela. Dois anos depois da perda da filha, a mãe de Isabella conta como vive em depoimento à revista.

ISTO É: – O avanço do exorcismo. O Vaticano reconhece a existência do diabo em suas fileiras. E prepara seu exército para contra-atacar a presença do mal. A poucos dias do lançamento oficial de sua candidatura, Serra enfrenta críticas do PSDB e protestos armados pela oposição. Lula agora vai dizer que sabia… Depois de Isto É revelar os depoimentos de três ex-ministros ao STF confirmando que o deputado Roberto Jefferson o informou do Mensalão, o presidente decide responder ao questionário da Justiça com a mesma versão. E ainda, vinte anos depois, Plano Collor é lembrado pelo trauma do confisco da poupança e pelo mau exemplo de gestão da economia.

CARTA CAPITAL: – E que diria São Pedro? Antes defensor do silêncio, Bento XVI vê os escândalos de padres pedófilos alcançarem o Vaticano. No passado, Ratzinger foi um ferrenho defensor do acobertamento dos casos de pedofilia. Agora vê o problema rondar seu irmão e assombrar o Vaticano. Ainda na edição, o Caso Vale e o debate do pré-sal. As manifestações no Rio de Janeiro são legítimas, mas revelam que o debate sobre o pré-sal tem se limitado a uma disputa comezinha por verbas.

As revistas da semana

Veja: – Sozinhos.com? Oito em cada dez brasileiros on-line frequentam sites de relacionamentos. O círculo de amigos próximos diminui, enquanto o de contatos virtuais aumenta. Orkut, Twitter e Facebook não aplacam a solidão, dizem os estudiosos. A Veja desta semana traz o poder das redes virtuais. Em nenhum outro país as redes sociais on-line têm alcance tão grande quanto no Brasil, com uma audiência mensal de 29 milhões de pessoas. Mas ter milhares de amigos virtuais não deixa ninguém menos solitário. Ainda na edição, a maldição da presidência do Senado. A revista sugere que a cadeira da presidência até parece uma cadeira elétrica. Diminuído como presidente do Senado e quase ferido de morte política, José Sarney recorre à ajuda do presidente Lula e do PT para tentar escapar do mesmo destino de seus antecessores. A Veja também volta a tratar da morte de Michael Jackson. Segundo a revista, a morte do ídolo virou um espetáculo nada edificante.

Época: – O Congresso se olha no espelho. Uma pesquisa exclusiva da revista revela que, em plena crise política, um levantamento inédito com deputados e senadores revela que apenas 20% acham que a corrupção é alta, 48% reclamam que ganham pouco, só 35% dizem que o Legislativo faz leis compreensíveis, quase nenhum parlamentar acredita que um “homem comum” consiga se eleger. Na edição, uma reportagem mostra o que já se sabe sobre o acidente com o voo 447 e o que ainda falta descobrir. Também na Época uma enciclopédia erótica. Dezenove mil formas de fazer sexo. Chega ao Brasil um livro com a mais completa compilação das fantasias sexuais modernas. Angelina Jolie está lá, assim como a cunhada, o vizinho, o vagão do trem, as trigêmeas…

Isto É: – O dia do fico de Sarney. As pressões, as chantagens e os bastidores da guerra para preservar o último coronel da política brasileira. Após três mandatos na presidência do Senado e um na Presidência da República, o político de carreira mais longa em atividade se vê acossado pelos velhos aliados e é resgatado pelos antigos adversários. Também na edição, a estranha ética de Arthur Virgílio. O líder do PSDB no Senado reconhece ter recebido vantagens indevidas, como foi denunciado por Isto É, e diz que vai devolver o dinheiro público. E ainda, pesquisa mostra por que, para as mulheres, é mais difícil parar de fumar. E, os ossos do apóstolo Paulo. O Vaticano anuncia a descoberta dos restos mortais e da primeira imagem do santo.

Carta Capital: Até debaixo da terra. A história das mais de mil concessões a Daniel Dantas para a exploração do subsolo. Ainda na edição, os 15 anos do Plano Real – a combinação entre câmbio valorizado e juros altos, mantida a ferro e fogo, lançou a economia numa trajetória de crescimento medíocre. E as consequencias do envelhecimento mundial.

Vaticano abre documentos de Pio XII…

O papa Pio XII foi acusado de ter se omitido durante a Segunda Guerra Mundial. Teria tido conhecimento do holocausto, mas manteve o silêncio. Por conta disso, seu nome não é muito aceito quando se fala em beatificá-lo. Já os judeus o rejeitam – e transferem essa rejeição à Igreja Católica.

Na tentativa de reestabelecer o diálogo com Israel, o Vaticano anunciou nesta quinta-feira que em seis ou sete anos serão abertos os documentos secretos sobre o pontificado de Pio XII. É aguardar pra ver. E torcer para nada ser manipulado.